A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 26 de Fevereiro de 2017

18/01/2011 06:04

Dourados: se fosse para eleição ser assim, melhor um interventor

Por Elizio Brites (*)

Muito pífia as propostas dos candidatos ao mandato tampão. Não tem uma entrevista que possa demonstrar que os problemas serão resolvidos com firmeza e determinação, isso justifica a falta de interesse dos eleitores que ainda nem sabem direito quem são os candidatos.

Não bastasse isso tem as candidaturas enroladas da aliança com o PT/DEM e a candidatura própria do PT. O eleitor está confuso e não entende como ficará o vice do Murilo caso o Elias Ishy consiga positivar sua candidatura a prefeito.

Tem ainda a pergunta caso o Ishy concorra e vença a eleição, e a decisão judicial saia desfavorável a sua candidatura, será que o segundo candidato terá legitimidade para exercer o cargo? Caso isso ocorra como fica a vontade dos eleitores que votaram no Ishy? Não resta dúvida que fica aí uma confusão na cabeça dos eleitores, principalmente nos mais humildes que estão mais perdidos que cego em tiroteio.

Outra dúvida é se Ishy concorre à eleição, consegue positivar a chapa pura pelo PT, mas perde para Murilo, quem será o ou a vice do Murilo/DEM? Ficará o Prefeito que acaba de ser eleito sem vice? Complicado tudo isso.

O eleitor que tanto lutou por eleições diretas ao mandato tampão se sente frustrado porque em vez de solucionar os problemas que a cidade enfrenta pelo andar da carruagem tudo caminha para complicar ainda mais.

Se nessa eleição os partidos tivessem lançado candidaturas próprias para prefeito ao mandato tampão, os ânimos seriam outros e os prefeitáveis já teriam apresentados propostas ainda que produzidas por marqueteiros.

Se fosse para ter uma eleição de mentirinha era melhor termos um interventor que administraria Dourados com muito mais aceitação popular como vinha acontecendo com o Juiz Eduardo Machado Rocha como prefeito interino.

(*) Elizio Brites é empresário em Dourados (MS).

Reforma da Previdência: aprofundando o deserto na vida dos trabalhadores
O cinema enquanto “sétima arte” muitas vezes busca retratar realidades cotidianas na telona. Não foi diferente o filme “Eu, Daniel Blake”, ganhador d...
O dilema das prisões brasileiras
No último mês de janeiro assistimos, estarrecidos, às rebeliões nos presídios de Manaus, Boa Vista e Natal. As cenas de corpos sem cabeças chocaram a...
Desglobalização seletiva
Para muitos analistas, a desglobalização significa a tendência das nações se fecharem para o comércio internacional. Neste movimento estão incluídos ...
Terça-feira de carnaval não é feriado
Bem ao contrário do que a maioria pensa, a terça-feira de carnaval não é considerada oficialmente feriado nacional. O mesmo ocorre com a quarta-feira...



meu amigo empresário... colunista se julga tal pifia a eleição, os canidatos e suas propostas... por que então o senhor tão bem socialmente decidido não cria um pouco de coragem e filie-se a um partido político e faça sua parte concorrendo na função de candidato????? e assim alem dos impostos o senhor possa ajudar a resolver os problemas da cidade... grande empresário... risosssss
 
julio goes em 18/01/2011 10:16:56
Caro Elizio, a questão das candidaturas já está decidida pelo TRE/MS, o PT é vice na chapa do DEM, escolha muito mais do que digna e inteligente pois, Dourados não precisa de guerra de ideologias partidárias, mas sim da soma de todas as forças e união de todos os partidos para re-estabelecer a ordem moral e o crescimento que o povo douradense merece.
Dirigentes partidários que não aceitam coligação com A ou B é porque está pensando no próprio ego e não no povo que queira representar.
DOURADOS MERECE RESPEITO e o caminho é uma eleição equilibrada e com objetivos comuns para todos.
 
Roberto Manvailer Munhoz em 18/01/2011 07:45:15
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions