A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

12/09/2011 19:25

Campanha do desarmamento já recolheu 22,2 mil armas em todo País

Marco Antonio Brito

Segunda etapa do programa foi lançada hoje pelo ministro José Eduardo Cardozo

Espingardas representam o maior número de apreensões entre armas de grande porte. (Foto: Arquivo)Espingardas representam o maior número de apreensões entre armas de grande porte. (Foto: Arquivo)

Um total de 22,2 mil armas, entre pistolas, revólveres, rifles, espingardas e fuzis, foram recolhidas pelo Governo Federal nos quatro primeiros meses deste ano. Os números são da Campanha de Desarmamento "Tire uma arma do futuro do Brasil", que teve início em maio com a primeira etapa e que será encerrada pelo Ministério da Justiça em desembro. Hoje o ministro José Eduardo Cardozo fez o lançamento da segunda etapa do programa.

Segundo os dados do Ministério, nos primeiros quatros meses da mobilização - de 6 de maio a 9 de setembro - foram entregues pela população 3.734 armas de grande porte. Entre elas, 2.562 são espingardas, 302 rifles e 56 fuzis. Entre as armas de pequeno porte, os revólveres são quase metade. Das 18.489 armas entregues, 10.828 são revólveres e 1.862 são pistolas, além de outras armas que fazem parte do grupo.

Os estados que lideram a lista de maior quantidade de entrega de armas são São Paulo, com 5.349, seguido do Rio Grande do Sul, com 2.641, Rio de Janeiro, com 2.602, Pernambuco, com 1.776 e Minas Gerais, com 1.572. Mato Grosso do Sul, no mesmo período, registrou a entrega de pouco mais de 300 armas.

Oficialmente, a Campanha do Desarmamento foi lançada em 2008. Mas dados do Ministério da Justiça apontam que, desde 2004, já foram retiradas de circulação 570 mil armas em todo País e, desde o lançamento da campanha, outras 500 mil foram regularizadas.

Acordos de cooperação - Vinte estados já assinaram o acordo de cooperação para receber as armas, entre eles o MS. São 1.539 postos, divididos da seguinte forma: Polícia Civil (712 postos), Polícia Militar (589), Polícia Federal (127), Polícia Rodoviária Federal (64), Guarda Municipal (35) e Corpo de Bombeiros (2).

Além destes, em alguns estados, também igrejas, lojas maçônicas, e organizações não-governamentais poderão atuar no recolhimento das armas. Esta é uma das novidades desta segunda etapa da campanha, já que na última campanha do desarmamento, encerrada em dezembro de 2009, apenas os postos policiais podiam receber as armas.

No Mato Grosso do Sul, os postos de recebimento das armas estarão funcionando em Campo Grande, Anastácio, Corumbá, Dourados, Naviraí, Ponta Porã e Três Lagoas. Na Capital, a entrega pode ser feita na Superintendência e na Delegacia da Polícia Rodoviária Federal, assim como na sede da Superintendência Regional da Polícia Federal. Nos demais municípios, com exceção de Anásticio onde o recolhimento será feito pela PRF, a entrega pode ser feita nas delegacias da Polícia Federal.

Outra novidade desta segunda etapa da campanha é um acordo que será assinado entre o Ministério da Justiça e a pasta da Defesa, ainda nesta semana, que irá viabilizar a destruição de armas que estão sob a guarda de fóruns e tribunais em todo o País. Segundo dados da Defesa, estima-se que o total chegue a 700 mil, incluindo armas brancas.

Indenizações - Desde que foi lançada, a Campanha do Desarmamento já pagou R$ 2 milhões de indenização em armas. Cada arma dá direito a indenização de R$ 100, R$ 200 ou R$ 300, dependendo do porte. (*Com informações do G1)

MEC deve homologar Base Comum Curricular na próxima quarta-feira
O Ministério da Educação informou que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), aprovada hoje (15) pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), deve ser ...
Presos da penitenciária federal da Capital são julgados por crime em RN
Um preso custodiado no presídio federal de Campo Grande foi julgado, ao lado de outros três homens, na quinta-feira (14) e nessa sexta-feira (15) por...
Governo Federal reduz período do horário de verão para 2018/19
O presidente Michel Temer assinou hoje (15) um decreto reduzindo em duas semanas o horário de verão em 2018. No ano que vem, a medida começará a vale...
Inscrições para o Vestibular 2018 da UFMS seguem abertas
A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) segue com inscrições abertas para o Vestibular 2018, que selecionará alunos para cursos de gradua...


Opa!!! estão esquecendo de recolher outro tipo de arma!!!... os veiculos!
 
Marcelo Max em 12/09/2011 11:36:56
A corrupção em Brasilia causa e faz mais estrago que as armas de fogo em todo mundo.
A segurança pública não consegue proteger nem os representantes da lei, como o caso da juiza assassinada pela a própria polícia, imagine os cidadões comum. Essa campanha é hipócrita como os politicos, querem é tirar o foco do probema que eles não conseguem resolver, segurança, saúde, educação.
Como posso confiar na policia, como posso confiar nos politicos, todo dia é um escandalo na televisão envolvendo esses dois orgãos.
A mudança que eles querem, devem começar neles primeiro.
 
silvano xavier em 12/09/2011 10:55:46
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions