A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

21/06/2013 11:49

Acadêmicos de Engenharia da UFMS denunciam “manobra” contra eleição

Leonardo Rocha e Mariana Lopes
Estudantes lotam corredores da universidade durante protesto. (Foto: Marcos Ermínio)Estudantes lotam corredores da universidade durante protesto. (Foto: Marcos Ermínio)
Manifestação envolveu alunos do curso de engenharia. (Foto: Marcos Ermínio)Manifestação envolveu alunos do curso de engenharia. (Foto: Marcos Ermínio)

Cerca de 100 acadêmicos da Faenge (Faculdade de Engenharia) protestaram hoje na UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) contra o cancelamento da eleição que iria definir a direção da Unidade da Faculdade de Engenharia Arquitetura e Urbanismo e Geografia. De acordo com os universitários, esta suspensão não passou de uma “manobra" do atual diretor Amâncio Rodrigues da Silva, que não poderia disputar o pleito por decisão judicial.

De acordo com Renata Rezende, presidente do centro acadêmico de engenharia elétrica, o atual coordenador se reuniu com o presidente da comissão eleitoral, Robin Pereira Kosloski, e os dois decidiram pela suspensão do pleito sem o aval do restante da comissão. “Foi uma manobra porque ele está impedido de concorrer, não queremos que ele se reeleja, pois está descumprindo uma ordem judicial”, ressaltou ela.

Luciana Cambraia, professora de Engenharia e presidente da comissão eleitoral, destacou que esta decisão deveria partir de toda comissão e não apenas de dois membros. “Não fomos consultados, ficamos sabendo por meio de uma ligação da secretária, sem que fosse explicado o motivo do cancelamento”, revelou.

Segundo ela, o pleito já estava “prejudicado” pelo fato do atual diretor ter escolhido os membros da comissão. “Todo processo está comprometido”. A acadêmica Fernanda Medeiros aproveitou para denunciar que o curso de engenharia está com vários problemas. “Falta material, tem professores que compram do próprio bolso, não tem laboratório e os docentes e alunos são excluídos da decisão”, apontou.

Impedimento – O atual diretor Amâncio Rodrigues da Silva foi impedido de disputar a nova eleição pela justiça federal, porque ele já esteve à frente do cargo por duas vezes consecutivas, o que segundo o Regimento geral da UFMS é proibido. De acordo com a decisão, o nome do atual diretor deve ser excluído das cédulas da eleição.



Em relação à reportagem quero comentar:
A FAENG tem mais de 1600 alunos.
A decisão foi tomada por quatro membros da comissão que atenderam a convocação para a reunião. A comissão eleitoral é constituída por cinco pessoas.
A Professora Luciana Cambraia é mesária, presidente da Mesa 3, e não é membro da comissão eleitoral e portanto não teria que ser consultada.
Quem indicou e nomeou a comissão eleitoral foi o conselho de faculdade da FAENG, um órgão constituído por varias pessoas. O diretor apenas acata e assina a decisão do conselho.
O motivo do cancelamento foi oficializado, como todo ato da comissão o é, através de edital afixado no mural da consulta e publicado no boletim de serviço (tipo um diário oficial) da UFMS.
 
Robim Pereira Kosloski em 21/06/2013 23:31:19
Não é de hoje que o curso de Engenharia Elétrica da UFMS é menosprezado por sua universidade. Este Amancio é um dos "dinossauros" da UFMS, que sucateia o curso e faz com que os alunos se formem despreparados para o mercado de trabalho. Meu marido teve que transferir para UNIDERP, aonde tem laboratórios e professores que ensinam, para poder formar com qualidade. Estudantes, exijam seus direitos! Tirem esse "tirano" do poder da Eng. Elétrica! Exijam melhorias pra este curso!
 
Karina Rosa em 21/06/2013 19:56:05
Faltou comentar que falta água nos bebedouros frequentemente, a condição precária dos banheiros(onde de 5 sanitário, só funciona 1!!!!!), a condição precária de limpeza, o fato das salas ficarem trancadas e não termos direito de utiliza-las para estudo, já que não há um espaço comum para estudar fora do horário da aula, entre outras muitas coisas que nos são vetadas!!! (acadêmica de engenharia civil-UFMS)
 
Lucia da Luz em 21/06/2013 17:39:38
O BRASIL EM NOVO MOMENTO - JUVENTUDE EM AÇÃO



PARABENS




NEI SALVIANO
 
NEI SALVIANO em 21/06/2013 17:14:16
E o "almoço" do RU ??????????em todo o País não passa de R$3,50.Aqui alem das "supostas bolsas"que muitos não conseguiram e precisam,são R$6,00.Isto é uma vergonha,já que estamos reivindicando melhores em vários setores,vamos mudar isto também................Verbas e mais verbas chegam para o RU e para onde vai ?????não posso mais almoçar "sanduíches",pois não posso pagar este preço todos os dias.
 
Cristina mendes carli em 21/06/2013 12:06:44
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions