A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

08/06/2013 09:51

Empresas querem investir, mas lentidão de Bernal pode comprometer R$ 800 milhões

Leonardo Rocha

Os vereadores que integram a Comissão de Indústria, Comércio e Agropecuária marcaram audiência pública para próxima segunda-feira, a partir das 9h, após receber reclamações de empresários que gostariam de investir em Campo Grande e não são recebidos pelo prefeito Alcides Bernal (PP). A estimativa é de que hámais de R$ 800 milhões em investimentos emperrados, por falta de ação política.

O vereador Edil Albuquerque (PMDB), presidente da comissão, ressaltou que desde o início da gestão de Bernal, os investimentos em Campo Grande estão em declínio, e que a própria Sedesc (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Turismo e Agronegócio) tem apenas uma secretária interina, sem nenhum projeto em análise. “A pasta está parada, existe dificuldades dos investidores em chegar à prefeitura, não há interlocução”, ressaltou Edil. 

De acordo com a assessoria do vereador, o Grupo Pão de Açúcar, interessado em implantar três supermercados na Capital, já tentou vários contatos com o executivo, porém não foram atendidos. “São casos como este que demonstram a falta de preparo da administração, temos que dar incentivos e diversificar nossas fontes de economia”, acrescentou o peemedebista.

A Prefeitura de Campo Grande, porém, nega o fato e garante que representantes do Grupo Pão de Açucar foram recebidos nesta semana. O encontro com o prefeito Alcides Bernal (PP) teria ocorrido na última quarta-feira. "Foi uma visita de cortezia, não houve pedidos das partes", informou a secretária de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e do Agronegócio, Dharleng Campos de Oliveira.

Falta de credibilidade – A vereadora Carla Stefanini (PMDB), que convocou a audiência pública, destacou que a falta de pagamentos de Bernal a diversos fornecedores também acabam gerando “desconfiança” de empresas que resolvam investir ou prestar serviços ao executivo. “Esta postura tem conseqüências graves para o município, nossa credibilidade está em jogo”.

Carla ainda argumentou que este “calote” feito pela prefeitura gera “instabilidade” nos funcionários, que ficam apreensivos tanto em receber seus salários em dia, como também serem dispensados pelas empresas, que estão sem receber. “Vamos discutir todos estes pontos na audiência de segunda-feira”, ressaltou ela.

 



Ainda não aprenderam que o senhor deus Bernal não erra, sendo assim não se pode falar mal dele!
 
Caio Andrade em 08/06/2013 12:11:27
Senhores Vereadores já tentaram deixar o Prefeito trabalhar... De repente ele consiga atender esses empresários. Poxa vocês vereadores tem que fazer seus tabalhos de prerrogativa do legislativo sim... O executivo também. O prefeito só fica atendendo vocês com estas Cpi, que pelo histórico Cpi nunca se aproveita nada só serve de palanque... Fazem uma coisa útil para nossa cidade tenta legislar e fiscalizar não tumultuar a gestão. Foram vinte anos com a mesma turma, e nunca tivemos uma transição, todas as pessoas e eleitores sabem o que estava acontecendo e aconteceu nesses vinte anos e Cpi so esta querendo investigar o que vcs ja sabem apenas nesta gestão. Cuidado com o tiro no pé ano que vem tem pleito estadual isso pode ser mal pra tudo mundo.
 
Sergio Damasceno em 08/06/2013 10:49:57
só sei que a coisa tá difícil, e põe difícil nisso, uma total falta de sintonia em administrar.
 
jose carlos em 08/06/2013 10:29:02
lamentável... sem comentários... tomara que esses 4 anos passem voando...
 
Graziella MACIEL FERNANDES em 08/06/2013 09:38:56
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions