A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

22/03/2013 19:43

Atraso nos portos eleva em 66% o custo do frete da soja que sai de MS

Nícholas Vasconcelos
Espera já elevou frete em R$ 80 e diminuiu preço da saca em R$ 2. (Foto: Divulgação)Espera já elevou frete em R$ 80 e diminuiu preço da saca em R$ 2. (Foto: Divulgação)

O atraso para descarregar nos portos de Santos (SP) e Paranaguá (PR) aumentou em R$ 80 o custo total do frete da soja que sai de Mato Grosso do Sul. Segundo o sistema Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul), o valor da tonelada passou de R$ 120 para R$ 200. Ou seja, o encarecimento do produto em 66%, reduz a competitividade do produto sul-mato-grossense no mercado internacional.

A demora para carregar os navios fez com que a China deixasse de comprar 2 milhões de toneladas de soja brasileira. A medida também causa reflexos em MS e provoca a queda em R$ 2 pelo preço da saca de 60 kg.

“É necessária uma atitude imediata, para que nos próximos anos os produtores não sofram os mesmos problemas que enfrentamos hoje”, analisou o diretor do Aprosoja/MS (Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul), Lucas Galvan. Ele lembra que o prazo para a instalação de um porto gira em torno de sete anos.

Com as dificuldades logísticas, parte da produção da safra 2012/13 do Estado ficará retida dentro de MS, o que poderá provocar aumento da oferta de produto, diminuindo o preço, que hoje é de R$ 50. E caso a soja não seja totalmente exportada até o início da colheita do milho safrinha, MS poderá ultrapassar seu limite de armazenagem.

O presidente da Aprosoja/MS, Almir Dalpasquale, lembra que o prejuízo dos produtores sul-mato-grossenses está ligado diretamente à ineficiência logística do Brasil e que se os navios com soja não forem liberados, haverá impacto na safra do milho.

“É uma pena chegarmos nesse nível após tantos anos alertando quanto aos problemas de logística. É uma perda para nação e não só para os produtores”, comentou.

De acordo com a Famasul, aproximadamente 75% do volume da soja do Estado foi exportado via Paranaguá e Santos, condição que deve se repetir no escoamento desse ano. Os portos de São Francisco do Sul (SC), Vitória (ES) e São Luís (MA) respondem pelas demais 25% da soja escoada de MS.



O BRASIL, É UM PAÍS, ABENÇOADO POR DEUS, MAS INFELIZMENTE OS ADMINISTRADORES PÚBLICOS, DE PRESIDENTE DA REPÚBLICA A PREFEITOS, SÃO OLHOS TAPADOS, POIS VÊEM O BRASIL, EXPORTAR MATÉRIA PRIMA, SEM INDUSTRIALIZÁ-LAS, E PENSAM QUE ESTÃO FAZENDO UM GRANDE BENEFÍCIO, MAS NA VERDADE, ESTAMOS ALIMENTANDOS OS VIZINHOS, E O PAÍS FICANDO COM FOME, EXPLORADO, COMO SEMPRE FOI, DESDE O SEU DESCOBRIMENTO, POLÍTICOS, ACORDEM, MAIS INDÚSTRIAS DE MATÉRIAS PRIMAS EM TODOS OS ESTADOS E EM TODOS MUNICÍPIOS, VEJA O CASO DA SOJA, MILHO, FERRO BRUTO, E OUTROS PRODUTOS QUE SAEM DO PAÍS, LÁ FORA ELES, BENEFICIAM, GERAM EMPREGOS, N. DERIVADOS, E NOS REVENDEM A EXCREÇÃO, FIQUEM DE OLHOS, SOMOS AINDA UM PAÍS EXPLORADO, QUE DEUS ABENÇOE, QUEM TIVER ENTENDIMENTO.
 
PEDRO BRAGA em 23/03/2013 09:32:39
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions