A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 28 de Março de 2017

08/12/2010 14:39

Mídia social como influenciador de compra

Por Everton Souza (*)

O poder de compra aliado ao testemunho social são o segredo para o boom de novas formas de venda online.

Mateus Ramos tem 25 anos e já não lembra mais quantas compras ele fez pela internet. Sua última aquisição foi um relógio que custa mil reais e pagou trezentos em um site de compra coletiva. Ele se diz tão satisfeito com as ofertas dos sites que frequentemente indica as promoções para seus amigos.

Matheus faz parte da Geração Y, nascida entre 1978 e 1990. Essa geração tem novos hábitos de consumo, um poder de compra que dita a face da nova economia. São jovens tecnológicos e na internet formam fortes grupos de opinião que diariamente exalta e sacoleja nomes e marcas em Trending Topics.

Esses movimentos são ditados pela experiência que têm diariamente com as marcas, de satisfação ou de frustração. Quando se sentem satisfeitos eles elogiam, recomendam, nas suas redes de relacionamento e os amigos fazem o mesmo. Quando essa troca é de experiências de frustração rebaixa uma imagem ao sarro e ao repudio.

O grande desafio das empresas hoje é desenvolver estratégias de comunicação voltadas a esse público, identificar suas necessidades e gerar experiências positivas na internet, motivando-os a recomendar seus produtos para sua rede de contatos.

Baseado nesse sistema, os sites de compra coletiva, que de julho a setembro cresceu certa de 231%, divulgam produtos e serviços de empresas locais com ofertas de 50 a 90% durante um curto período e pedem um número mínimo de compradores para ativar a promoção.

Motivados pelo desconto e pressionados pelo curto tempo de oferta, as pessoas fazem a compra e pedem auxilio de seus amigos para preencher o número mínimo e efetivar a compra.

Esse pedido se dá por publicações em seus perfis no Twitter, Facebook, Orkut e até por e-mail. Esse boca a boca tem surtido efeito, em recente pesquisa divulgada pelo Ibope Nielsen Online aponta que 5,6 milhões de pessoas acessam sites de compra coletiva, o que representa 14% dos usuários totais de internet.

Esses números provam o poder da coletividade na internet e quão vantajoso sistemas como destes sites podem ser sobre o fluxo de vendas de organizações que veiculam neles. Tornando vantajoso para todos os lados, tanto para a empresa quanto para o público.

(*) Everton Souza é gestor de Mídia Social no Clube Melancia – Compra Coletiva.

Eis que eu renovo todas as coisas ...
Neste início do outono, a estação mais bonita do ano para mim, aquela que considero “a minha estação”, há uma característica metafísica que a torna d...
Operação Carne Fraca: consequências
Passados alguns dias da deflagração da Operação Carne Fraca, a maior da Polícia Federal na sua história, é possível fazer uma análise preliminar de s...
Terceirização tira um dos obstáculos ao desenvolvimento do Brasil
A aprovação do projeto que regulamenta a terceirização é uma excelente notícia para o país. Ao mesmo tempo em que é decisiva para dar segurança juríd...
Glifosato: o veneno está em todo lugar
O primeiro teste em alimentos para resíduos de glifosato realizado por laboratório registrado na Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estado...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions