A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

20/02/2015 06:23

É possível morar em um container com a cara de uma casa convencional?

Veja quais são as principais dúvidas de quem escolhe esse sistema construtivo

Ângela Kempfer
Casa em Mogi, por R$ 230 mil.Casa em Mogi, por R$ 230 mil.

Com valor cerca de 20% mais baixo e a rapidez na execução da obra, o que ainda afasta muitas pessoas de uma casa container é a ideia de viver em um caixote. Pelo menos é indicam e-mails e questionamentos feitos ao Lado B depois de matéria publicada sobre a modalidade de construção.

Veja Mais
Em meio às mansões do Nasa Park, surge uma casa construída em container
Com 10 mil reais, casal compra container e abre lanchonete em tempo recorde

Mas é possível optar por esse tipo de projeto sem perder o jeito de casa ampla, confortável, com muitas possibilidades estéticas e funcionais, inclusive, sem a estrutura do container à mostra.

O problema é que a obra fica mais cara, pelo acabamento em grafiato, por exemplo, ou uso de gesso no interior do imóvel. Outra alternativa para acabar com o aspecto industrial é o vidro nas fachadas, em grandes aberturas.

A referência em Mato Grosso do Sul no assunto, o arquiteto Celso Costa Filho, da Costa Container, não tem problemas com a versão mais comercial da proposta sustentável. Ele desenvolve projetos Brasil afora e tem tantos outros concluídos, residenciais e comerciais, em diferentes estilos.

Em Brasília, um acabamento diferenciado deixou a obra R$ 45 mil mais cara. Em Campo Grande, na Mostra Casa Cor 2014, a construção da bilheteria custou R$ 16 mil a mais por conta do acabamento.

Residência com acabamento que transforma container em aspecto de casa convencional.Residência com acabamento que transforma container em aspecto de casa convencional.
Fachada de casa em condomínio de Mogi.Fachada de casa em condomínio de Mogi.

Para a transformação, é possível abrir várias janelas ou portas, o que remete à outra dúvida cruel sobre o sistema, o conforto térmico. Segundo Celso, o ar condicionado não é obrigatório para quem quiser morar em uma casa assim, porque a temperatura interna pode ser até 12°C mais fresca que do lado de fora.

Outra pergunta frequente é sobre as dimensões de uma casa container. Alguns reclamam de aspecto de “corredor” mobiliado ou de grandes caixotes. Mas Celso garante que com 2 containers pode fazer uma obra de 120 metros quadrados, por exemplo, ao gosto do cliente.

Tem gente que fala até em riscos de raio, O que gerou uma resposta padrão no site da empresa de Celso: “Os riscos são os mesmos de uma casa convencional de alvenaria, mas as casas de container, geralmente, ficam suspensas do solo, apoiadas em pilares de concreto ou sobre dormentes de madeira, que aumentam ainda mais a segurança em caso de raios”.

Em condomínio fechado, no meio de tantas residências convencionais, a proposta pode ser uma solução. Em Mogi da Cruzes das Cruzes (SP), um casal sem filhos aceitou a ideia e se instalou em uma casa container. È um sobrado, com despensa, cozinha, sala de TV, suíte, um quarto e varanda, além de closet e banheiro, ao custo de R$ 230 mil. São 136 metros quadrados, a partir de 2 containers marítimos. Tudo em terreno de 10x25.

Celso começou a experiência por Bonito é o grande defensor desse sistema construtivo, não só como estratégia para baratear custos, mas para economizar o meio ambiente. Além de reutilizar estruturas que já não servem para o transporte de carga, há uma redução, inclusive, no consumo de água, algo mais do que preocupante nos dias atuais.

“A proposta é de uma obra seca. Um metro cúbico de concreto utiliza em média de 160 a 200 litros de água. No sistema de container não existe isso, porque não precisamos de água para levantar a casa”, explica.

Hoje, na lista de trabalhos de Celso há biblioteca, hotel em Três Lagoas, escola de inglês em Sorocaba (SP), casa em Atibaia (SP), em Cotia (SP), Ouro Preto (MG) e algumas extravagâncias. “Tem uma casa preta, branca e vermelha, feita a pedido de um são paulino”, conta o arquiteto.

 

Obra em Brasília, toda com containers,Obra em Brasília, toda com containers,
Escola de inglês projetada por Celso em Sorocaba.Escola de inglês projetada por Celso em Sorocaba.
Fundos com muitos vidros em outro projeto sustentável.Fundos com muitos vidros em outro projeto sustentável.



Sinceramente, eu acho que não vale a pena, 20% a menos é pouco para deixar de morar em uma casa e morar num container, digo que é pouco pela acústica, deve entrar mais som do que em uma casa de alvenaria, pela temperatura, imagina o sol de Campo Grande batendo o dia todo sobre uma casinha de lata e sim, pelo espaço que nunca será igual ao de uma casa feita de acordo com suas necessidades, se a economia fosse algo do outro mundo, tipo 60%, ou seja, sai por menos da metade de uma casa normal, aí sim ficaria interessante, fora isso, é só o modismo mesmo.
 
Max em 20/02/2015 08:15:17
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.