A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

11/03/2014 09:40

Presidente da Câmara e líder do prefeito quase partem para briga em Água Clara

Leonardo Rocha

A sessão ordinária de ontem (10), na Câmara Municipal do município de Água Clara, quase termina com atos de agressão entre os vereadores Alfredo Alexandrino dos Santos (PSC), presidente da Câmara, e Eulo Ferreira dos Santos (DEM), líder do prefeito.

A confusão só não teve um desfecho maior, porque os outros vereadores entraram no meio e evitaram a troca de agressão entre os parlamentares. O episódio aconteceu após ofensas e ataques entre os vereadores, que estão em lados opostos na disputa política no município.

De acordo com Eulo Ferreira, a discussão começou após ele apresentar um requerimento pedindo a relação dos servidores e funcionários contratados pela Câmara, além dos valores gastos com estas ações.

O líder do prefeito também questionou os “gastos” feitos pela Casa no último ano, assim como as condições que está o legislativo municipal, que segundo ele, precisa de reformas e outras melhorias.

“Fiz apenas meu papel de vereador que é fiscalizar as ações tanto da prefeitura como da Câmara, não temos gabinete e nem assessores, o presidente (Câmara) não gostou de ser questionado e resolveu atacar”, contou ele.

Logo depois dos discursos dos vereadores, o presidente da Casa fez o discurso final, onde questionou as dúvidas do colega e ainda fez críticas ao atual prefeito, Silas José da Silva (PSDB).

“No discurso dele, o vereador fez insinuações e deixou nas entrelinhas que o prefeito estava surrupiando dinheiro público, como líder (prefeito) pedi a palavra, mas ele resolveu terminar a sessão, foi então que começou a confusão”, disse Eulo Ferreira.

Ataque – O presidente da Câmara, Alfredo Alexandrino, afirmou que o líder do prefeito só começou a questionar as ações da Casa, porque foram indeferidas duas diárias dele pelo legislativo.

“Foi por isto que ele resolveu atacar a Câmara, mas a sessão foi normal, todos falaram e fiz meu discurso por último, ele ainda queria defender o prefeito, mas já havia encerrado a sessão, então por eu ser policial (civil), começou a dizer que o local não era delegacia”.

Alfredo diz que o fato foi lamentável, mas que não passou de uma discussão mais ríspida e não pretende dar prosseguimento a esta discussão. Já Eulo Ferreira apenas ressaltou que caso seu requerimento não seja respondido, vai acionar o MPE (Ministério Público Estadual).

Em Água Clara existem 9 vereadores, sendo seis da base do prefeito e três da oposição, justamente estes estão a frente da mesa diretora da Câmara Municipal.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions