ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, SÁBADO  23    CAMPO GRANDE 28º

Política

Podemos anuncia apoio a Simone e senadora de MS já soma 27 votos

Tebet aguardava pelo apoio da sigla. Até amanhã, ela ainda espera anuncio do PSDB. Outra sigla cobiçada é o PSL

Por Nyelder Rodrigues | 13/01/2021 18:32
Apoio a Simone foi anunciado após reunião nesta tarde (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)
Apoio a Simone foi anunciado após reunião nesta tarde (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)

A sul-mato-grossense Simone Tebet (MDB) conseguiu importante apoio no fim da tarde desta quarta-feira (13) para sua candidatura a presidência do Senado. O Podemos, terceira maior bancada da Casa, anunciou que vai aderir à pretensão de Simone e apoiá-la.

O Podemos tem a terceira maior bancada, com nove senadores, engrossando a lista já com 15 votos do próprio MDB, maior bancada da Casa. Só aí, já são 24 votos a favor de Simone. Ao todo, o Senado possui 81 parlamentares.

"O Podemos manifesta seu apoio a senadora Simone Tebet para a presidência do Senado Federal após discussão e reflexão sobre os seus compromissos e ideias", frisa nota divulgada pelo líder da bancada, Álvaro Dias, que completa.

"Como sempre, a bancada respeitará eventuais opiniões divergentes dos seus senadores. O partido confia na mudança e na afirmação do protagonismo ético do Senado, reafirmando seu compromisso com a independência  dos poderes e a governabilidade", finaliza.

A segunda maior é o PSD, do também sul-mato-grossense Nelsinho Trad, com 11. Porém, está já declarou voto em Rodrigo Pacheco (DEM-MG), que além do apoio de Davi Alcolumbre (DEM-AP), atual presidente, tem o aval de Jair Bolsonaro (sem partido).

Somando os 24 votos de MDB e Podemos, mais três do Cidadania, Simone Tebet alcança os 27 votos. Caso o PSDB confirme apoio a ela (sete votos), além de PSL (2), Rede (2), PDT (3) e PSB (1), a sul-mato-grossense somará 42 votos. Simone pretende também buscar apoio individual em siglas que já afirmaram que votarão em Pacheco.

O senador mineiro atualmente tem 39 votos, sendo seis do próprio DEM, 11 do PSD, sete do PP, seis polêmicos votos petistas, três do Pros, três do PL, dois do Republicanos e mais um ainda do PSC. As eleições acontecem em 2 de fevereiro.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário