A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 15 de Novembro de 2018

15/10/2015 10:52

O impacto do dólar no mercado de commodities agrícolas

André Lobo Faro

Nos últimos meses, a desvalorização do real frente ao dólar fez com que muitas empresas repensassem o seu plano de negócios para este ano. O objetivo de todos é evitar os prejuízos causados pela variação cambial. Porém, quando avaliamos o agronegócio brasileiro, notamos que o cenário é um pouco diferente e as perspectivas não são tão pessimistas.

Como exemplo, podemos avaliar o mercado do café, que, de acordo com o Conselho dos Exportadores de Café (Cecafé), estima exportar 35 milhões de sacas neste ano. A entidade destaca que, mesmo com a queda no volume exportado entre os meses de julho e agosto, a parcial das vendas de café verde ao exterior já supera os valores do ano passado em cerca de 20%.

Esse é um movimento que tem impacto direto na indústria de equipamentos, pois as fazendas estão apostando na mecanização dos processos para otimizar a produção. Um exemplo disso são as novas tecnologias como o Kit Café da Husqvarna, que pode ser utilizado por qualquer perfil de produtor, seja ele pequeno ou grande, com soluções voltadas para cada etapa do processo produtivo. De fácil manuseio e alta eficácia, o equipamento é capaz de proporcionar uma redução de até 50% nos custos de colheita.

Porém, não podemos afirmar que a desvalorização do real foi totalmente positiva ao agronegócio: na contramão, tivemos a elevação dos preços dos insumos agrícolas. Elevação esta que interfere diretamente nos custos de manutenção e faz com que parte dos lucros obtidos com o aumento das vendas seja destinada à compra de fertilizantes e defensivos.

Além disso, de acordo com a Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/USP), o PIB agropecuário deve chegar a R$ 1,2 trilhão em 2015, sendo a atividade agrícola responsável por 67% desse total. Ou seja, apesar de o país atravessar um momento de crise, com um cenário econômico instável e a moeda enfraquecida, podemos dizer que o agronegócio segue como a bda vez.

*André Lobo Faro é Diretor Nacional de Vendas e Serviços da Husqvarna, líder global no fornecimento de equipamentos para o manejo de áreas verdes e que comemorou 325 anos em 2014.

Triste boa notícia
A leitura é um dos maiores prazeres da vida. Mergulhar fundo no mar de palavras de belezas naturais, que ficam maravilhosas quando juntadas com maest...
Fim do Ministério do Trabalho: avanço ou supressão de direitos?
Numa eleição marcada por antagonismos e forte polarização, todo ato do presidente eleito tem sido motivo de fortes críticas, com especial endosso e e...
Brasil — Vocação para o progresso
Nas comemorações dos 129 anos da Proclamação da República, reflitamos sobre o papel do Brasil no contexto mundial, que é também o de iluminar as cons...
Eu sou eu e...
A busca de orientação para nortear nossas vidas nos proporciona caminhos os mais variados. Na medida em que essa busca se realiza por meios que se ba...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions