A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

14/08/2013 17:58

Corte de árvores em terreno da prefeitura causa polêmica entre vizinhos

Bruno Chaves
Lanchonete foi construída com permissão da prefeitura, dizem vizinhos (Foto: Cleber Gellio)Lanchonete foi construída com permissão da prefeitura, dizem vizinhos (Foto: Cleber Gellio)

A poda de árvores em um terreno que fica na Vila Progresso, em Campo Grande, causa polêmica entre vizinhos que moram e trabalham na região. Um leitor do Campo Grande News disse que a área pertence a prefeitura e que dois homens derrubaram as árvores do terreno para construírem uma lanchonete e uma serralheria clandestinas no local.

O terreno que virou alvo de confusão fica no cruzamento das ruas Dona Dorinha de Figueiredo e Oclécio Barbosa Martins. O leitor ainda disse que tentou denunciar a poda ilegal à prefeitura, mas não obteve êxito.

A reportagem foi ao local verificar a situação e encontrou o casal Marco Antônio Depieri, 40 anos, e Sandra Depieri, 41. Eles disseram que são donos da serralheria que funciona no local. “Estamos aqui há 20 anos”, disse Marco.

“O terreno é da prefeitura, mas estamos aqui legalmente”, completou a mulher. Ela disse que a limpeza na área é feita por ordem da Vigilância Sanitária do município diante da infestação de escorpiões.

“Mas as árvores frutíferas são mantidas”, afirma Sandra, mostrando as espécies que dão manga, acerola e ingá. Ela conta que chegou até procurar a prefeitura para ver a possibilidade de podar uma árvore de ingá, que “está torta e pode cair sobre as casas da frente”, mas o corte foi negado.

Lanchonete – Apesar de ser dono da serralheria, Marco conta que a lanchonete pertence a outro homem, conhecido como Nando. “Ele limpou o terreno e pagou uma máquina, com o dinheiro do próprio bolso, para tirar o entulho daqui que os próprios moradores acumulam”, relatou Marco.

Ele disse que Nando se instalou no local com permissão da prefeitura. Por isso, o homem já começou a erguer o novo estabelecimento comercial. Nando não foi encontrado pela reportagem para comentar o caso.

“Essas limpezas são benefícios até para os próprios moradores que reclamam e, em vez de trabalharem, ficam fazendo denúncias erradas”, opinou Sandra.

A assessoria de imprensa da prefeitura não foi encontrada para comentar o caso.



Campo Grande se mostra mais uma cidade sem lei, onde é possível uma serralheria a céu aberto ter alvará da prefeitura para funcionar exalando cheiros horriveis e tóxicos para adultos e crianças fora a poluição sonora, mais invadir um local onde deveria ser um local de lazer para toda a população se transformou num comércio totalmente irregular onde nem a prefeitura nem a policia toma atitude,ai vem mais um aproveitador da situação, já que a praça não tem dona e a prefeitura não está nem ai, coloca um trailler de lanche ,mais dois banheiros de alvenaria e uma fossa, que ameaça o lençol freático de água já que ali próximo passa um rio,e outra, na rua existe esgoto tratado ,então não seria necessário fazer fossa ou melhor ..ta tudo errado ,né!Pra quem devemos pedir que a lei seja comprida?
 
Raquel Daiana Trevisan em 15/08/2013 17:33:05
nunca houve disputa pelo local mas sim muito descaso dos próprio moradores, o dono da serralheria esta ali a muitos anos e porque não falaram nada, só agora quiseram se manifestar, há!!! já sei, é porque ficou limpo e bem arrumado o local, o interesse de menos de meia dúzia não são as arvores frutíferas, mas sim em cuidar da vida alheia o que fiz no local não foi benfeitoria só para mim mas para todos os moradores também inclusive ao menos de meia dúzia.
 
ernande r. conceição em 14/08/2013 21:34:14
realmente como a moradora disse além das casas estarem cheias de escorpião também tinham caramujos e no local era ponto de prostituição e abrigo para usuário de drogas todos que residem, passam ou já passaram no local sabem com toda certeza disso inclusive os comerciantes do local. Era depósito de lixo doméstico como sofá, entulho, de restos de obra, pneus, vasos sanitário que consequentemente geravam muitos focos da dengue, limpei o local com recursos próprio tirei somente o lixo não resido no local mais fiz o que muitos moradores queriam fazer mas não tiveram força e coragem. Não derrubei arvores frutíferas tirei o matagal que era imenso e agora que fiz ,tudo isso um ou outro morador quer falar porque não chamaram a imprensa pra denunciar a prefeitura ou a prostituição e outras coisas
 
ernande r. conceição em 14/08/2013 21:19:13
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions