ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, QUARTA  27    CAMPO GRANDE 21º

Cidades

Contra crime no campus, UFMS abre licitação para comprar câmeras

Equipamentos serão instalados nas áreas críticas dos campi da UFMS no Estado

Por Silvia Frias | 26/11/2020 09:10
Em 2015, UFMS implantou sistema de videomonitoramento (Foto/Divulgação)
Em 2015, UFMS implantou sistema de videomonitoramento (Foto/Divulgação)

A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) abriu licitação para ampliação do sistema de videomonitoramento em todos os campi da instituição. O valor previsto é de R$ 457,6 mil para instalação dos equipamentos em todas as áreas críticas, para “cooperar na tomada de ações que minimizem ações criminosas”.

A instituição já utiliza o sistema, implantado em 2015, investimento de R$ 2,337 milhões. A justificativa da licitação é que a ampliação do monitoramento de vários locais em um único ponto,  centraliza o gerenciamento e facilita a tomada de decisões, auxiliando a administração predial e de controle.

A entrega de propostas começou hoje (26), conforme edital publicado no Diário Oficial da União. O projeto compreende a implementação de sistema de segurança eletrônica composto por equipamentos e softwares de monitoramento por vídeo, além de infraestrutura que comportará a transmissão das imagens e disponibilização para eventuais consultas.

A licitação prevê que a empresa ganhadora, na modalidade menor preço, será responsável também pela “tomada de decisão humana em resposta a uma ocorrência identificada”. A vigência do contrato é de 12 meses.

A empresa deverá fornecer 42 aparelhos gravadores e168 discos magnéticos avaliados em R$ 457.617,30. O material poderá ser usado conforme necessidade.

Na justificativa, consta que a segurança patrimonial na UFMS segue dinâmica bastante complexa e de difícil gestão e o monitoramento é imprescindível para garantir condição mais segura.

“Ainda, possibilitará aos servidores, Agentes de Segurança ou Vigilantes do local, durante o expediente, acesso ao vivo às imagens de monitoramento, bem como das gravações, de forma a cooperar na tomada de ações que minimizem ações criminosas, como antes já relatadas”.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário