A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

21/10/2011 09:14

Prefeito veta projeto que proíbe máquina de preservativos em escolas

Wendell Reis
Prefeito defende distribuição com orientação para alunos do Ensino Médio (Foto:João Garrigó)Prefeito defende distribuição com orientação para alunos do Ensino Médio (Foto:João Garrigó)

O prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho (PMDB), vetou o Projeto de Lei Complementar 276/2010, que veda a instalação de máquinas dispensadoras de preservativos em órgãos municipais, bem como na rede pública e particular de ensino de Campo Grande.

A Prefeitura justifica o veto com a alegação de que a vedação generalizou a rede pública e a particular, sem citar os Centros de Educação Infantil, que a prefeitura entende se tratar de um grupo de pessoas que não se encontram em condições, principalmente de idade cronológica, para tal abordagem. Além disso, justifica que o texto ressalta apenas as Unidades Básicas de Saúde, o que é um erro, pois veda a campanha no Hospital do Homem, Hospital Dia e Centro de Especialidades Médicas que já desenvolvem.

O prefeito faz questão de justificar que não é radicalmente contra o projeto e defende uma proposta que atinja o ensino fundamental. Porém, entende que a distribuição deve ocorrer com a devida orientação pedagógica aos adolescentes e jovens do ensino médio em diante, pois os mesmos são alvos de campanha do Governo Federal na discussão do acesso aos direitos sexuais e reprodutivos, bem como a prevenção das doenças sexualmente transmissíveis.

O projeto de vetar as máquinas foi bastante debatido na Câmara Municipal, envolvendo, inclusive, questões religiosas. Entretanto, durante a votação, apenas o vereador Loester (PMDB) foi contra, alegando que o veto as máquinas pode contribuir para o aumento da quantidade de mães grávidas e sem condições de criar o filho.

Após a aprovação do projeto na Câmara Municipal, o prefeito anunciou que faria uma pesquisa com a população, pois entende que o assunto é polêmico e gostaria de conhecer a opinião popular. O projeto que proíbe a instalação das camisinhas é de autoria dos vereadores João Rocha (PSDB), Paulo Siufi (PMDB) e Herculano Borges (PSC).



Sr. prefeito, escola não é lugar para se destribuir camisinha, para que existem as drogarias, postos de saúde? ESCOLA é para ensinar, O Sr. Ezio José disse tudo, faço das palavras d"ele a minha.
 
gloria aparecida em 22/10/2011 11:07:24
Essa questão é claramente de saúde pública. O prefeito tem razão, a câmara abordou o assunto com um viés religioso. Tem de haver um apoio pedagógico na distribuição dos preservativos. Informação sempre é bem - vinda
 
joao celber em 21/10/2011 12:44:24
Acredito que a banalização do sexo deva ser levado em consideração, antes de discuitir sobre a institucionalização das referidas máquinas é necessário uma reflexão sobre o que esta sendo feito para educar os jovens sobre o tema, oportunizando a escolha e o discernimento sobre o assunto. Deve ser abrangente e igualitária as ações, concordo com o veto dentro do que foi escrito.
 
CLAUDIO MOREIRA em 21/10/2011 11:58:46
na minha opiniao maquina de camisinha nas escolas seria um desperdicio de dinheiro publico pois a maioria dos alunos pegariam as camisinhas apenas para brincarem
 
fernando abreu em 21/10/2011 11:31:07
Lamentavel, sua atitude sr. prefeito, Como pai e religioso, com muito orgulho, lamento profundamente. Vetando o projeto o sr. esta promiscuindo ainda mais nossos jovens e os colocando de frente com banalização, imagina uma criança de 10 ,11 ou até mesmo 12 anos convivenso com maquinas estimulantes de sexo livre.
 
Pedro Souza em 21/10/2011 11:30:00
fornecer preservativos nas escolas é o mesmo que incentivar ainda mais os jovens,aproveita e fornece roupas sexy tbm ,o que vai dar de alunos faltando aula,mas como ja estamos na éra do apocalipse,que se faça!parabens aos que são contra,meu total apoio.
 
Lucas da Silva em 21/10/2011 11:28:29
E utopia achar que adolecentes e jovens usaram camisinha sem orientação e concientização dos riscos das doenças e gravides indesejadas.
 
Ester Menacho em 21/10/2011 11:08:24
Muito sensata a postura do prefeito, ainda mais diante do despreparo dos nossos vereadores em preparar um lei "redonda", que é visivelmente excludente e preconceituosa. O prefeito vai além do que eles veem e consegue enxergar a situação de forma mais abrangente. Espero que ele seja valorizado por isso. parabéns, Nelsinho.
 
Elisabeth Conrado em 21/10/2011 10:59:05
A Educação se centra na formação do ser humano, especificamente na construção da personalidade, enquanto o Ensino reflete o processo de otimização da aprendizagem (aprendência), a qual ajuda na formação do ser humano, mas não o define. Já a Instrução é uma forma de manifestar-se o ensino, onde se focaliza os aspectos de conhecimentos e saberes da realidade objetiva e subjetiva, que complementam o treinamento e a formação qualificada.
 
Ezio Jose em 21/10/2011 10:24:56
Não deveria utilizar-se o termo Educação como sinônimo de instrução ou ensino, ao menos seria factível a palavra composta "Educação Escolar" o qual cientificamente falando, implicaria outra coisa diferente de ensino ou instrução.
Educação, por si só, vem do seio familiar.
 
Ezio Jose em 21/10/2011 10:24:16
Sou à favor da instalação de tais máquinas em motéis, hotéis e lupanares. Para esses lgares vamos com a intenção ou com a possibilidade de fazer uso de preservativos.
Quando vou às igrejas, tenho uma intenção que é orar e introspectar-me. Quando vou à escola tenho outra intenção, estudar e buscar conhecimentos anquilo que a grade escolar cabe-nos ensinar.
 
Ezio Jose em 21/10/2011 10:22:51
Parabéns prefeito por saber diferenciar as questões de saúde pública das religiosas. Infelizmente alguns vereadores tem conduzido as questões na câmara somente com interesses eleitoreiros: agradando os religiosos e desrespeitando o princípio constitucional de Laicidade do Estado. Que ótimo que em 2012 poderemos usar a arma poderosa que é o voto para demonstrar nosso descontentamento.
 
Cristiane Duarte em 21/10/2011 09:40:23
Faca de dois gumes!
 
Luciano Bandeira em 21/10/2011 09:25:18
Achar que um casal de adolecentes de 17, 18 anos não faz sexo é coisa de cego.Incentivar a erotização precoce também é ruim, nesse aspectos os vereadores tem razão.
Correto seria distribuir as camisinhas para estudantes do segundo grau.Seria bom senso,melhor que proibir.Nossa camâra alías, parece uma convenção mariana, sempre indo pro lado mais radical nessas questões, nunca com equilibrio.
 
Paulo Lima em 21/10/2011 06:37:13
Parabens prefeito Nelsinho...! ADOREI SUA CORAGEM E BOM SENSO
ABAXO A HIPOCRISIA E O FALSO MORALISMOOOOOOOOOOOOOO.....
 
vera lucia silva em 21/10/2011 06:26:20
Excelentíssimo Sr. Prefeito, acabo de saber de seu veto ao projeto de Lei que proibi"ria" a distribuição de camisinhas nas escolas. Como mãe, futura pedagoga e fiel católica estou PROFUNDAMENTE DECEPCIONADA com sua decisão. Expresso aqui minha VERGONHA diante de tal fato. Saiba que o senhor acaba de dar mais um passo para a DESTRUIÇÃO moral da juventude que, aliás, está quase esfacelada.
 
Alinny Aparecida em 21/10/2011 04:57:36
Qualquer projeto sempre tem um pra dizer que é 'deseperdício de dinheiro público' ou que 'tem coisas mais importantes'. É de saúde que estamos falando, colocar preservativos nas escolas e torná-los mais acessíveis a pessoas que estão iniciando a vida sexual. Não dá pra negar isso. É constrangedor pra um adolescente adquirir a camisinha num posto ou farmácia. Quem quer fazer sexo vai fazer.
 
Murilo Ferreira Borges Delmondes em 21/10/2011 03:43:48
Imagina uma criança de 5 anos de idade pegando uma camisinha na escola para usar!!! Isso é um absurdo colocar camisinha nas escolas, só falta colocar um cartaz próximo as camisinhas com o dizer: "Façam sexo crianças!!!".
Nosso país é uma vergonha mesmo!!!
 
Sergio Padilha Ohland em 21/10/2011 03:29:19
Sou aluna do Ensino Médio e sei que atualmente os jovens estão sim fazendo sexo mais cedo sem precisar de uma "influencia" das autoridades. Distribuindo ou não as camisinhas eles vão fazer sexo, não adianta. Então já que isso é um FATO, não é melhor conscientizar e garantir que esse ato seja seguro?
 
Thais Soares em 21/10/2011 03:21:37
Sou a favor das máquinas de preservativos nas escolas de Ensino Médio, não só das máquinas, tem que ter todo um acompanhamento e uma conscientização sobre o assunto.
E não tem dessa de 'estão influenciando os nossos jovens a fazerem sexo mais cedo, se for assim, distribuam roupas sexys também'.
 
Thais Soares em 21/10/2011 03:17:59
Parabéns ao nosso prefeito e aos vereadores que racionalmente vetaram as instalações de maquinas para distribuição de preservativo. A muito tempo a administração da nossa capital tem sido louvavel por muitos dos seus acertos. Quero ressaltar que precisamos ainda caminhar a passos largos para o MELHORAMENTO DAS CONDIÇÕES DE SAÚDE E PRINCIPALMENTE AO ATENDIMENTO NOS POSTOS SAÚDE.
 
Ludervan Lara em 21/10/2011 01:54:22
Excelentíssimo Sr. Prefeito, acabei de tomar conhecimento de seu veto ao projeto de Lei que proibi"ria" a distribuição de camisinhas nas escolas. Como mãe, futura pedagoga e fiel CATÓLICA, estou PROFUNDAMENTE DECEPCIONADA com sua decisão. Expresso aqui minha VERGONHA diante desse veto. Saiba que o senhor acaba de dar mais um passo para a DESTRUIÇÃO moral da juventude.
 
Alinny Aparecida em 21/10/2011 01:31:33
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions