A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 28 de Fevereiro de 2017

02/09/2013 13:49

Crescimento dos smartphones impulsiona novas tecnologias

Por Dane Avanzi (*)

Segundo informações da consultoria IDC, a preferência dos brasileiros por smartphones, pela primeira vez na história do setor, superou os celulares tradicionais no segundo trimestre de 2013. Ainda conforme a consultoria, as vendas desses aparelhos cresceram nada menos que 110% em relação ao mesmo período do ano passado. Enquanto isso, os celulares tradicionais registraram queda de 35% em comparação ao segundo trimestre de 2012.

Tal performance dos smartphones é fruto de diversas conjunturas. Podemos citar como principal exemplo o aumento de novas linhas registradas no mês de julho desse ano. Segundo a Anatel, o Brasil já possui aproximadamente 267 milhões de linhas de telefonia móvel ativas, com adição de 1,26 milhões no mês. A expansão da base sobre junho foi de 0,47%, enquanto o crescimento em doze meses ficou em 4,1%. Afora isso, houve a desoneração de smartphones fabricados no Brasil, fato que possibilitou o barateamento dos equipamentos.

Do total de linhas móveis no país em julho, mais de 211 milhões são linhas pré-pagas, representando 79,23%, enquanto pouco mais de 55 milhões são pós-pagas, o que equivale a 20,77%. O total de linhas pré-pagas subiu 1,2% em doze meses, enquanto o de linhas pós-pagas avançou 16,9%. Tais fatos demonstram que o consumidor começou a fazer contas e a entender que as tarifas dos planos pré-pagos são muito maiores que as do pós-pago.

Indicam também que vários serviços disponibilizados na internet podem ajudar o consumidor a economizar, graças a aplicativos gratuitos como o What’s Up e Skype, que permitem a comunicação de voz e envio de mensagens ilimitadas com custo zero. Tais dispositivos tem causado a diminuição da receita das operadoras de telefonia móvel, no que tange aos serviços de mensagens de texto.

Além das tecnologias da informação e comunicação acima citadas, muitos serviços disponíveis na “Cloud” foram incorporados aos hábitos dos usuários brasileiros. Me refiro as redes sociais, serviços de armazenamento de arquivos como o iCloud da Apple, o Skydrive da Microsoft ou o Google Drive da Google. Tais serviços permitem que o usuário acesse seus conteúdos em qualquer lugar a qualquer tempo. Em outras palavras permitem a “mobilidade”.

Segundo a Gartner, consultoria em tecnologia da informação mundialmente conhecida, a convergência de ferramentas, aplicativos, recursos de storage (armazenamento), ocorre hoje mediante a interligação e entrelaçamento de 4 “forças” ou “grandezas”, são elas: cloud, redes sociais, informação e mobilidade. Eis aqui o futuro das tecnologias de informação e comunicação ao alcance das mãos e do bolso do consumidor de telefonia móvel brasileiro.

Tal convergência de sistemas com tecnologias de transmissões e armazenamento de informações inauguram uma nova era da comunicação, bem como um novo estágio da capacidade humana de armazenar informações, processá-las, analisá-las e interelacioná-las em quantidade e proporções colossais. São desses contextos que emerge a “Big Data”, termo consagrado a aplicativos capazes de traçar perfis de comportamento do consumidor através de resultados obtidos em redes sociais, sites de busca, entre outros serviços da web. Logo teremos tanta informação armazenada e dissecada que será possível predizer uma série de eventos e fenômenos da vida. Em outras palavras, estamos na antessala da inteligência artificial.

(*) Dane Avanzi é advogado, empresário do Setor de Engenharia Civil, Elétrica e de Telecomunicações. É Diretor Superintendente do Instituto Avanzi, ONG de defesa dos direitos do Consumidor de Telecomunicações

A bolha da saúde brasileira está prestes a explodir
A crise econômica e o crescente índice de desemprego da população brasileira refletiram diretamente no setor da saúde. Recente estudo revelou que mai...
Marchinhas do coração
Sei que existem as marchinhas preferidas do coração. São as do passado ou do presente, mas não é delas que quero falar, e, sim, do sofrido coração br...
Reforma da Previdência: aprofundando o deserto na vida dos trabalhadores
O cinema enquanto “sétima arte” muitas vezes busca retratar realidades cotidianas na telona. Não foi diferente o filme “Eu, Daniel Blake”, ganhador d...
O dilema das prisões brasileiras
No último mês de janeiro assistimos, estarrecidos, às rebeliões nos presídios de Manaus, Boa Vista e Natal. As cenas de corpos sem cabeças chocaram a...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions