A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 19 de Agosto de 2018

18/02/2011 09:01

Ao entregar residencial, Puccinelli reafirma meta para setor habitacional

Jorge Almoas
Residencial Arvoredo, entregue esta manhã em Campo Grande.Residencial Arvoredo, entregue esta manhã em Campo Grande.

Ao entregar, nesta manhã, o residencial Arvoredo, no Jardim Centenário, construído por meio do PAR (Programa de Arrendamento Residencial), o governador André Puccinelli (PMDB), reafirmou a meta de, ao final de seus dois governos, deixar a marca de ter assegurado mais de 90 mil unidades habitacionais no Estado.

André afirmou que no primeiro foram asseguradas 40 mil unidades, parte já construída,outra parte em construção e uma terceira com recursos garantidos. Nesta segunda administração, segundo ele, a meta é conseguir mais 50 mil habitações.

O governador explicou que o setor é prioridade para sua administração não só como forma de reduzir o déficit habitacional. “A construção civil gera muitos empregos”, pontou.

O residencial entregue hoje, segundo o deputado estadual Carlos Marun (PMDB), responsável por boa parte dos projetos quando secretário de Habitação, é um dos melhores da cidade.

Além disso, destacou, a troca que as famílias fazem do aluguel pelo imóvel próprio é uma mudança de vida. “O aluguel é dinheiro jogado no rio. Nunca volta. O aluguel é dinheiro jogado num balde”, comparou.

Presente ao evento, o superintendente da Caixa em Mato Grosso do Sul, Paulo Antunes, disse que o aluguel na região onde fica o residencial está na faixa dos R$ 600, enquanto as famílias vão pagar de prestação R$ 320 durante 15 anos de arrendamento. Caso não haja interrupção no pagamento, a propriedade passa a ser do arrendatário.

“É a realização do sonho da casa própria em uma das regiões que mais se valoriza na cidade”.

O residencial São 144 unidades habitacionais, que tiveram investimentos de R$ 5.601.600,00 (R$ 5.328.000,00 de recursos do governo federal e R$ 273.600,00 de contrapartida do governo do Estado).

Para o motorista de carreta Carlos Alberto, 35 anos, pegar a chave do apartamento é a a concretização de uma expectativa que já dura uma década. Ele vai morar no residencial com a mulher e a filha. “É a realização de um sonho de 10 anos”, resume.



Acho essa iniciativa altamente louvável. É legal ver todas as pessoas tendo condições igualitárias.
Ficam algumas dúvidas. Por exemplo: Existem taxas condôminas? Existe um síndico? Quem gerencia as taxas específicas de manutenção (como de um condomínio comum)?
As taxas de água e luz são separadas?
Desculpe pelas perguntas, mas tenho muita curiosidade em saber.
 
Isabel de Lima em 23/07/2012 12:59:00
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions