A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

08/07/2013 09:21

Sobre denúncias, Santini afirma que capital social não mede capacidade

Leonardo Rocha e Jéssica Benitez
Procurador afirma que se empresas descumprirem tarefas, a prefeitura pode rescindir os contratos (Foto: divulgação)Procurador afirma que se empresas descumprirem tarefas, a prefeitura pode rescindir os contratos (Foto: divulgação)

O procurador geral do município, Luis Carlos Santini, afirmou hoje antes de iniciar audiência da CPI do Calote, que não se pode medir a capacidade de uma empresa por seu capital social. A resposta veio após denúncias de que as empresas Salute Distribuidora de Alimentos e Mega Serv firmaram contratos “emergenciais” com a prefeitura, apesar de terem capital muito inferior aos montantes pagos pelo Município.

Capital social é o montante necessário para se constituir e iniciar as atividades, ao contrário do capital de giro, que se refere aos valores que são precisos em caixa para pagar todas as contas e investimentos.

“Se a gente colocar na balança, empresas como Bradesco e Votorantim tem capital menor que suas movimentações, não se pode medir a sua capacidade por este parâmetro”, explicou ele. De acordo com Santini, caso uma das empresas descumpra com suas obrigações, a prefeitura pode rescindir o contrato sem problemas. “Estamos fazendo o estudo e acompanhamento dos trabalhos, tudo está sendo analisado”, ponderou.

O procurador ainda argumentou que a Salute foi escolhida porque ofereceu o serviço mais barato e que a qualidade do seu produto está sendo analisado. “Existem apenas dois critérios para fazer a contratação, estar regularizado com o INSS e FGTS, as empresas estão aptas”, indicou.

O vereador Marcos Alex (PT), líder do prefeito, salientou que esta “desconfiança” acontece porque a empresa é nova e a prefeitura preferiu mudar. “Tem pessoas que preferem ficar com os velhos, não é pelo fato da empresa começar agora que esta não seja capaz”, ressaltou.

A Salute tem capital de R$ 50 mil e terá pagamento total de R$ 1,5 milhão, isso sem licitação. Entre as entregas que deverão ser feitas pela prestadora de serviço, estão quase 20 mil quilos de frango, mais de 40 mil pacotes de biscoito, 46 mil quilos de feijão carioquinha, entre outros alimentos que também devem ser entregues em grande demanda. 

Já a Mega Serv levará mais R$ 4 milhões para limpeza de postos de saúde, apesar de o capital ser de R$ 600 mil.



Ela não venceu a licitação, ela foi beneficiada por oferecer um preço menor, mas dizer que capital social não representa nada é balela procurador, se receber o dinheiro e não cumprir vcs vão receber de quem o prejuízo, capital de 50 mil, para receber 1,5 milhões, desculpe mas ai tem maracutaia.
 
odair rosa em 09/07/2013 10:42:40
Quer dizer que empresas ME não podem vender no estado e prefeituras? Não podem crescer? O procurador ta certo. A empresa venceu a licitação. Agora é só fiscalizar para ver se a mesma entrega tudo certo conforme o contrato. Ainda bem que foi empresa daqui que ganhou.
 
Placida Barros em 08/07/2013 15:20:35
AH!... ele tem uma outra visão dos fatos...que coisa, ne ? Pensa diferente ...vejo que não
vai dar em nada...e no fim todos juntos, a mesma coisa...
 
Vera Lucia Dias em 08/07/2013 13:30:49
Na realidade, o que se percebe é que esta nova administração não sabe nem preparar editais. Verifica-se que os alimentos solicitados não exigem nada em termos de vitaminas e outros, necessários ás crianças da faixa etária que atingem.
 
Sandra Ocampos Pinto em 08/07/2013 12:44:51
Vão fazer de tudo para tentar encobrir as investigações da saúde, os culpados de nome, o aumento de 60% nos salários. Eu não esqueci e vou lembrar sempre nas próximas eleições.
 
luis alves em 08/07/2013 11:14:43
Se estes nobres vereadores estão questionando, podemos ficar tranquilos porque com certeza esta empresa não é dos cupinchas. O que não pode é faltar merenda para os pequenos o parece que esses vereadores estão querendo.
 
jonas alves em 08/07/2013 11:13:58
Engraçado Senhor Procurador... por que então a empresa Salute, que nem da licitação do frango participou, recebeu o direito de vender para a prefeitura??? Isso é legal para o senhor??? Por que que ainda falta carne, frango, verdura nas creches, se essas empresas de capital tão pequeno... são tão competentes pra furar a fila de empresas que já fornecem para essa administração???
 
Fidelcina Verônica Sanches em 08/07/2013 10:18:36
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions