A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 21 de Junho de 2018

29/09/2015 16:32

O governo economizou com a greve do INSS

Por Jânio Batista de Macedo (*)

Faça as contas. Quase três meses de greve no INSS. O Governo Federal levou as negociações como diz minha mãe “no banho Maria” Sabe por que caro leitor?A greve no INSS, que começou no início de julho e acabou na segunda-feira (28) proporcionou ao Governo Federal uma economia de R$ 2,6 bilhões com benefícios que deixaram de ser pagos e de quebra ajudou a equipe econômica a conter o crescimento das despesas obrigatórias. E mole...?

Essa estimativa consta do Relatório Bimestral de Receitas e Despesas, documento do Ministério do Planejamento divulgado no último dia 22 com previsões sobre o Orçamento de 2015. No documento, o governo reduziu de R$ 438,8 bilhões para R$ 436,2 bilhões a projeção de pagamento de benefícios da Previdência neste ano. (Economia Ig)
Estava lendo o site Economia Ig, lá nos informa que de acordo com o Planejamento, a greve dos servidores do INSS foi a principal responsável pela queda nos gastos do Governo Federal.. A variação observada nessa projeção deve-se, sobretudo, à atualização dos dados realizados até o mês de Julho, considerando ainda o impacto da paralisação dos servidores do INSS.

Quem sofreu com a greve foram os beneficiários que precisavam receber os seus benefícios. A greve não interrompeu o pagamento dos benefícios de que já vinha recebendo, mas diminuiu a concessão de novos benefícios.

A corda arrebenta no lado mais fraco que são os contribuinte do INSS. Por que aeconomia com os benefícios não pagos aos novos beneficiários da Previdência ajudou o governo a segurar as despesas obrigatórias, que não podem ser cortadas. Segundo o Relatório de Receitas e Despesas, a estimativa de gastos obrigatórios para 2015 ficou praticamente estável, com queda de R$ 11,2 milhões em relação ao documento anterior, divulgado em Julho. O que o governo economizou com os benefícios da Previdência foi absorvido com o crescimento nos gastos de outros benefícios, como o seguro desemprego e o abono salarial, cuja projeção passou de R$ 45,8 bilhões para R$ 48,5 bilhões – crescimento de R$ 2,7 bilhões – por causa do aumento do desemprego.

Quem conseguiu dar entrada no processo, antes ou durante a paralisação, e tiver o pedido aprovado pelo INSS, receberá o benefício retroativo ao dia do primeiro agendamento. No entanto, quem não conseguiu fazer o primeiro agendamento durante a greve, não terá esse direito. Para essa parcela, a greve fez o governo adiar o pagamento da primeira aposentadoria ou pensão por quase três meses, economizando o dinheiro.

A volta dos servidores ao trabalho não significou o fim da “economia” para o governo. Com os médicos peritos do INSS parados desde o dia quatro de setembro, sem data para voltar, a concessão e a renovação do auxílio-doença ficam interrompidas. Enquanto governo e médicos peritos não chegam a uma solução, o governo continuará economizando à custa de quem espera o auxílio-doença. O saldo dessa greve será a desgraça do contribuinte que tanto precisa do beneficio. Recorrer a quem? Para quem acredita só Deus na causa.

(*) Professor Jânio Batista de Macedo, coordenador estadual do SINDNAPI MS (www.sindnapi.org.br)

 

Servidor público da Previdência Social
Os servidores da Previdência Social, em especial aqueles que trabalham no INSS, estão totalmente sem norte, em virtude das mudanças políticas promovi...
A receita da sorte
Somos seres dependentes da repetição. Desde nossos processos biológicos à necessidade de se estipular uma rotina mínima para que a civilização funcio...
Condução coercitiva e os aspectos jurídicos
Em que pese tratar-se de temática absorta pela legislação processual penal desde a década de 40 (especificamente 1942, quando da entrada em vigor do ...
A carne mais barata do mercado é a carne negra
Os números apresentados pelo Atlas da Violência de 2018 mostram a agudização nas tendências do perfil de assassinatos cometidos no Brasil: a vítima é...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions