A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 16 de Novembro de 2018

25/08/2015 10:22

Gracias, Valdir Gomes

Por Heitor Freire (*)

Depois de um longo e tenebroso inverno, bota tenebroso nisso, o nosso Horto Florestal recebeu finalmente “um banho de loja”.

Um pouco de história: foi ali mesmo, onde nasceu a nossa cidade, na confluência dos córregos Prosa e Segredo que, em 1912, no dia 11 de outubro, o então Intendente José Santiago, reservou uma área de terras, dotada de características próprias de vegetação, onde os dois braços dos córregos se juntaram para dar origem a um rio de grande importância para a região, o Anhanduizinho. Certamente, o Intendente já vislumbrava ali área importante a ser preservada para Campo Grande.

No dia 11 de outubro de 2012, o nosso Horto completou 100 anos do ato de reserva da área, exatamente quando Campo Grande completou 35 anos de sua elevação a capital do novo estado, com a lei complementar nº 31 de 11 de outubro de 1977, que criou o estado de Mato Grosso do Sul, desmembrado do estado de Mato Grosso.

Em 1956, Antônio de Albuquerque, antigo funcionário da prefeitura, assumiu a direção do Parque Municipal. Daí, essa área de mais de seis hectares, passou a ser chamada de Horto Florestal e a constituir a sede do Serviço de Parques e Jardins da Prefeitura.

Suas características sempre se mantiveram preservadas, pois o Horto produzia muitas espécies de árvores para a arborização não só da cidade de Campo Grande, como também para as cidades vizinhas, inclusive Cuiabá, que na época era capital do estado.

O Horto tem como denominação Parque Florestal Antônio de Albuquerque, numa justa homenagem a quem tanto se dedicou à sua consolidação.

Na primeira administração de Antônio Mendes Canale, em 1963, Wisterman Chaparro foi admitido como funcionário da prefeitura, e logo depois assumiu o departamento de parques e jardins de Campo Grande. Foi o grande continuador da obra de Antônio de Albuquerque, com a mesma filosofia, trabalho e dedicação. O Chaparro chefiou esse departamento por mais de trinta anos.

E assim, ao longo dos tempos, o nosso Horto Florestal foi sendo administrado e cuidado pela prefeitura. Quando Juvêncio César da Fonseca foi prefeito, em 1995, o Horto recebeu a paginação atual com um projeto do arquiteto Élvio Garabini.
Na administração André Puccinelli foi novamente reformado sendo assinado um convênio com o Sesc que passou a gerenciar o Horto. Esse convênio não foi renovado durante o mandato de Nelson Trad Filho.E o parque ficou ao deus dará.

Ultimamente o Horto foi relegado a um abandono total. Agora, com o secretário da Semadur, Valdir Gomes, foi finalmente restaurado, faltando ainda alguns equipamentos nos banheiros, ou seja, faltam alguns detalhes. Mas o prefeito Gilmar Olarte, talvez na busca desenfreada para recuperar a sua imagem, decidiu inaugurar o Horto antes que ele estivesse totalmente pronto.

É próprio de alguns políticos agirem dessa forma. Na semana passada a presidente Dilma Rousseff inaugurou um trecho da transposição do Rio São Francisco que não está concluído ainda. É a busca da popularidade perdida. Atos como o da presidente e o do prefeito, longe de beneficiá-los, acabam distanciando-os cada vez mais do reconhecimento popular.

Mas hoje estou agradecendo ao secretário Valdir Gomes que, com todas as dificuldades de recursos, embora descaracterizando em parte a aparência original do parque, soube, com criatividade e competência, dar ao nosso Horto um aspecto limpo e agradável, recuperando a energia que ali sempre se manifestou. E já que está também recuperando as calçadas do entorno, poderia implantar o piso tátil.

Neste mês em que nossa linda e querida morena completa 116 anos, a população pode desfrutar novamente do Horto Florestal.

Gracias, Valdir.

(*) Heitor Freire é corretor de imóveis e advogado.

Triste boa notícia
A leitura é um dos maiores prazeres da vida. Mergulhar fundo no mar de palavras de belezas naturais, que ficam maravilhosas quando juntadas com maest...
Fim do Ministério do Trabalho: avanço ou supressão de direitos?
Numa eleição marcada por antagonismos e forte polarização, todo ato do presidente eleito tem sido motivo de fortes críticas, com especial endosso e e...
Brasil — Vocação para o progresso
Nas comemorações dos 129 anos da Proclamação da República, reflitamos sobre o papel do Brasil no contexto mundial, que é também o de iluminar as cons...
Eu sou eu e...
A busca de orientação para nortear nossas vidas nos proporciona caminhos os mais variados. Na medida em que essa busca se realiza por meios que se ba...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions