A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

31/05/2012 18:15

Propaganda de programas em TV e rádio dá vantagem a candidatos

Fabiano Arruda
Adesivos dos vereadores Paulo Siufi e Herculano Borges no estacionamento da Câmara Municipal de Campo Grande. (Foto: Minamar Junior)Adesivos dos vereadores Paulo Siufi e Herculano Borges no estacionamento da Câmara Municipal de Campo Grande. (Foto: Minamar Junior)

Candidatos a eleição municipal em Campo Grande que possuem programas de rádio e televisão levam vantagem em relação aos concorrentes no período pré-convenções.

Antes do início do jogo eleitoral, eles já estão com o nome na rua, pois utilizam adesivos em carros com a marca dos programas, o que os coloca em evidência.

Os adesivos divulgam também quem não está na tv, mas não dispensa as redes sociais na internet e divulga seu endereço, como é o caso do deputado federal e pré-candidato à Prefeitura de Campo Grande, Edson Giroto (PMDB). É possível ver adesivos, aos montes nas ruas, que pedem para o eleitor o seguir pelo Twitter.

É o mecanismo encontrado numa época em que as restrições são muitas, mas em que é preciso aparecer o quanto antes numa eleição tão disputada.

Apresentador de um programa de televisão, o deputado estadual Marquinhos Trad (PMDB), embora fora da disputa em 2012, acredita que a situação é delicada e que não há como proibir a divulgação. “Eleitor vota em número”, pontua, destacando que, caso a propaganda não contenha número, não há como configurar irregularidade.

Candidato à reeleição à Câmara Municipal de Campo Grande, o presidente da Casa de Leis, vereador Paulo Siufi (PMDB), afirma que chegou ao legislativo municipal, ontem, cartilha de recomendações aos parlamentares sobre o assunto.

Sobre carros que possuem adesivos de seu programa, minimizou a questão. “Vivo num País democrático. Não vejo problemas, desde que a legislação permita”, comenta.

No entanto, Siufi admite que pagou multa relativa a propaganda “Campo Grande eu Sou”, segundo ele, articulada por seus pacientes. “Só não pode haver dois pesos e uma medida. Paguei a penalidade porque existem momentos em que é melhor o silêncio do que 100 palavras”, completou.

Vereador Paulo Siufi afirmou que não vê problemas na propaganda desde que a legislação eleitoral permita; TRE/MS deve analisar caso a caso e não tem definição se o mecanismo configura campanha eleitoral antecipada.Vereador Paulo Siufi afirmou que não vê problemas na propaganda desde que a legislação eleitoral permita; TRE/MS deve analisar caso a caso e não tem definição se o mecanismo configura campanha eleitoral antecipada.

Indiferente - Do lado dos candidatos que não possuem a vantagem do veículo de comunicação, a questão parece não incomodar. Pelo menos na opinião dos vereadores e candidatos à reeleição, Paulo Pedra (PDT) e Marcos Alex (PT).

“As pessoas reclamam quando não estão no poder. Acho que o candidato tem é que trabalhar”, disparou Pedra, considerando que a questão “faz parte do jogo”.

Para o pedetista não é “só dinheiro” que envolve uma campanha, mas o trabalho é determinante e diz não se sentir em desvantagem. “Temos que lutar com as armas à nossa disposição”, pontuou.

Já Alex pregou que a liberdade de expressão é fundamental e que também não se considera menor na disputa. “O cidadão tem que diferenciar o político do apresentador do programa. De minha parte tenho é que trabalhar pela reeleição”, disse.

Nas ruas - Indagados nas ruas sobre o assunto, eleitores também se mostraram divididos em enquete realizada pelo Campo Grande News.

A costureira Gregória Cespedis, 48 anos, considerou que os candidatos que têm programas em rádio ou televisão levam vantagem. “Quando a pessoa não tem opinião formada pensa em votar logo naquele que você vê e ouve todos os dias”.

Da mesma visão partilha o vendedor ambulante José Carlos dos Santos, 37 anos. Ele considera que os meios de comunicação influenciam muito na campanha.

Já Jorge Marcos da Silva, 51 anos, avalia que os “candidatos apresentadores” não levam vantagem. Para ele, determinante para definir seu voto são as propostas do programa eleitoral.

Legislação - Sobre o assunto, o juiz Alexandre Correa, da 53ª Zona Eleitoral de Campo Grande, explicou que, até agora, não chegaram ações questionando a utilização deste tipo de propaganda.

Além disto, explicou que o TRE/MS (Tribunal Regional Eleitoral) analisa as ações caso a caso, pois é um conjunto de ações que devem ser analisadas para determinar prática de campanha eleitoral antecipada.

Pela legislação eleitoral, programas que possuem o nome do candidato devem sair do ar em 1º de julho. Nos demais casos os candidatos devem se licenciar da função de apresentador assim que tiverem suas candidaturas homologadas pelas convenções partidárias.

Reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, diz Meirelles
A reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, de acordo com o ministro da Fazenda Henrique Meirelles. A declaração foi dada na noite de...
Quanto mais reforma demorar, mais dura será correção, diz ministro
Caso o governo não consiga aprovar a reforma da Previdência ainda este ano, conseguirá em 2018, disse hoje (11) o ministro do Planejamento, Dyogo Oli...


Na minha opinião radialistas, atores de TV, apresentadores e qualquer pessoa da mídia deveria ser proibida de concorrer a cargos públicos, pois é uma concorrência desleal. O camarada tem um programa no rádio, ou na TV, fica dando dentaduras de graça (e muito mais) e falando que faz e acontece para depois se cadidatar. repare na quantidade de políticos que tem origem na mídia.

O povo não vê nada!
 
José Luis Pissin em 01/06/2012 12:29:31
Vereador tem que trabalhar na Câmara, não na TV ou na rádio. Chega de reeleger vereadores! Precisamos de gente nova! Chega de mais do mesmo!
 
Luis Azevedo em 01/06/2012 11:02:57
AS PESSOAS ESTÃO ESPERTAS, NAO E UM ADESIVO OU UMA VOZ BONITINHA QUE VAI ENGANAR AS PESSOAS ELAS SABEM QUEM TRABALHA REALMENTE E QUEM NAO TRABALHA.
 
tatiana colman em 01/06/2012 10:55:23
Quando não se pode ganhar votos concorrendo em igualdade, alguns tem que apelar para o jeitinho. Quem tem trabalho não precisa disso, o povo conhece...

O medo de perder tira a vontade de ganhar. (Wanderley Luxemburgo)
 
Filipe Alberto em 01/06/2012 10:28:57
Se alguem esta esperando algo do TRE, puxe uma cadeira e sente. A letargia das "autoridades" de nosso Estado assusta e indigna. A verdade é que faz tempo que vivemos nesse descaso, esse desmando... a JUSTIÇA só vai enxergar depois de um transplante de "córneas". Parodiando o poeta "vou me embora pra Passargada, lá sou amigo do rei...."
 
eduardo em 01/06/2012 10:13:45
Marquinhos Trad cada dia que passa vem abrindo a boca e mostrando realmente QUEM É. Depois da desculpinha do seu voto contra processarem Puccinelli, dando uma de Pedro Bó e desconhecendo a figura do vice, agora isso. Isso sem falar nas reclamações sobre o pobre salário que recebe, insuficiente para custear todas suas despesas e afins.
Olha, não tem que salve não.
 
Mário Lupertino em 01/06/2012 08:29:34
O Povo é embalado ainda, mas há muita gente na imprensa que ganha para divulgar candidatos, quando falando bom dia para o fulano, cicrano, isso faz propaganda. Eu conheço gente suspeito e rico sem justificar de onde pareceu tanto dinheiro em tão pouco tempo. O povo tem que aprender a ler e investigar antes de votar.
 
luiz alves em 01/06/2012 08:22:00
É vergonhoso que o TRE não faça nada a respeito....
 
ricardo rodrigues em 01/06/2012 08:18:47
Uma pergunta: essas boas ações que os "políticos jornalistas" fazem nos programas, com dar cadeira de roda, bolo de aniversário, não seria uma compra de voto oculta?!
 
Marco Antonio em 01/06/2012 04:34:39
É óbvio que levam vantagem, ainda mais num país onde a cultura do povo é ínfima, com uma ignorância enorme. Existe politico aí que as vezes fico pensando como é que ele arranja tempo para ser politico, pois é programa na tv, programa no radio, enfim... Aí sempre com aquela carinha de bom samaritano dizendo que faz o bem a população. Arram...
 
Thiago Kalunga em 01/06/2012 03:46:38
O Ministério Público eleitoral deveria agir de ofício nestes casos, é notório que são pré candidatos a Vereador e estão fazendo campanha e propaganda eleitoral antes do prazo determinado por lei, portanto, passíveis de impugnação no futuro e multa pesada agora.
 
MAURO DELI VEIGA em 31/05/2012 09:44:36
É UMA VERGONHA O QUE ESTÁ ACONTECENDO, ESTÃO FAZENDO CAMPANHA ANTECIPADA COM CERTEZA, USANDO OS PROGRAMAS COMO ENGODO, MAS A POPULAÇÃO SABE DISSO E A RESPOSTA SERÁ NAS URNAS. TODO MUNDO VÊ E SABE QUE É ANTECIPAÇÃO DE CAMPANHA POLÍTICA, SERÁ QUE O TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE MS NÃO VIU?. DEVERIA O AUTOR DA REPORTAGEM MANDAR PARA O PRESIDENTE DO TRE/MS TOMAR PROVIDÊNCIAS, CASO SEJAM P.-CANDIDATOS
 
MAURO DELI VEIGA em 31/05/2012 09:35:18
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions