A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

29/01/2010 13:24

Após uma semana de trégua roubos dobram, mostra PM

Redação

Depois de registrar uma diminuição na quantidade de roubos na região do Anhanduizinho a Cigcoe (Companhia Independente de Gerenciamento de Crises e Operações Especiais), na semana passada novamente os números surpreenderam e para pior.

A região voltou a ser destaque negativo, por causa da incidência de casos, como na Cophavilla II. Na mesma época, grupo de 145 presos foi libertado do presídio de Dois Irmãos do Buriti, por ordem da justiça, um fator que é considerado pela PM. "Não dá para dizer que foi essa a causa, mas tudo indica que sim", diz o Capitão Franco Alan Amorim.

Operações contra os bandidos na Capital, desenvolvida desde dezembro pela Companhia, conseguiram reduzir as ocorrências na região de 64, registradas nos primeiros 7 dias de 2010, para 25 na semana seguinte.

Com o monitoramento semanal das estatísticas é possível observar, no entanto, que na terceira semana de janeiro os casos aumentaram, atingindo 40 assaltos.

De acordo com o Capitão Franco Alan, chefe da Inteligência do Cigcoe, com a mudança no planejamento da Companhia, chamada de Análise Criminal, é possível saber o local onde vão ocrrer os roubos e até o horário.

Ele cita exemplos curiosos. Segundo o capitão, em dias de chuva ou de exibição de últimos capítulos de novelas, ladrão quase não comete crimes.

Os números também mostram que bandido não acorda cedo, já que a maioria dos roubos é verificada a partir do fim da tarde.

"Quem acorda cedo, vai para a região central, onde circula dinheiro nesse horário".

Com base nesse monitoramento, as equipes passaram a atuar diretamente onde os números apontam a maior quantidade de casos.

"Não vamos direcionar uma ação na região central de Campo Grande à noite, por exemplo, se sabemos que nesse horário os roubos ocorrem em maior incidência no Anhanduizinho. Precisamos dar uma resposta para aquilo que está acontecendo à população", explica Amorim.

Com a análise, é possível desenvolver um planejamento não somente a partir das regiões da cidade, mas também dos horários que mais se destacam. Franco Alan cita exemplo da ação realizada na noite dessa quinta-feira no Bairro Coophavila II, região do Anghanduizinho, em que a viatura cruzou com os assaltantes.

"A prioridade agora é evitar o crime e não mais esperar que ele aconteça para mandar a Polícia. Não queremos viaturas andando de forma aleatória. Estamos trabalhando com endereços e horários certos", enfatiza o capitão.

A Cigcoe aguarda o encerramento da semana para avaliar o balanço das ocorrências na capital.

Coophavila II

Indenizações por morte no trânsito crescem 24% em relação a 2016
O número de indenizações pagas pelo Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (Seguro Dpvat) entre janeiro e novemb...
ANS regulamenta novas regras de compartilhamento para planos de saúde
A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) publicou duas resoluções normativas na tentativa de dar mais segurança e estabilidade ao mercado de pla...
UFMS recebe inscrições para vários cursos no Vestibular 2018
A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) segue com inscrições abertas para o Vestibular 2018, que selecionará alunos para cursos de gradua...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions