ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, QUINTA  20    CAMPO GRANDE 32º

Cidades

Ministério da Saúde lança edital do “Mais Médicos” com 22 vagas em MS

Gestores municipais têm até 22 de maio para indicar quantas vagas desejam preencher em cada localidade

Por Jhefferson Gamarra | 17/05/2024 16:28
Profissional com jaleco do Programa Mais Médicos (Foto: Divulgação)
Profissional com jaleco do Programa Mais Médicos (Foto: Divulgação)

Ministério da Saúde publicou o edital do Programa Mais Médicos para o Brasil, com o objetivo de preencher as vagas disponíveis em diversas regiões do país, principalmente devido às aprovações dos médicos nas residências médicas. Em Mato Grosso do Sul, foram disponibilizadas 22 vagas em 15 municípios, para fortalecer o atendimento médico em áreas prioritárias.

Para atender as regiões que mais precisam, o programa utiliza critérios na distribuição das vagas, tais como a situação de vulnerabilidade social, maior dependência do SUS (Sistema Único de Saúde) para o acesso da população à saúde e a dificuldade de provimento de profissionais.

Em Mato Grosso do Sul estão abertas vagas em Aparecida do Taboado (2); Aquidauana (2); Campo Grande (2); Coxim (2); Dois Irmãos do Buriti (1); Dourados (4); Iguatemi (1); Jaraguari (1); Jardim (1); Ladário (1); Miranda (1); Naviraí (1); Paranhos (1); Rio Brilhante (1); Tacuru (1).

"Este é um edital importante para a confirmação da disponibilidade de vagas por parte dos municípios que já fazem parte do programa. E é um passo fundamental para que possamos depois dar sequência no chamamento de médicos e com isso efetivar vagas que tiveram eventuais saídas”, informou Felipe Proenço, secretário de Atenção Primária à Saúde do Governo Federal.

Os gestores municipais têm até 22 de maio para indicar quantas vagas desejam preencher em cada localidade, do total autorizado pelo edital. Após essa etapa, o Ministério da Saúde fará o chamamento aos profissionais.

O programa foi ampliado através da modalidade de coparticipação de estados e municípios, onde o valor da bolsa-formação do médico (R$12.386,50)  é descontado do Piso de Atenção Primária, garantindo maior agilidade na reposição do profissional. Os custos com moradia e alimentação continuam sob responsabilidade do município.

Nos siga no Google Notícias