A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

11/08/2015 13:54

Petistas não criticam protesto, mas discordam de pedido de impeachment

Ato contra Dilma será na praça do Rádio Clube neste domingo

Leonardo Rocha
Pedro Kemp disse que manifestação é válida, mas critica pedido de impeachment contra a presidente (Foto: Roberto Higa/ALMS)Pedro Kemp disse que manifestação é válida, mas critica pedido de impeachment contra a presidente (Foto: Roberto Higa/ALMS)

Os deputados do PT comentaram sobre a manifestação contra a presidente Dilma Rousseff (PT), marcada para o próximo domingo (16), onde vão defender novamente o pedido de impeachment a chefe do executivo federal. Eles voltaram a dizer que os protestos fazem parte da democracia, mas que deve ser respeitada a decisão dar urnas, na última eleição de 2014.

“Todo mundo tem o direito de se manifestar contra o Governo, notamos que o PSDB está aproveitando a situação para fazer discursos, mas faz parte do jogo, até porque perderam as três últimas eleições, o que não aceitamos é um golpe, a presidente foi eleita e deve ser respeitada”, disse Pedro Kemp (PT).

Já Cabo Almi (PT) ponderou que é notório o momento de crise econômica e política e que justificaria uma manifestação, até pela falta de paciência da população, até porque segundo o petista, a última eleição foi apertada e acabou dividindo o país.

“Quem perdeu não desceu do palanque, o resultado foi favorável a Dilma, este pedido de impeachment pode trazer mais prejuízos ao país, deixar em uma situação pior, temos que torcer para sairmos desta situação”.

Oposição - Para os tucanos as pessoas têm o direito de se manifestar, já que se trata de uma união de movimentos democráticos, que se organizaram porque estão insatisfeitos com a ação do Governo Federal. “Vivemos um momento difícil, as pessoas têm liberdade para mostrar que não aprovam esta gestão, sobre o impeachment, cabe ao Congresso se posicionar”, disse Rinaldo Modesto (PSDB).

Felipe Orro (PDT) ainda avaliou que pela situação política, o resultados destas novas manifestações em todo país vão ditar que rumo o Congresso Nacional deve tomar em Brasília em relação a presidente. “Vai depender da rua, se o protesto for forte, aumentam as chances da presidente (Dilma Rousseff) cair”.

Capital - O evento em Campo Grande será na Praça do Rádio Clube, no domingo (16), a partir das 14h, só que desta vez os manifestantes ficarão parados no local e não haverá caminhada.Haverá discursos e até encenações contra políticos, entre elas, uma “cadeia” onde as pessoas poderão tirar fotos com um boneco do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva.

O protesto terá exposição de vídeos sobre a situação do país, assim como um local para debate e discussão. Também ficará disponível um stand para recolher assinaturas para projeto contra a corrupção, assim como uma "forca gigante", para simbolizar os cidadão que se sentem nesta situação, sem saída diante dos escândalos. O evento será organizado pelo movimento Pátria Livre.

Durante a semana, o movimento “Chega de Impostos” vai promover uma série de shows com ritmos diferentes, começando nesta terça-feira (11) com bandas gospel, na quarta pop rock, quinta samba e pagode e na sexta-feira artistas sertanejos. Haverá um trio elétrico a partir das 17h, entre a Avenida Afonso Pena e a rua 14 de Julho, na área central da cidade.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions