A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

13/09/2013 17:20

Parentes de políticos, campeã de boxe e Tânia Garib reprovam no TCE

Zemil Rocha
Maria Thereza Trad não está entre os inscritos aprovados no concurso do TCE (Foto: Playboy)Maria Thereza Trad não está entre os inscritos aprovados no concurso do TCE (Foto: Playboy)

Personagens famosos pelo sobrenome, que os liga a parentes políticos, conselheiros e desembargadores ou por suas carreiras como esportistas, modelo fotográfica e até mesmo por responsabilidades de governo em Mato Grosso do Sul não conseguiram sucesso na prova objetiva do concurso para Auditor de Controle Externo do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que foi realizado no dia 4 de agosto, em Campo Grande.

O resultado que acaba de ser divulgado refere-se apenas à prova objetiva, com exigência de no mínimo 60% de acertos. Ainda falta a correção da prova subjetiva e outras fases até a definição dos 30 aprovados para vagas imediatas e 20 para o cadastro de reserva. O salário é de R$ 6.259,55.

De um total de 1.869 inscritos, com concorrência de 62,3 por vaga, apenas 259 candidatos foram aprovados na prova objetiva aplicada pela PUC do Paraná. A aprovação foi de apenas 13,85%. Portanto, os famosos personagens do concurso do TCE acompanharam a maioria esmagadora de 86,15% que foi reprovada.

Entre os parentes reprovados está Osmar Ferreira Dutra Junior, que é filho do conselheiro aposentado Osmar Ferreira Dutra, que foi presidente do TCE. Outros dois familiares dele, Adriano Dias Ferreira Dutra e Mônica Dias Ferreira Dutra, também não conseguiram passar na primeira fase concursal. O mesmo aconteceu com candidatos cujos sobrenomes lembram os de conselheiros ativos ou aposentados, como Tatiana de Oliveira Contar, Savio Aparecido Capiberibe, Zélia Inácio Mendonça Capiberibe e Adnan Silva Coelho das Neves. Edson Contar e Paulo Capiberibe Saldanha são conselheiros aposentados. Iran Coelho das Neves é conselheiro da ativa no TCE.

Famosa por fotos sensuais na revista Playboy e outras publicações, Maria Thereza Trad Alves, irmã do ex-prefeito da Capital e atual secretário estadual de Articulação com os Municípios, Nelsinho Trad. Maria Thereza, também integra a imensa lista dos reprovados no concurso do Tribunal de Contas. Também não foi bem sucedida no certame Tânia Mara Garib, que integra o primeiro escalão do governador André Puccinelli. Tânia Garib é a atual secretária estadual de Trabalho e Assistência Social e acompanha Puccinelli desde a época em que ele foi prefeito de Campo Grande.

Igualmente não obteve aprovação no concurso do Tribunal de Contas a tetra-campeã estadual de boxe Fernanda Epelbaum, que deixou de integrar a equipe de Mato Grosso do Sul que disputa o Campeonato Nacional de Boxe, na Capital, por falha da federação estadual. Fernanda também foi campeã nacional de muai thai.

Ficou ainda de fora da lista de aprovados Abrahão Malulei Neto, que, pelo sobrenome, sugere parentesco com o desembargador aposentado Milton Malulei, que foi presidente do Tribunal de Justiça do Estado.

Pessoas ligadas ao prefeito Alcides Bernal (PP) também não conseguiram o mínimo de 60% de acerto na prova objetiva. É o caso do advogado de Bernal, Lênio Ben Hur, e um parente do secretário municipal de Obras, Semy Ferraz, Nilo Alves Ferraz Júnior.

Clique aqui para ver a lista de aprovados no concurso do TCE.



Zemil, parabéns pela matéria. Além do caráter informativo também presta-nos um serviço valioso ao trazer à luz nomes tão expoentes que poderiam valer-se do anonimato em um eventual "apadrinhamento".
 
Gil Dário em 17/09/2013 21:41:40
Alguém viu uma dessas pessoas citadas em algum cursinho preparativo para concursos ??? Parece que esse concurso foi serio !!! OU TEM ALGUMA SURPRESA GUARDADA ??? Tem que passar quem estuda, da duro, deixa de fazer o horário de almoço do trabalho para revisar matéria que viu na noite anterior no cursinho ou que estudou em casa até a madrugada.
 
Leonardo Camassa em 14/09/2013 09:39:42
notamos o grau do pessoal que comanda as secretarias, todos são considerados burros
 
adrielle pereira em 13/09/2013 21:54:43
Esse pessoal de "sobrenomes" só se dão bem quando acobertados pelos sobrenomes em alta.
Na disputa limpa e sem apadrinhamento o resultado se mostra bem diferente da "outra" via de admissão.
 
Jadilvam Francisco Cândido da Silva em 13/09/2013 19:16:24
O POVO PENSA QUE SÓ FICAR PELADA, DAR UNS SOCOS NO ADVERSÁRIO OU "BATER UMA BOLINHA" É O SUFICIENTE PARA OCUPAR CARGOS PÚBLICO; ACONTECE QUE TEM UNS OU UMAS QUE ESTUDAM SEM PARAR, NÃO FICAM PELADAS EM FRENTE OS HOLOFOTES, NÃO BATE BOLA, NÃO É BOM NA LUTA MAS É LETRADO, AÍ JÁ SABE NÉ??? ESTÃO NA PONTA. PARABÉNS AOS QUE CONSEGUIRAM PASSAR JÁ NA PRIMEIRA FASE. QUE DEUS OS ABENÇOE!!!
 
JARY GUASINA em 13/09/2013 18:23:47
Quer saber?
Se os conselheiros também tivessem que participar de concurso para assumir as vagas de conselheiros do TCE, duvido que todos passassem nas provas. Mas este é um cargo de indicação política e serve para fazer os arranjos nos quadros políticos dos estados em todo o Brasil. Portanto não é de estranhar que muitos também não sejam aprovados. Além de ser vitalício. E assim caminha o Brasil, sil, sil, sil,sil.
 
Alexandre ferraz em 13/09/2013 17:45:00
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions