ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SEGUNDA  01    CAMPO GRANDE 24º

Capital

“Brincadeira” que matou gatinha pode dar 1 ano de prisão a estudante

Decisão do juiz poderia agravar a pena, segundo delegada

Por Luana Rodrigues e Bianca Bianchi | 26/01/2016 14:19
Câmeras de segurança registraram momento do tiro (Foto: Direto das Ruas)
Câmeras de segurança registraram momento do tiro (Foto: Direto das Ruas)

De três meses a um ano de detenção. Essa é a pena que pode pegar o estudante de medicina Leonardo Lyrio de Souza, 24 anos, responsável por atirar e matar uma gatinha na madrugada de sábado (23) no bairro Monte Carlo, região norte de Campo Grande. Ele vai responder por "maus tratos contra animais agravado pela morte”.

Após intimação da Decat (Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Ambientais e Proteção ao Turista), Leonardo se apresentou à polícia na tarde desta segunda-feira (25), acompanhado de um advogado e levando a arma de pressão usada no crime. Em seu depoimento, o rapaz definiu o episódio como “uma brincadeira que acabou mal”.

O jovem contou que saiu com o carro da mãe acompanhado de dois amigos. Ao passar a direção para um deles, Leonardo teria sentado no banco de trás do carro com uma espingarda de pressão. Leonardo confessou que naquele dia saiu para “brincar” e chegou a mirar e a atirar em vários outros gatos na rua.

Leonardo foi ouvido e liberado. “O processo agora será encaminhado ao Poder Judiciário e, apesar de se tratar de um crime de menor potencial ofensivo, a morte do animal pode agravar a pena, Mas, isso é uma decisão que cabe ao juiz”, explica a delegada Ana Cláudia Medina, responsável pelas investigações.

O caso veio à tona quando o agente de trânsito Kelly Lucio Queiroz Pereira, 43, ouviu barulho de tiro em frente à sua casa. Quando saiu para ver o que era, encontrou a gatinha ferida.

Kelly anotou a placa do carro em que Leonardo estava e denunciou o caso à polícia. "Me senti de alma lavada, porque foram rápidos e encontraram o responsável, mas, triste porque não consegui salvá-la”, desabafa o agente de trânsito.

Vizinhos ajudaram a socorrer o animal e o levaram a uma clínica veterinária, onde passou por uma cirurgia, que durou cerca de quatro horas. Como a bala atingiu a coluna da gata e os estilhaços atingiram os ossos, o animal não resistiu e morreu. Os gastos na tentativa de salvar o animal teriam chegado a R$ 4.000,00.

Ameaça – Leonardo já teve problemas com a Justiça no ano passado. Em outubro de 2015, uma colega de classe chegou a registrar um boletim de ocorrência, pois estaria sendo ameaçada por ele por meio de mensagens de celular. “Se você aparecer na faculdade eu vou te matar na porrada”, dizia uma das mensagens registradas no BO. No entanto, a jovem de 19 anos, acabou retirando a denúncia.