ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, SEGUNDA  23    CAMPO GRANDE 33º

Cidades

Novas medidas fecham plano para combater proliferação do coronavírus em MS

Governo e prefeitura de Campo Grande adotaram medidas urgentes em várias áreas para evitar o avanço da doença

Por Lucia Morel | 23/03/2020 16:55
Centro de Triagem está sendo montado no Hospital Regional. (Foto: Marcos Maluf)
Centro de Triagem está sendo montado no Hospital Regional. (Foto: Marcos Maluf)






A rotina mudou. Ficar em casa deixou de ser descanso para se tornar uma obrigação. E nem as saídas com amigos ou festas podem ser feitas mais. Isso tudo, na tentativa de preservar a própria vida e a dos outros. Para isso foi preciso paralisar aulas e até suspender o transporte público. Objetivo? Reduzir ao máximo o contato entre as pessoas e evitar que a pandemia do novo coronavírus devaste o já deficitário sistema de saúde.

Mato Grosso do Sul entrou no guerra contra a doença, assim como muitos municípios do Estado, principalmente, Campo Grande, que concentra a maioria dos casos já confirmados

Essa frente contra a doença toma forma com Hospitais de Campanha, Centros de Triagem e ativação de leitos, algumas das ações que governo e prefeitura já adotaram.

O Hospital Regional Rosa Pedrossian é a referência no atendimento aos pacientes com o novo coronavírus em Campo Grande. Pelo menos 140 internados foram removidos da unidade e levados para outros hospitais, abrindo leitos para cuidados específicos à Covid-19.

Também lá, Centro de Triagem será ativado para atender os pacientes que chegarem em estado não tão grave. Na Capital, o Parque Ayrton Senna recebe estrutura para realizar atendimentos de vítimas do coronavírus. A intenção era de que tudo estivesse pronto hoje, mas o serviço foi adiado, sem nova data prevista.

A compra de leitos também foi viabilizada. A perspectiva é instalar 247, sendo pelo menos 142 de UTI, para complementar os 515 já existentes na rede pública do Estado. Do total, 100 devem ser no HR. Na Capital, foram 33 novos leitos de UTI contratados e 60 de enfermaria.

No entanto, apesar da iniciativa, há dificuldade no fornecimento de equipamentos e insumos de saúde pelos fornecedores do País, por causa da pandemia.

Foram abertas seleções e chamamentos para contratação de profissionais de saúde. A seleção do Estado encerra hoje e pretende contratar 60 pessoas, sendo 20 para médico clínico-geral e 40 para técnico de enfermagem. Na Capital, 57 profissionais já foram contratados.

O governo estadual ainda abriu, em caráter de emergência, a compra de 200 kits de testes de coronavírus que vão possibilitar a realização de 10 mil exames. Atualmente, apenas o governo federal tem repassado esses kits, cerca de 50 por semana. Cada kit faz 24 exames.

Pelo governo do Estado, outra das ações mais recentes é a de barreiras sanitárias nas 13 divisas com os estados de Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso e Paraná. Segundo informou o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), haverá, inclusive a medição da temperatura dos viajantes, seja em veículos de passeio, de carga ou em ônibus.

Conforme o governador, nas barreiras que vão ser montadas, haverá participação de servidores da saúde, das polícias e da agência de defesa sanitária animal e vegetal. “Eles vão controlar, dialogar com as pessoas que adentram ao Estado e verificar se tem algum sintoma até para os encaminhamentos”, sustentou.

Na Capital, ônibus pararam de circular no último sábado, dia 21, quando começa a contagem de 15 dias para que o serviço retorne, caso seja possível e a Guarda Municipal está fiscalizando os estabelecimentos que descumprem o toque de recolher, instituído na mesma data.

Último dia em que ônibus trafegaram na Capital foi em 20 de março. (Foto: Marcos Maluf)
Último dia em que ônibus trafegaram na Capital foi em 20 de março. (Foto: Marcos Maluf)

Os serviços do Terminal Rodoviário de Campo Grande estão suspensos por 20 dias, a partir de amanhã. Além disso, o ajuntamento de pessoas também está proibido, bem como o funcionamento do comércio em geral, estando liberados apenas serviços de abastecimento como supermercados, postos de gasolina e revendedoras de gás.

Também foram adotadas medidas de suspensão das atividades de alguns órgãos do governo e da prefeitura de Campo Grande, que passam a atender apenas pela internet – teletrabalho - ou ficarão fechadas até segunda ordem.

No Estado, é o caso da Fundação de Trabalho, que não vai mais receber candidatos a vagas de emprego presencialmente, assim como o Departamento Estadual de Trânsito (Detran). Muitos dos serviços de ambos podem ser feitos virtualmente.

Já em Campo Grande, a Central do IPTU e a de Atendimento ao Cidadão também não vão funcionar pessoalmente. Qualquer serviço deverá ser solicitado via internet, caso esteja disponível.

As aulas nas escolas estaduais e municipais também foram suspensas até o dia 6 de abril, mas caso a doença avance, os decretos que determinaram a suspensão podem ser prorrogados.

Para evitar perda de alimento da merenda escolar, em Campo Grande, a prefeitura está distribuindo cestas básicas a famílias carentes da comunidade escolar.

E medidas também foram aplicadas para impedir abusos ou reduzir danos à população, como fiscalização sobre o preço de álcool em gel e de máscaras, isenção do pagamento da conta de água para quem é baixa renda, no caso de quem e atendido pela Sanesul; e proibição do corte de água, pela Águas Guariroba, no caso de não pagamento, pelos próximos 60 dias.

Policial Militar Rodoviário, com luvas, orienta motorista em estrada estadual. (Foto: divulgação PMR)
Policial Militar Rodoviário, com luvas, orienta motorista em estrada estadual. (Foto: divulgação PMR)

Na Segurança Pública, as férias de bombeiros militares, durante o período de pandemia, foi suspensa, assim como as visitas nos presídios. Já a Polícia Militar está em várias frentes, fazendo orientação à população dos municípios para que fiquem em casa e evitem aglomerações, bem como nas estradas e região de fronteira.

SAÚDE – É nessa área que a massa de ações tem sido feita. Hospitais de Campanha, Centros de Triagem e compras de leitos são algumas das ações que governo e prefeitura já adotaram.

O Hospital Regional Rosa Pedrossian é a referência no atendimento aos pacientes com o novo coronavírus em Campo Grande. Pelo menos 140 internados foram removidos da unidade e levados para outros hospitais, abrindo leitos para cuidados específicos à Covid-19.

Há previsão ainda de implantar 142 leitos novos de UTI, 25 de leitos semi-intensivos a implantar e mais 40 leitos clínicos, totalizando 207 leitos em todo Estado. No HR são 35 novos leitos (semi intensivo e UTI).

Também lá, Centro de Triagem está sendo montado para atender os pacientes que chegarem em estado não tão grave. A meta é que dentro de dois dias o local esteja funcionando.

Na Capital, o Parque Ayrton Senna recebe estrutura para realizar atendimentos de vítimas do coronavírus. A intenção era de que tudo estivesse pronto hoje, mas o serviço foi adiado, sem nova data prevista.

Na Capital, o Parque Ayrton Senna recebe estrutura para realizar atendimentos de vítimas do coronavírus. (Foto: Marcos Maluf)
Na Capital, o Parque Ayrton Senna recebe estrutura para realizar atendimentos de vítimas do coronavírus. (Foto: Marcos Maluf)



Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário