A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

10/12/2013 16:26

Bancos, mercados, Justiça e órgãos públicos definem escala de fim de ano

Luciana Brazil e Edivaldo Bitencourt

A maioria dos órgãos em Campo Grande já definiu o horário de funcionamento durante as festas de fim de ano. Alguns setores decretaram ponto facultativo nos dias 24 e 31 de dezembro, como a Prefeitura. Outros estabelecimentos e órgãos públicos vão atender em horários reduzidos e escalas de plantão.

O governo do Estado ainda não divulgou se haverá ponto facultativo para suas repartições no dia 24 e 31 de dezembro. Nos anos anteriores, o governador André Pucinelli (PMDB) decretou folga para os servidores nestes dias. Segundo a assessoria de imprensa, até o fim da próxima semana haverá uma definição.

Os bancos vão funcionar em horário reduzido na véspera do Natal, dia 24. Segundo a presidente do Sindicato dos Bancários, Iaci Azamor, o atendimento será feito das 8h às 12 horas. No dia 25, feriado, não haverá atendimento.

No Ano Novo os bancos funcionam até o dia 30. Nos dias 31 e 1 de janeiro não haverá expediente.

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul ficará em recesso do dia 20 de dezembro até o dia 6 de janeiro. Os plantões continuam acontecendo até o retorno das atividades. 

A Justiça Federal de Mato Grosso do Sul vai entrar em recesso no dia 20 de dezembro, retornando aos trabalhos no dia 7 de janeiro. Haverá plantão para atendimento de casos urgentes, mas ainda não há um horário definido.

Os supermercados não funcionam nos dias 25 de dezembro e 1º de janeiro. As lojas vão abrir até às 20h na véspera de Natal e de Ano Novo, segundo a Amas (Associação Sul-mato-grossense dos Supermercados).

Os Correios vão funcionar até às 12h nos dias 24 e 31 de dezembro deste ano e fecharão nos dias 25 e 1º. 

Clientes de banco podem renegociar dívidas no "Caminhão do Quita Fácil"
A partir de segunda-feira (18), clientes das agências da Caixa de Campo Grande terão a possibilidade de renegociar suas dívidas atrasadas há mais de ...
Acordo entre poupadores e bancos vai beneficiar 30% dos que entraram na Justiça
Das 10 milhões de pessoas que entraram na Justiça por perdas no rendimento de cadernetas de poupança, apenas cerca de 3 milhões serão beneficiadas, s...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions