A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

19/04/2010 16:28

Adiado novamente julgamento recurso de réu no Caso Dudu

Redação

Foi adiado pela segunda vez o julgamento, pela 2ª Turma Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, do julgamento do recurso apresentado pela defesa de Holly Lee de Souza, 22 anos, o único réu que ainda não foi julgado no Caso Dudu. O processo é contra os acusados da morte do menino Luiz Eduardo Gonçalves, que desapareceu no dia 22 de dezembro de 2007 e, segundo as investigações, foi torturado e morto por Holly Lee e mais 3 adolescentes, a mando do ex-padrasto do garoto, José Aparecido Bispo da Silva, o Cido.

Cido, de 53 anos, foi condenado a 26 anos de reclusão, no dia 31 de março. Holly Lee seria julgado no mesmo dia, mas a defesa impetrou recurso contra a decisão do juiz do caso, Aluizio Pereira dos Santos, de mandá-lo a júri popular, e o caso foi desmembrado.

A análise do recurso estava prevista para a semana passada, mas foi adiada, em razão da ausência do relator do processo, Carlos Contar. Hoje, o adiamento foi a pedido da defesa, feita por um defensor público.

Cido - A defesa de José Aparecido Bispo da Silva também recorreu da sentença contra ele, considerado culpado de homicídio triplamente qualificado. A apelação deverá ser apresentada diretamente ao Tribunal de Justiça, segundo petição feita pelo advogado de Cido, José Roberto da Rosa.

A advogado afirma que as provas contra Cido foram inconclusivas. Alegando, por exemplo, que não houve comprovação de que os restos mortais apresentados no julgamento são mesmo de Dudu, pois o exame científico não permitiu a identificação dos cerca de 700 fragmentos de ossos encontrados no local onde o corpo do menino teria sido retalhado, incendiado e enterrado. Outro argumento da defesa é que o júri sofreu influência do Caso Nardoni, que teve a condenação dos acusados poucos dias antes do Caso Dudu.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions