ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, QUARTA  17    CAMPO GRANDE 27º

Capital

Ministério aponta falha na busca de recursos para saúde; prefeitura nega

Representante do Governo Federal em MS diz que Município não formalizou pedido de repasses para contratações

Por Danielly Escher | 04/01/2024 07:27
Unidade de Saúde da Família do bairro Tiradentes em Campo Grande (Foto: Arquivo)
Unidade de Saúde da Família do bairro Tiradentes em Campo Grande (Foto: Arquivo)

Há três meses, o Ministério da Saúde espera por uma carta da Prefeitura de Campo Grande para adesão em programa de Atenção Primária à Saúde chamado APS do Futuro. A afirmação vem do superintendente da pasta em Mato Grosso do Sul, Ronaldo de Souza Costa. De acordo com ele, sem o envio do documento, o município deixa de ganhar mais equipes para trabalharem em postos de saúde da Capital.

A atenção primária representa o atendimento conhecido como a “porta de entrada” dos usuários. Medida essencial na prevenção de doenças, solução de casos menos graves e no encaminhamento para atendimentos de maior complexidade.

"Se a adesão tivesse sido feita até 30 setembro do ano passado, como a prefeitura havia prometido, os médicos pagos através do programa já poderiam começar a trabalhar agora, no início de 2024", afirma Ronaldo Costa.

A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) diz que "a informação não procede". Segundo a prefeitura, durante visita do representante da Secretaria de Atenção Primária do Ministério da Saúde, foi elaborado projeto para a ampliação e qualificação da área. Para isso o município aderiu ao Programa Mais Médicos, no qual foram disponibilizados 37 profissionais e a complementação por mais 13 estaria sob análise do Ministério, totalizando 50 novas equipes de Saúde da Família.

"Entre os quesitos discutidos à época, está também a ampliação física da estrutura. O município aderiu a uma portaria Ministerial do Programa de Aceleração no Crescimento (Novo PAC), solicitando recursos para a construção de 12 novas unidades. Quanto aos demais assuntos discutidos, a pasta está em contato com o órgão para que todas as exigências sejam cumpridas dentro do período estipulado", informou a prefeitura.

Reunião em agosto de 2023 entre representantes do município, Estado e Governo Federal (Foto: Divulgação)
Reunião em agosto de 2023 entre representantes do município, Estado e Governo Federal (Foto: Divulgação)

A reunião mencionada na nota foi em agosto de 2023 e teve a participação da prefeita Adriane Lopes (PP). O encontro contou com apresentação de avanços a serem implementados pela Secretaria Municipal de Saúde.

"Se a prefeitura estivesse fazendo parte do programa seriam 146 novas equipes de saúde da família, entre médicos, enfermeiros e técnicos. O Ministério da Saúde pagaria os salários dos médicos e o restante seria responsabilidade do município", afirma o superintendente.

A tabela abaixo detalha a previsão de aumento das equipes para atuação na atenção primária em Campo Grande. O número total, incluindo saúde da família, bucal e agentes comunitários subiria de 1.918 para 2.484.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

O programa também prevê divisão das equipes em cargas horárias diárias de dois turnos, de 7h até 13h e de 13h até 19h. "Com ampliação do horário de atendimento diário em 50% nas Unidades Básicas, a população atendida passaria a ser de 2.800 habitantes por cada uma das novas equipes. O impacto imediato de ampliação da cobertura subiria para 408 mil pessoas", explica o superintendente do Ministério da Saúde em Mato Grosso do Sul.

A tabela a seguir detalha quais unidades podem receber as novas equipes para expandir o atendimento da rede. São ao todo 13 postos de várias regiões da cidade, com destaque para ampliações mais significativas no Universitário, Coronel Antonino, Dona Neta e Pioneira.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Foram feitos cálculos para mostrar os impactos da ampliação do atendimento das unidades de atenção primária que chegam a 74 em Campo Grande. Levando em consideração repasses da União e do Estado, uma tabela mostra o custo dos investimentos. Pelo levantamento é possível chegar até a um superávit de R$ 2,3 milhões por conta das receitas geradas pela expansão.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias