A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

04/06/2012 17:55

Médica indiciada por morte de estudante era ríspida com pacientes, diz delegado

Viviane Oliveira
Delegado disse que vai encaminhar uma cópia do inquérito para o CRM (Conselho Regional de Medicina). (Foto: Rodrigo Paniazo)Delegado disse que vai encaminhar uma cópia do inquérito para o CRM (Conselho Regional de Medicina). (Foto: Rodrigo Paniazo)

A médica infectologista Caroline Franciscato, de 31 anos, denunciada pelo erro médico que causou a morte de uma universitária de 19 anos, no hospital João Darci Bigaton, em Bonito, cidade distante 257 quilômetros de Campo Grande, era ríspida com pacientes e não aceitava questionamentos por parte deles.

Veja Mais
Indiciada por homicídio doloso médica que deu dipirona a paciente alérgica
Médica denunciada por morte de universitária deixou hospital de Bonito

A informação foi na tarde de hoje (24) durante coletiva de imprensa na DGPC (Diretoria Geral da Polícia Civil). De acordo com o delegado responsável pela investigação Roberto Gurgel, durante oitiva os pacientes relataram o comportamento da médica. Alguns pacientes disseram que deixaram de ir ao hospital por causa dela, que era plantonista desde 2010.

A profissional aplicou dipirona na paciente mesmo constando no prontuário de Letícia Gottardi Correa que era alérgica ao medicamento. Segundo o delegado, Letícia passou por quatro atendimentos no hospital. Primeiro e último foi atendida pelo médico plantonista Iber Gomes Sá Netto e terceiro e quarto pela médica Caroline.

“A paciente acompanhada pelo sogro, Sami de Souza Mustafá, deu entrada na sexta-feira à noite – no dia 6 de abril, com dores abdominais e foi atendida pelo doutor Iber que constatou que era alérgica a dipirona. Ele receitou outros medicamentos e anotou atrás do prontuário alertando sobre a alergia”, disse o delegado.

Letícia foi encaminhada a sala de emergência suspeita de apendicite. Foram solicitados pelo médico vários exames. No sábado de manhã a menina retornou, novamente com o sogro, ainda reclamando de dores – como já havia ocorrido à troca de plantão foi atendida e medicada pela doutora Caroline.

Delegado mostra prontuário, onde está escrito que a paciente era alérgica ao medicamento. Delegado mostra prontuário, onde está escrito que a paciente era alérgica ao medicamento.

Para a Polícia, o sogro afirma que avisou a médica que Letícia era alérgica a dipirona, no entanto a paciente recebeu o medicamento e foi liberada. “No hospital é praxe o paciente aguardar 30 minutos no hospital após receber a medicação”, pontua Roberto.

Quatro horas depois, Letícia retorna com o noivo, Kalil Mirandola Mustafá, reclamando que as dores estavam mais intensas. Novamente é atendida pela médica que repete a dose de dipirona e de dorflex – medicamento que contém dipirona. “O atendimento durou de 9 a 12 minutos. Como que uma médica ignora uma paciente que está reclamando de dores desde as 17h do dia anterior”, questiona.

Na última ida ao hospital, no mesmo dia, Letícia volta a ser atendida pelo médico Iber, já passando muito mal, ele pede um raio-x e constata que a paciente está com água no pulmão.

Ao ver que ela foi medicada com dipirona, o médico foi categórico em afirmar que escreveu no prontuário que Letícia era alérgica ao medicamento. “O resultado da perícia comprova que a acadêmica morreu de choque anafilático – reação extremamente aguda, o estágio mais grave das reações alérgicas, explica o delegado”.

O laudo afirma que a estudante morreu porque ingeriu dipirona. A médica foi indiciada na última sexta-feira (1º) por homicídio doloso, por dolo eventual, quando a pessoa assume o risco de matar. O Hospital João Darci Bigaton, informou que rescindiu o contrato com a médica desde o mês passado. Ela vai responder o inquérito em liberdade.

Em depoimento, a médica afirma que não sabia que a paciente era alérgica. “Ela alega que não viu no prontuário”, conta, acrescentando que as idas da paciente ao hospital foram registradas pelas câmeras de segurança do hospital.

“Mais de 14 horas de imagens nos auxiliaram e deixaram claras às informações que não batia com depoimento da médica”, finaliza.

Caso - Letícia Gottardi Côrrea morreu no dia 7 de abril, após quatro idas ao hospital. No prontuário da paciente constava que a jovem era alérgica à dipirona.

No entanto, os documentos também comprovam que Letícia recebeu, a mando da médica, duas injeções com o medicamento. O resultado preliminar da causa da morte foi choque anafilático.




Continuando:
7 - cade o indiciamento do Hospital, no primeiro médico, da enfermagem, dos auxiliares?
8 - Será que a paciente é mesmo alérgica? Tenho inumeros amigos com a mesma patologia e na aplicação em 15 minutos já há reação alérgica.

Não acredito no dito popular a voz do povo é a voz de DEUS, erro cruel, não podemos julgar sem ter fundamentos importantes para termos uma opinião formada.
 
André Santos em 25/06/2012 10:52:20
O meu Deus como as pessoas tomam as dores dos outros, sem nem se preocupar em estudar o caso ou ter a visão dos dois lados:
1 - A paciente Leticia, passou pelas mãos de quantas pessoas? vamos protocolos de atendimentos, não só a médica como a equipe pode auxiliar nas informações, se houve ou não a informação da alergia, por que a enfermeira não auxiliou.
 
André Santos em 25/06/2012 10:46:56
Vai ficar por isso mesmo pois os médicos de um modo geral parecem que estão trabalhando de graça.Mas essa Caroline ñ vai dar em nada não.Se os médicos negligentes e barbeiros fossem penalizados com certeza ñ teria essa negligencia toda
 
ana carolina correa em 23/06/2012 03:33:06
ATE OS ANIMAIS SAO BEM MAIS ASSISTIDOS PELOS VETERINARIOS,DO QUE NOS SERES HUMANOS POR NOSSOS *MEDICOS*,TA PARECENDO QUE TRABALHAM DE GRAÇA,QUE ISSO?QUE VERGONA....
 
rosillene cruz em 06/06/2012 10:13:06
Meus sentimentos às famílias, tanto da vítima como da Dra. Infelizmente há médicos "antipáticos" e descuidados no Brasil inteiro. Uma sugestão para os pacientes que não são bem tratados pelos doutores: há como relatar e reclamar de um mau atendimento aos órgãos competentes. No caso dos Postos de Saúde, reclamem por escrito e protocolem na Prefeitura da Cidade em questão.
 
Simone Salles em 06/06/2012 10:00:01
Adir Jorge Diniz respeito sua opinião, mas discordo. Médico tem que ser simpático sim! Simpático, eficiente e responsável. Qdo procuramos um atendimento médico é porque estamos precisando. E o acolhimento é a primeira parte do tratamento, pois nos sentimos melhor quando bem recepcionados! Se fosse a passeio iríamos a um Shopping e não a um hospital ou posto de saúde, certo? Bom Dia!!!
 
Simone Salles em 06/06/2012 09:52:00
OS MÉDICOS DE HOJE EM DIA , NÃO ESTÃO NEM AI COM OS PACIENTES, TRATA TODOS COMO SE FOSSEM BOSTA, TEM UM MEDICO LA NO POSTO CORONEL ANTONINO, UM BUGRE QUE NÃO TA NEM AI PRA NINGUÉM, NEM OLHA PARA O PACIENTE.
 
FABIANO SANTOS em 06/06/2012 09:42:07
É aterrorizante imaginar q não só a vida de Letícia mas, as nossas vidas estão nas mãos de profissionais como este q tem como missão salvar vidas no entanto, sem compaixão nenhuma e responsabilidade brincam com a vida de seus pacientes. Q justiça seja feita neste caso. E Deus nos livre de profissionais desta qualidade.
 
rosmary castanho em 06/06/2012 09:20:54
Trata-se de homicídio culposo. Sejamos pragmáticos e objetivos, o fato da rispidez e má educação não tem nada a ver com fato, que é puramente um caso de homicídio e por isto que ela será julgada, ou não, conforme inquérito.
 
