ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, TERÇA  24    CAMPO GRANDE 34º

Cidades

Em MS, 3,9 mil contribuintes estão com declaração do IR retida na malha fina

Receita Federal enviará cartas para que contribuintes, mas consulta pode ser feita no site do órgão

Por Ana Paula Chuva | 28/10/2020 17:06
Contribuintes podem regularizar situação no site da Receita. (Foto: Agência Brasil | Arquivo)
Contribuintes podem regularizar situação no site da Receita. (Foto: Agência Brasil | Arquivo)

Em Mato Grosso do Sul 3.996 contribuintes estão com a declaração do IRPF (Imposto de Renda da Pessoa Física) 2020 retida na malha fina e devem receber uma carta para regularização das pendências.

De acordo com a Receita Federal, as cartão serão enviadas a partir desta quinta-feira (29) até o dia 1º de novembro para que o próprio contribuinte regularize as pendências encontradas na declaração.

Só receberão as cartas os contribuintes que não foram intimados ou notificados antes pela Receita. “A finalidade é fazer com que o contribuinte resolva as pendências sem precisar comparecer a uma das nossas unidades”, explicou o delegado da Receita Federal em Campo Grande, Edson Ishikawa.

Ainda conforme o órgão, a declaração retida em malha fiscal tem uma mensagem de “pendência" e junto são fornecidas as orientações de como o contribuinte deve fazer para regularizar.

Com isso, o contribuinte não precisa esperar ser notificado, segundo Ishikawa, basta consultar o extrato do processamento e a declaração pode ser retificada para que as divergências sejam solucionadas.

Caso o contribuinte não regularize, ele poderá ser intimado para comprovar as divergências com possibilidade de ser autuado e multado.

"Após receber intimação, não será mais possível fazer correção. Caso tenha imposto a pagar, o valor terá acréscimo de multa de, no mínimo, 75%", diz a nota do órgão.

Consulta - Para consultar o processamento da declaração, o contribuinte deve acessar a página da Receita e clicar na opção "Extrato da DIRPF (Meu Imposto de Renda" na aba "Onde Encontro?", com o código de acesso ou clicando aqui.


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário