ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, DOMINGO  20    CAMPO GRANDE 20º

Cidades

Incidência de covid é 50% maior entre presos em relação à população em geral

Os presídios do Estado têm 19 mil detentos, segundo dados mais recentes da Agepen e desses, 363 já foram infectados com a doença

Por Lucia Morel e Marta Ferreira | 12/08/2020 18:43
Presos do Instituto Penal na ala de isolamento. (Foto: Divulgação)
Presos do Instituto Penal na ala de isolamento. (Foto: Divulgação)

Com 363 presos confirmados com covid-19, o sistema penitenciário de Mato Grosso do Sul tem incidência de 1,8% da doença na população privada de liberdade. O índice é 50% maior em relação à população de fora dos presídios, cuja incidência é de 1,2% do total de habitantes contagiados.

Os presídios sul-mato-grossenses, conforme o mapa mais atualizado, têm 19.130 detentos, Nesse universo, 363 já foram infectados com a doença. Desses, 118 estão em tratamento, conforme a Agepen (Agência de Administração do Sistema Penitenciário).

Na população em geral, são 33.509 casos confirmados. Como o total de habitantes do Estado chega a 2.778.986 pessoas, resulta na incidência proporcionalmente menor em relação à população carcerária.

Vale ressaltar, que maioria dos casos – 206 ao todo – foram registrados no Instituto Penal, em Campo Grande. Nenhum óbito por covid-19 ocorreu até o momento na população carcerária do Estado.

Conforme o boletim, o número de casos no sistema carcerário já registrados atinge 466, contanto presos e servidores. Entre os funcionários públicos, são 93 casos, entre os quais 48 seguem em tratamento.

Preocupação externa - Diante da situação, esposas e familiares dos presos reclamam que a situação está caótica e temem surto da doença, principalmente no Instituto Penal. Anonimamente, disseram à reportagem que apenas hoje, oito novos casos foram registrados. Eles teriam sido isolados, mas até isso é complicado, pela falta de áreas para isolamento com o aumento de casos.

“Elas estão desesperadas porque dizem que os maridos são do grupo de risco, têm diabetes e pressão alta, e continuam presos”, relatou uma fonte ouvida.

O juiz Mário José Esbalqueiro Júnior, da 2ª Vara de Execução Penal de Campo Grande, falou rapidamente com a reportagem e explicou que “está tudo correndo bem por enquanto”, ressaltando que nenhum óbito pelo novo coronavírus foi registrado até o momento no sistema carcerário de MS.

Procurada, a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) informou que há no órgão, o Comitê de Gestão e Acompanhamento das Medidas de Enfrentamento à Covid-19, que divulga diariamente o boletim oficial de casos  no site da agência.

A agência informa, ainda, que tem adotado as providências para evitar a ampliação do contágio, como por exemplo o isolamento de presos no instituto penal em Campo Grande, que concentra o maior numero de infectados pela doença.

(Matéria editada às 8h26 do dia 13 de agosto para correção de informação)