Márcio de Araújo Pereira em 06/06/2012 09:18:53
A EM CAMPO GRANDE TAMBEM TEM UMA DOUTORA JAQUELIM QUE ATENDE DESSE JEITO GROSSA .QUE ATENDE NO POSTO DO CAIÇARA.
 
celma saraiva leite em 06/06/2012 08:34:23
Indicia-la sim por homicidio, mas a meu ver não doloso (com intenção). Homicidio doloso sem motivo ou raiva extrema da paciente? Acredito que tenha havido omissão da médica em não prestar atenção ao prontuário, mas dizer que foi doloso é muito pesado. O justo seria indicia-la por homicidio culposo (sem intenção). Sejamos justos.

 
claudio duailibi em 06/06/2012 04:40:53
A primeira coisa que deveria ser feito é CAÇAR o diploma dessa pessoa que diz ser MéDICA porque se não daqui pouco já está clinicando em outro lugar + ainda que vai responder em liberdade....vê se pode...
 
ana de souza em 05/06/2012 12:05:13
Juliana ! é muito dificil acontecer de um médico entregar o seu coléga de profissão,quase sempre encobrem, tbm pela ética da profissão,mas tenho visto que alguns medicos com diploma suspeito tem participado de atendimento aos que precisam ser atendidos pelo SUS,o amor pela vida do próximo quase não existe, o dinheiro fala mais alto,sinto pela garota,essa ''médica???''tem que pagar na justiça.
 
Marcela Pereira Cardoso em 05/06/2012 11:27:40
Tem uns médico que acha que é Deus e outros pensam que são Deus.
 
Cida Barros em 05/06/2012 11:26:05
SE Ñ GOSTA DO Q FAZ,ENTÃO VÁ PROCURAR AO Q GOSTE!!PQ PRA LIDAR COM SERES HUMANOS TEM Q GOSTAR DO Q FAZ,SENÃO SAI ESSE TIPO DE PROFISSIONAL(SE Q PODEMOS CHAMAR DE PROFISSIONAL)DE MERDA!!!
 
Edilene P Da silva em 05/06/2012 11:20:51
A vida da letícia naum volta mais. Mais é preciso ser feito algo pq todo dia a população sofre com o mal atendimento na saúde. O trabalho do delegado Roberto Gurgel deve ser exemplo em todo país e a polícia deve apurar essa máfia branca que existe. E agora CRM vai ficar quieto? Quero ver se vai proteger essa ai.
 
Ludmila Peixoto em 05/06/2012 10:48:14
UÉÉ ..?? Como Assim " Médico Não Tem Que Ser Simpático " ?? Ele é Um Profissional Que Trabalha Com Pessoas e Que Naquele Momento Estão Bastante Fragilidade Por Algum Problema de Saude , Então Ele Tem Por Obrigação Tratar Muito Bem Essas Pessoas , e Não Acabar de Matar. Amigo , Presta Bem Atenção : A Simpatia e o Bom Senso é Bem Vista e Cabe em Qualquer Lugar. Todo Mundo Aceita na Boa.
 
Gildo Oliveira em 05/06/2012 10:39:20
- É como diz o jargão, tão conhecido, tão atual e tão verdadeiro: "A SOBERBA PRECEDE A RUÍNA".... sempre, e tá evidenciado pelo fato de que vez ou outra um soberbo que se acha um Deus tá quebrando a cara. Tenho dito.
 
Zuza Ratier em 05/06/2012 10:36:17
Que Conversa é Essa Que "Médico Não Tem Que Ser Simpatico" ? Ta Enganado Amigo. A IGNORANCIA e a ARROGANCIA é Que Esta Nos Levando a Cada Que Passa Pra Esse Mar de Violencia Em Que Vivemos. Ninguem Tem Bom Senso Com Ninguem Por Causa De Pessoas Como Essa Médica Aí. E De Pessoas Que Concordam Com o Pessimo Comportamento Dela.
 
Ana Luiza em 05/06/2012 10:32:58
Médico e Qualquer Outro Profissional Tem Que Manter Um Minimo de Simpatia Sim. Tem Que Saber Tratar as Pessoas Sim. Caso Contrario Vai Entrar Numa Guerra , Pois Ninguem Gosta de Ser Maltratado e Menosprezado Por Ninguem. Depois Que Alguem Fala Umas Verdades Pra Servidor Publico Corre o Risco de Ser Preso. Amigo , é o Seguinte : Num Tá Baum , Pede Pra Sair.
 
Gilberto Bras em 05/06/2012 10:26:44
Quem conhece a sua ignorância revela a mais profunda sapiência. Quem ignora a sua ignorância vive na mais profunda ilusão. (Lao Tsé)
NEI SALVIANO
 
zildeneis salviano em 05/06/2012 09:07:00
Parabens ao Delegado que trabalhou direito no inquérito , só espero que o CRM tambem faça o mesmo e puna exemplarmente éssa pseudo médica e não receite apenas o coorporativismo que é de praxe do mesmo.
 
João Norberto em 05/06/2012 09:06:04
Parabéns Polícia Civil. São investigações como estas que nos confortam diante de tamanha barbárie. Uma jovem perdendo a vda por uma ação dessa. Nos resta confiar em profissionais como este Delegado e na Justiça, apesar de que a vida dela não volta mais.
 
Alexandre Benites Souza em 05/06/2012 09:04:22
Parabéns ao Dr. Roberto Gurgel pela investigação, agora e esperar que esta pessoa que se diz medica, seja condenada com pena máxima e perca seu diploma.
 
Maria Cristina Nantes em 05/06/2012 08:21:31
Medico nao tem que ser simpatico tem que ser eficiente....tomara que ela se ferre pois nao era nem uma das duas coisas...sera que realmente era medica
 
Adir Jorge Diniz em 05/06/2012 07:38:41
sabemos sim que o atendimento nos hospitais e postos é muito precario medicos que acham que estao fazendo favor. esta na hora de mudar mas amor e dedicaçao com certeza tudo ira mudar
 
marco antonio borges em 05/06/2012 07:27:48
Ela errou porque se acha superior as outras pessoas, fazendo o que quer sem ninguém questionar suas decisões. Ela errou porque não leu o prontuário da paciente, achando q todo mundo se trata com dipirona pq tem dor. Ela errou porque não sabe diagnosticar um paciente corretamente. O DIAGNOSTICO É A BASE DE TUDO! É ATRAVÉS DELE QUE SE DA O TRATAMENTO! Quantos erros são cometidos e ninguém sabe?
 
Vanderson Roger Fávaro em 05/06/2012 06:23:17
poxa gente, pegue leve ai ! ! ! O delegado já fez a parte dele, agora o advogado de defesa fará o dele e em seguida o meretissímos juizes ou juiz. Vamos acompanhar com muita dor pelo fato irreparavel, uma condenação não trará a Leticia de volta eu sei, e dentro daquela sala de atendimento só Deus sabe o que aconteceu, explicar o inexplicável, como ? Gente vamos ter misericordia do ser humano ! ! !
 
LUIZ TORRES em 05/06/2012 05:49:02
Lindas palavras Daniel de Souza, porém, a vida de Letícia não volta e a família vai ter que se acostumar com esta dor. A diferença é que em outros trabalhos podemos errar e não matamos, na medicina não. Se ela é tão boa assim, como errou daquela forma????
 
José Ricardo Gonzales em 05/06/2012 04:28:00
ninguem, e sim, ela se preparou e muito para salvar vidas. É apenas uma pessoa que estava batalhando como qualquer outro trabalhador, com os riscos da profissão. Sinto muito, meus sentimentos aos pais da jovem e linda Leticia Gottardi, que Deus o justo juiz lhes confortem e com a sua infinita Graça venha preencher o vazio que invade suas vidas
 
DANIEL DE SOUZA em 05/06/2012 03:58:00
continuando, então igual o sentimento da perda da Leticia Gottardi, vamos respeita-la e deiar que a justiça dos homens e acima de tuda de Deus o todo poderoso cuide.
Tenho certeza que as duas famílias estão sofrendo muito, é uma dor que parece que não ter fim, a perda de uma pessoa tão querida dá a impressão que o amanhã chegará. A dra. Caroline naquele dia também não saiu para tirar a vida de
 
DANIEL DE SOUZA em 05/06/2012 03:53:08
Tomara que o MP siga o entendimento do delegado e denuncie a médica por homicidio doloso. Quero ver ela se absolvida no juri. Pode até ser absolvida no CRM, mas a população não. Esse delegado deveria trabalhar na investigação dos caixas eletrônicos explodidos aí sim alguém seria preso.
 
Cássio Queiroz Lacerda em 05/06/2012 03:52:00
Respondendo à todos comentários: A Dra. Caroline Franciscato estudou muito para estar exercendo a profissão, adquiriu CRM por mérito, tem várias teses divulgada na internet, midia (só pesquisar), vem de uma familia humilde, de carater e idônea. Porém antes de ataca-la pense bem srs e sras, certamente os Srs. são profissionais em alguma àrea, cometem erros, tem família, tem amigos, sentimentos, etc
 
DANIEL DE SOUZA em 05/06/2012 03:47:42
Parabéns para a Polícia Civil isto sim é um trabalho bem feito não ficar prendendo máquininha de música ou eletricista pobre. Quando a Polícia faz um trabalho errado sempre tem gente criticando, agora quando faz um trabalho exemplar é preciso reconhecimento. Que outros delegados sigam o exemplo deste ai investigando sem medo todos os fatos sem distinção.
 
Aline Silva Bastos em 05/06/2012 03:09:00
Jamais imaginei ver uma situação assim. É muito triste saber que pessoas que deveriam cuidar das nossas vidas acabam agindo de forma a fazer com que percamos o nosso maior bem. Parabéns para este Delegado que teve coragem de enfrentar a situação sem medo de apurar os fatos por se tratar de médica. No Brasil só pobre sente a força da justiça, neste caso foi diferente.
 
Thiago Galindo em 05/06/2012 03:01:59
Concordo com vc Antonio q justica seja feita,,, que esses péssimos profissionais possam sumir do mercado trabalho,, pois ´população ta cheia de mal profissionais,, filhinhos papai q as vezes formam pór obrigacao pra nao contrariar os pais depois trabalham de má vontade,, exercem profissão com má gosto,,,,Xega de impunidade,,,
 
Rosilene leonel em 04/06/2012 10:46:48
Essa médica parece uma , já senhora, que atende no posto ( 24 horas ) do vila almeida, vive mal humorada e trabalhar ( atender ao povo ) para ela parece ser uma penosa, dolorosa, insuportavel, fatigante, miseravel e ingrata missão. So espero que ela não venha matar alguém.
 
carlos alberto arruda de campos em 04/06/2012 10:09:47
A médica Caroline Franciscato foi muito displicente ao não levar em consideração a alergia da paciente.
Uma vez sabendo, acredito que haja dolo por parte dela, ou seja, ela agiu conscientemente do risco.
Ela deve arcar pelo ato praticado e consequentemente pela morte prematura da jovem.
 
José Carlos de Almeida em 04/06/2012 09:23:30
E quanto ao CRM ? E o Conselho Federal de Medicina? Vão permitir que essa moça apareça em outro pequeno municipio, cheio de pacientes crédulos na carinha bonitinha da moça, que correrão o mesmo risco de morte?
 
Aline Fontes Alves em 04/06/2012 08:49:00
Claro que esta médica tem que pagar pelo erro grave que cometeu, mas tenho minhas duvidas uma pessoa da classe médica ser condenada no Brasil rsrsrsrsrs, ela certamente tera penas alternativas coisa e tal.
 
Carlitos Leite em 04/06/2012 08:34:14
Será que o alérgico à dipirona não foi escrito depois que o negócio começou a feder?
Quem garante QUANDO foi escrito isto??
O primeiro médico foi o mesmo que usou o prontuário no último atendimento...
 
Juliana Maria em 04/06/2012 07:14:09
Torci muito para ela ser indiciada por homicidio doloso.AGORA TORÇO PRA JUSTIÇA SER FEITA E ELA PEGUE PENA MAXIMA, ALEM DE SER CAÇADA E NAO PODER ATUAR COMO MEDICA.
J-U-S-T-I-Ç-A !!
 
Antonio Ferreira em 04/06/2012 06:57:18
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions