A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 23 de Maio de 2017

19/06/2014 08:58

Os cinco gols da copa do mundo!

Por Adriano Gonçalves (*)

Jogaço! Desta forma podemos definir o duelo na Copa do mundo no Brasil entre a última campeã (Espanha) e a vice-campeã (Holanda). Quem abriu foi a campeã com Xabi Alonso com cobrança de pênalti indefensável. Mas a Holanda correu atrás e fez honra a seu apelido “Laranja mecânica” - Van Persie encobriu Casillas de cabeça após passe de Blind. Esse foi o primeiro tempo. No segundo tempo, foi a vez de Robben marcar mais dois gols e Vrij deixar o seu registrado de cabeça sem contar o gol de bandeja que Casillas deu a Van Persie. Cinco gols da Holanda! Mas, acredito que outros cinco gols precisam ser tão comemorados tal qual os da Holanda, gols que sacudiram o coração e mexeu com a rede das emoções.

Gol da superação

Após trauma de infância, Edin Dzeko dá a volta por cima e vira o maior ídolo da Bósnia. Esta é a história de superação do jogador Bósnio que durante a guerra em seu país foi milagrosamente “protegido” pela mãe. Em um dia de sol típico para uma partida de futebol Edin pede a mãe para jogar bola com os amigos que, da janela de sua casa, vê os times sendo divididos para a “pelada”. Por uma intuição, sua mãe não o deixou ir. E da janela ele vê, com lágrimas nos olhos, todos os amigos serem assassinados, literalmente exterminados. Era para ele estar ali. Mas a mãe o defendeu.

Superar tal cena e ainda ser um grande jogador é ser não só sobrevivente da guerra, mas fazer das balas das armas as bolas da Copa!

Gol da igualdade

Outro momento marcante e bonito da Copa aconteceu na sexta-feira (13), mas só foi divulgado segunda-feira (16). Momentos antes de entrar em campo pela Austrália, que seria derrotada pelo Chile, o meio-campista Mark Bresciano deu show de solidariedade ao amarrar as chuteiras de uma criança deficiente. Pode ter perdido a partida, mas soube ganhar o reconhecimento como um grande ser humano! A rede da igualdade e solidariedade foi balançada.

Gol do abraço

Muitos abraços, muitos sorrisos. Como é bom perceber que os grandes não tem medo de se abaixar aos pequenos e ali no abraço entender que copa é mais que bola, é coração. Foi isso que David Luiz fez com o jovem Daniel Jr. E podemos nos perguntar: Quem é o grande? Quem responde é o próprio David Luiz

“Há coisas na vida que não tem explicação e ontem foi uma delas. Daniel Jr. eu queria te agradecer pelo exemplo de carinho, amor e dedicação. Foi um dia muito especial pra mim, um dia que me fez olhar pro céu e agradecer a Deus por ter o privilégio de levar essa alegria para muita gente. Jamais vou esquecer seu abraço!

#momentosinesquecíveis#euquesouseufã” Seu gol no campo pode não ter saído ainda... Mas, já marcou este golaço na vida!

Gol da família

Futebol+amigos+família: uma equação de muito amor! E quem marca o quarto gol foi a mãe de Julio César! Ela disse da sua dor quando seu filho deixou o Brasil para jogar na Europa e da vitória da Champion o grande grito do filho: “Quero ver minha mãe”. Futebol é também família. E na carta da mãe ao filho antes da copa traz a definição do filho: “Sempre foste responsável por todas suas obrigações”. Tal definição nos dá a certeza de que quem está no coração nunca está longe. Gol da família! Por traz de cada jogador uma história a ser contada!

Gol da amizade

O resultado importa muito em um jogo, isto é fato! Porém, a disposição de ser irmão, amigo fala alto. E por causa disso um grande gol foi marcado por quem não é jogador, mas que cuida da seleção canarinho como secretário especial da copa - Ferruccio Feitosa. Foi dele a idéia de entrar no campo com a mão no ombro um do outro. Em carta à seleção, ele propôs: “Permitam-me dar uma dica: entrar em campo de mãos dadas todo mundo já faz.

Sejam diferentes, exaltando e externando a irmandade entre vocês. Entrem em campo com uma das mãos no ombro de cada um (porque a outra já estará ocupada segurando a mão de uma criança). Isso tem um simbolismo muito forte. A mão, infelizmente, estendemos a qualquer um e hoje esse ato está banalizado, mas o nosso ombro damos somente a quem cofiamos e amamos, pois nos momentos de lutas é do ombro amigo-irmão que precisamos. Lembro que no momento do Hino Nacional vocês já unem os ombros abraçados."
Em tempos onde se usa as mãos para atacar, agredir e violentar dar os ombros é prova de que a fraternidade ainda anda em alta. A torcida compreendeu e no último jogo da seleção a torcida foi impactada por tal gesto correspondendo a proposta de ser irmão-amigo.

Foram cinco gols, que podem ter passado de maneira despercebida por muitos, mas de fato foram os gols que sacudiram as redes do coração do torcedor. Gols de humanidade que tiraram lágrimas dos olhos nos colocando em um campo novo onde o futebol continua sendo um lugar de encontro em meio aos desencontros. Ainda estamos no começo da Copa, mas já deixo a dica: qual gol será o seu?

Tamu junto!

(*) Adriano Gonçalves é missionário, formado em filosofia, acadêmico em psicologia e apresentador do Programa Revolução Jesus na TV Canção Nova. É autor de três livros pela Editora Canção Nova: “Santos de Calça Jeans”, “Nasci pra dar certo!” e “Quero um amor maior”.

Escravização, trabalho, imaginário e imprensa
A relação da imprensa com a abordagem do trabalho nunca foi tranquila. Isso porque a visão da mídia no campo do trabalho está muito associada ao aten...
Admirável (ou Abominável) Mundo Novo
Volto a escrever sobre a Previdência. Não me move o oportunismo de aproveitar o mau momento do governo que promove reformas tidas e havidas como rede...
A questão ambiental nas empresas
A questão ambiental há algum tempo tem emergido como uma questão importante na gestão das empresas e os benefícios estratégicos da preservação ambien...
O fim da escola sem fim
As raízes mais remotas da escola, tal como nós a conhecemos hoje, estão depositadas na Grécia Antiga, especialmente referenciadas, ao redor do século...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions