A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

19/01/2012 10:57

Partidos convocam militantes para corrida às 29 vagas na Câmara de Campo Grande

Eleição passada mostra que deter mandato não é garantia para a conquista de vaga

Wendell Reis
Em 2008 apenas 12 vereadores conseguiram se reeleger na Câmara da Capital(Foto: Simão Nogueira)Em 2008 apenas 12 vereadores conseguiram se reeleger na Câmara da Capital(Foto: Simão Nogueira)

A eleição para vereador da Capital em 7 de outubro promete ser ainda mais disputada do que nas campanhas passadas em Campo Grande. Isso porque o número de vagas passou de 21 para 29 a partir de 2013. Alguns podem pensar que os detentores de mandato já saem com um passo à frente dos demais e que a briga vai ser mais direcionada à conquista das oito novas vagas, um engano.

Se analisarem a eleição passada, os candidatos a reeleição vão ver que terão muito trabalho para convencer a população. Dos 21 vereadores eleitos em 2008, apenas 12 foram reeleitos: Paulo Siufi (PMDB), Vanderlei Cabeludo (PMDB), Magali Picarelli (PMDB), Clemêncio Ribeiro (PMDB), Cristóvão Silveira (PSDB), Thaís Helena (PT), Cabo Almi (PT), Graziela Machado (PR), Paulo Pedra (PDT), Alcídes Bernal (PP), Airton Saraiva (DEM) e Marcelo Bluma (PV).

Dos nove que não foram reeleitos, dois já haviam ocupado uma vaga na Câmara: Loester Nunes (PMDB) e Jamal Salém (PR). Outros sete vereadores foram eleitos pela primeira vez: Rose Modesto (PSDB), João Rocha (PSDB), Flávio César (PT do B), Carlos Borges (PSB), Herculano (PSC), Mário César (PMDB) e Lídio Lopes (PP).

Luta por vagas - O PT é um dos partidos que vai intensificar a briga pelas vagas na Câmara. O partido já chegou a ter quatro vereadores na Casa e hoje tem apenas dois. A explicação para a redução é a desunião do partido na eleição em 2008, quando Pedro Teruel (PT) disputou a eleição sem a união do partido.

Para corrigir o problema, o PT está convocando os militantes para a disputa em 2012. O vice-presidente partido, Gildo Oliveira da Silva, explica que o PT vai priorizar militantes com grande densidade eleitoral, incluindo ex-deputados. “Quanto mais vagas, mais espaço. Nós queremos eleger no mínimo cinco vereadores. Hoje não tem nem resquício de desunião no PT. O partido está forte, unido e articulado em torno de um projeto: Conquistar Campo Grande e o Governo em 2014”.

Após a troca de partidos antes do prazo final para desfiliações em 2011, o PMDB passou de quatro para seis vereadores, com a chegada de Loester e Mário César. Para manter o número e ampliar as vagas, o partido priorizou a filiação de representantes de diversos segmentos. “Nós vamos oferecer um quadro de candidatos que represente os diversos segmentos. A pluralidade da nossa sociedade. Diante disso, estamos fazendo um trabalho interno para oferecer os nomes que contemplem estes segmentos, para ter uma chapa forte e competitiva”, explica a presidente municipal do PMDB, Carla Stephanini.

O presidente municipal do PSDB, Carlos Alberto de Assis, afirma que o partido está com o quadro pronto e aguardando o processo para colocar os candidatos nas ruas. “Temos um quadro forte, novo e bom. Queremos pelo menos dobrar o número de filiados que temos hoje”. O PSDB tem três vereadores na Câmara de Campo Grande. Para ampliar o número de cadeiras, o partido aposta em nomes novos, incluindo profissionais liberais e agropecuaristas. “O PSDB não tem rejeição. Com isso, pudemos aumentar o número de filiados e colocar bons nomes a disposição”.

Nos partidos considerados pequenos a organização também é grande para a conquista de espaço. O presidente estadual do PT do B, deputado Márcio Fernandes, explica que o partido fez um trabalho intenso de filiação e tem bons nomes a disposição: “Temos pessoas com chance de serem eleitas. Muita gente se filiou”. O partido tem hoje um vereador na Câmara e quer chegar a quatro cadeiras. Para contornar a dificuldade por ser um partido pequeno, o PT do B pretende coligar com outros partidos menores e aumentar as chances de conquistar novas cadeiras.

Entre os vereadores que atualmente detém mandato na Câmara, apenas dois podem ficar fora da disputa: Athayde Nery e Paulo Siufi. Os dois vereadores devem se candidatar a Prefeitura de Campo Grande em 2012. Entretanto, Siufi ainda disputa a preferência dentro do partido. Caso não emplaque a candidatura, Siufi tentará a reeleição e apenas Athayde ficará fora.

Governo do Estado investe R$ 9,2 milhões em infraestrutura em Caracol
Caracol vai receber mais de R$ 2,8 milhões em obras a serem executadas pelo Governo do Estado em parceria com a prefeitura e deputados federais e est...
Assembleia vota Orçamento de R$ 14,4 bilhões de 2018 na terça-feira
O Orçamento de R$ 14,4 bilhões do Governo de Mato Grosso do Sul para 2018 passará pela votação em segunda discussão na terça-feira (19) na Assembleia...


novos vereadores queremos coringa psd
 
marcos silva em 20/01/2012 01:08:08
Esperamos que esse pleito eleitoral, venha com pessoas preocupada com o social, pessoas que não só disputam vaga por uma causa pessoal, sem uma visão mais ampla e voltada para a comunidade.


Teremos que avaliar a VIDA - FICHA e tambem seria bastante interessante analisar a formação dos pretenso candidatos, sejam eles já atuante ao aquele que almeja uma vaga.


NEI SALVIANO


 
zildeneis salviano em 19/01/2012 11:45:24
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions