A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 26 de Fevereiro de 2017

05/05/2014 13:36

Utilize a internet para buscar informações sobre os candidatos

Por Estevão Rizzo (*)

Temos passado mais tempo (149 minutos por dia) em frente à tela do smartphone do que em relação a outras mídias, segundo o recente estudo ‘AdReaction’, realizado pela Millward Brown. Cada vez mais a população tem utilizado a internet, tanto pelo celular quanto pelo computador, como fonte de pesquisa e busca por informações e, não somente, como meio de interação com amigos e familiares. Diante de nossas mãos e olhos está a oportunidade de conhecer a fundo os candidatos para não errarmos nas urnas em outubro.

Quando se fala em busca por informações, estudos apontam que a internet é o meio preferido de quase todos que tem acesso a ela. Pela internet temos acesso a uma grande quantidade de conteúdo, de diferentes veículos; enquanto que no mundo "físico" é mais complicado conseguir informações. Se a internet não existisse e quiséssemos saber o histórico político de um candidato, por exemplo, teríamos que visitar o gabinete ou comitê do candidato, fazer contatos com ONGs que atuam na área ou, buscar outras formas de pesquisa. Isso levaria tempo e demandaria esforço, uma vez que podemos conseguir todas essas informações sentados em frente ao computador ou pelo smartphone.

Para buscar informações e dados sobre os candidatos o primeiro passo é acessar os sites do Tribunal Superior Eleitoral (www.tse.jus.br/) e do Tribunal Regional Eleitoral de MS (www.tre-ms.jus.br). Pelo site do TSE, por exemplo, é possível encontrar a declaração de bens de eleitos e de candidatos de eleições passadas. Outra sugestão é acessar os sites e blogs específicos de cada candidato, principalmente para conhecer as propostas e projetos do político.

Depois, para pesquisas mais aprofundadas, podem ser utilizados sites que são referências no país como fontes de pesquisa, tal como o portal “Ranking políticos” (www.politicos.org.br), que apresenta um banco de dados com informações de políticos de todo o Brasil, no qual cada um é pontuado de acordo com critérios como presença nas sessões, privilégios, processos judiciais e qualidade legislativa. Outro site recomendado é o “Voto Aberto” (www.votoaberto.com.br) que disponibiliza uma ferramenta chamada ‘Extrato parlamentar’, na qual ao responder algumas perguntas conseguimos saber qual político da região onde moramos apresenta mais semelhanças com nossa maneira de pensar. Estes são apenas dois exemplos entre as dezenas de sites que podem nos auxiliar na escolha do candidato.

As redes sociais também são ótimas fontes de pesquisa e, principalmente, de interação. Uma pesquisa intitulada “Rede social é lugar para política?”, realizada pela eCRM123 (empresa especializada em CRM Social) no Brasil em 2012, revelou que 85% dos entrevistados acredita que as redes sociais são meios de comunicação adequados para se debater política; com destaque para o Facebook, apontado por 40% dos participantes. A pesquisa mostrou ainda que 86% dos participantes gostaria de continuar interagindo com seu candidato nas redes após o fim das eleições.

Facebook e Twitter deverão ser as redes mais utilizadas nas eleições deste ano. Nestes meios a dica é aproveitar para fazer perguntas aos candidatos, tirar dúvidas e questionar sobre questões polêmicas. Os candidatos que apagarem o comentário, que não responderem ou que derem respostas evasivas já estarão mostrando que não estão interessados em dar voz a nós, cidadãos e, isso, já deve ser interpretado como um sinal ruim.

(*) Estevão Rizzo – Especialista em marketing digital da agência 80 20 Marketeria Digital, do Grupo WTW.

O dilema das prisões brasileiras
No último mês de janeiro assistimos, estarrecidos, às rebeliões nos presídios de Manaus, Boa Vista e Natal. As cenas de corpos sem cabeças chocaram a...
Desglobalização seletiva
Para muitos analistas, a desglobalização significa a tendência das nações se fecharem para o comércio internacional. Neste movimento estão incluídos ...
Terça-feira de carnaval não é feriado
Bem ao contrário do que a maioria pensa, a terça-feira de carnaval não é considerada oficialmente feriado nacional. O mesmo ocorre com a quarta-feira...
Desenvolvimento Sustentável: Utopia ou uma possibilidade real?
Ao enfrentar um novo paradigma na sociedade, a academia, o marketing empresarial, relatórios executivos e até discursos eleitorais apelam para a “con...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions