A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

08/05/2014 12:55

Funerais de 4 vítimas de acidente com 11 mortes são realizados, após 5 meses

Bruno Chaves
Acidente ocorreu no dia 17 de dezembro de 2013 (Foto: Rádio Caçula)Acidente ocorreu no dia 17 de dezembro de 2013 (Foto: Rádio Caçula)

Mais quatro vítimas que morreram carbonizadas em um acidente envolvendo uma van do Shopping Popular de Três Lagoas e uma carreta carregada de carne, ocorrido em 17 de dezembro de 2013, foram identificadas pelo IMOL (Instituto Médico e Odontológico) nesta semana, cerca de quatro meses após a colisão. Ao todo, 11 pessoas perderam a vida na tragédia que aconteceu na BR-267, em Casa Verde.

Veja Mais
Tragédia completa 2 meses e 4 corpos carbonizados ainda não foram identificados
Quatro vítimas de acidente que matou 11 continuam sem identificação

Os corpos de Rafael Moraes da Silva, o “Chipálio”; Douglas Alexandre; Samuel Fernandes de Pinho; e Huang Tasan Ming chegam hoje (8) a Três Lagoas – a 338 quilômetros de Campo Grande, onde as vítimas moravam com a família. A cerimônia fúnebre ocorrerá ainda nesta tarde na Câmara Municipal da cidade.

Conforme divulgou a Rádio Caçula,o horário oficial do sepultamente ainda será divulgado. No entanto, a expectativa é de que ocorra às 17h de hoje ou na manhã desta sexta-feira (9) no Cemitério Municipal Santo Antônio, no bairro Santa Luzia.

Cada um dos corpos será colocado em um caixão diferente. Os restos mortais serão calcificados e uma foto de cada vítima ficará exposta, em cima do caixão, para as últimas homenagens.

O IMOL de Campo Grande recebeu cinco corpos do acidente que matou 11. Dos cinco, apenas um foi identificado com rapidez e liberado para a família: o da vítima Fabiano Bastos Malaquias. Os outros ainda passam por processo de identificação que durou quase cinco meses.

“Os corpos foram carbonizados completamente. A parte muscular e as vísceras viraram, literalmente, carvão. Só permaneceram os ossos. O trabalho com DNA a partir do osso é extremamente difícil e quando o osso passa por uma alta temperatura acaba degradando o DNA. Dessa forma, a qualidade e a quantidade do DNA diminuem. É daí que vem a dificuldade da identificação”, explicou, em fevereiro, o coordenador geral de pericias do Estado, Nelson Fermino Júnior.

Acidente – A van transportava comerciantes de Três Lagoas, quando colidiu de frente com um caminhão com placas de Dourados, atrelado ao baú com placas de Douradina. Após o acidente os dois veículos pegaram fogo. A maioria dos ocupantes morreu carbonizada.

Outras duas vítimas, uma mulher e um adolescente que estavam no caminhão foram socorridos até o Hospital Regional de Nova Andradina. O caminhão transportava cerca 30 toneladas de charque. A van seguia duas vezes por semana para o Paraguai, onde os comerciantes compravam produtos para serem revendidos no Shopping Popular.

Das 11 vítimas, três tiveram os corpos liberados para a família no dia seguinte. São eles Miguel Benites Meireles, 38 anos, e os comerciantes Adilson Rodrigues de Souza, 45, e Antonio Pereira Carneiro.

Tragédia completa 2 meses e 4 corpos carbonizados ainda não foram identificados
Quatro famílias de pessoas que morreram carbonizadas no dia 17 de dezembro de 2013, em um acidente envolvendo uma van com comerciantes de Três Lagoas...
Vídeo mostra incêndio de veículos em acidente que matou 11 na BR-267
Um vídeo, gravado por uma equipe do site Rádio Caçula, de Três Lagoas, mostra o local do acidente entre uma van e uma na BR-267, entre Nova Casa Verd...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions