A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 16 de Outubro de 2019

01/10/2019 11:29

Focos no Pantanal caem para 4 ao dia e reforço de DF vai embora

Chegaram a ser registrados 700 focos de incêndio em um dia durante o mês de setembro e combate ao fogo precisou de reforço

Tainá Jara
Bombeiros de Mato Grosso do Sul e do Distrito Federal atuaram em ações de combate aos incêndios no Pantanal (Foto: Tainá Jara)Bombeiros de Mato Grosso do Sul e do Distrito Federal atuaram em ações de combate aos incêndios no Pantanal (Foto: Tainá Jara)

Os 34 bombeiros encaminhados pelo governo do Distrito Federal para ajudar ao combate ao fogo no Pantanal, se despediram de Mato Grosso do Sul nesta terça-feira. Depois de registrar cerca 700 focos de incêndio por dia, durante os meses de agosto e setembro, as equipes de segurança do Estado controlam apenas quatro focos ainda existentes na região de Corumbá, município distante 420 quilômetros de Campo Grande.

Conforme o governador Reinaldo Azambuja, as equipes deixam o Estado em situação de controle das chamas, ocasionado pela ação de bombeiros, mas também pela chuva registrada na semana passada. “Isto nos gera certa preocupação , principalmente aos bombeiros, mas há uma vigilância e agora é esperar com que as chuvas retornem ao normal”, alertou. O último inverno foi o mais seco dos últimos 12 anos.

Os incêndios no Pantanal começaram a preocupar no final de agosto, embora o longo período de estiagem já estivesse previsto desde o início de 2019. Com o aumento desenfreado dos focos em menos de uma semana, já em setembro, o governo foi obrigado a tomar medidas mais eficazes, decretando situação de emergência. O Refúgio Ecológico Caiman, no município de Miranda, foi uma das áreas cujo ecossistema foi altamente danificado pelo fogo.

Estrutura de combate ao fogo também foi encaminhada com o efetivo. De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Joilson Alves do Amaral, o empréstimo de viaturas e aeronaves foram essenciais no controle de incêndios. “No Pantanal, nem todo caminho dá acesso aos focos e precisaria fazer percurso. Isto levaria muito mais tempo e o fogo teria uma propagação muito maior”, relembrou.

O governador relembrou que o efetivo foi disponibilizado ao Estado, mesmo com área no Distrito Federal em chamas. Conforme o tenente-coronel Domingos Márcio Ferreira da Silva, da Capital Federal, a corporação tem mais de 20 anos de experiência no combate a incêndios florestais.

A despedida da corporação foi realizada em solenidade realizada no Parque das Nações Indígenas. As equipes ficaram cerca de 11 dias na região.  

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions