ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, DOMINGO  14    CAMPO GRANDE 19º

Cidades

Santa Casa prevê gasto de R$ 3 milhões, mas descarta demitir enfermeiros

Novo piso salarial dos enfermeiros foi sancionado pelo Governo Federal e deve começar a valer no próximo mês

Gabrielle Tavares | 15/08/2022 15:09
Hospital Santa Casa de Campo Grande, na Capital. (Foto: Divulgação)
Hospital Santa Casa de Campo Grande, na Capital. (Foto: Divulgação)

Santa Casa de Campo Grande, maior hospital privado do Estado, avaliou que o novo piso salarial dos enfermeiros vai impactar em R$ 3,3 milhões por mês a folha de pagamento da unidade. A medida foi garantida através da lei nº 14.434, sancionada pelo governo federal no dia 5 de agosto.

Segundo o hospital, a administração está estudando uma fonte de custeio para subsidiar o aumento da despesa, mas descartou a possibilidade de demissão dos profissionais. Atualmente, trabalham no local 13 auxiliares de enfermagem, 274 enfermeiros e 1.331 técnicos de enfermagem.

“Vale destacar que a Santa Casa é a favor de uma remuneração justa aos enfermeiros, mas reforça também que, desde o início da discussão, a Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas (CMB) afirmou à Câmara Federal que o novo piso representará um impacto financeiro muito grande no segmento” alegou a unidade, em nota.

No estado de São Paulo, parte das administrações das Santas Casas avalia fechar unidades ou reduzir o número de técnicos da equipe, como noticiou a Folha de S. Paulo.

Em Campo Grande, o Siems (Sindicato dos Trabalhadores na Área de Enfermagem de Mato Grosso do Sul) recebeu denúncia de uma demissão em massa no Hospital Adventista do Pênfigo, causada pelo novo piso dos enfermeiros. Como já divulgado pelo Campo Grande News, pelo menos 19 enfermeiros e técnicos foram dispensados na última semana. O Hospital do Pênfigo negou as acusações e disse que foram apenas adequações internas.

Novo piso - A lei estabelece que enfermeiros devem receber, no mínimo, R$ 4.750 por mês. Técnicos de enfermagem devem receber, ao menos, 75% disso (R$ 3.325). Já auxiliares de enfermagem e parteiras têm de receber, pelo menos, 50% desse valor (R$ 2.375).

O Siems estima que o reajuste deve ser aplicado a partir de setembro na folha salarial de profissionais do setor. Já os servidores públicos, no entanto, poderão ter a remuneração reajustada somente a partir de 2023.

Nos siga no Google Notícias