ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUINTA  29    CAMPO GRANDE 23º

Capital

Acordo sobre pagamento com dinheiro em coletivos pode ser revisto, diz Assetur

Jeozadaque Garcia | 16/03/2012 19:23

O TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) firmado no ano passado entre MPE (Ministério Público Estadual), Prefeitura de Campo Grande e empresas concessionárias do transporte coletivo, que trata sobre o pagamento com dinheiro nos ônibus, poderá ser revisto.

Segundo o presidente da Assetur (Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano), João Resende, o Termo abre brechas, já que possibilita apenas ao “absolutamente desavisado” pagar a tarifa com dinheiro.

“O TAC parte do pressuposto de que o povo é honesto. O usuário pode pagar no dinheiro, mas sabe que há uma orientação para pagar no cartão para evitar assaltos”, comenta.

O TAC foi firmado com o objetivo de tirar o dinheiro dos ônibus, como medida para coibir a ação de bandidos. Ele prevê o fim de dinheiro nos ônibus de forma gradual.

“Podemos sugerir uma melhora na redação e aprimorar de acordo com a nossa realidade. Sentimos boa fé em todas as partes”, garante.

Nesta quinta-feira, a advogada Vanda Aparecida de Paula, de 40 anos, procurou a Polícia Civil e denunciou a recusa de um motorista de ônibus em receber dinheiro como pagamento da passagem.

Segundo Resende, a advogada era cliente e sempre pagava a tarifa com cartão. O motorista já a conhecia e tentou dialogar, insistindo para ela não usar dinheiro. Alguns clientes, inclusive, teriam se oferecido para pagar a tarifa, o que foi recusado pela advogada, ainda de acordo com o diretor da Assetur.

“O motorista é orientado a nunca deixar de transportar o usuário. Ele ficou até supreso quando a mulher insistiu em pagar no dinheiro. É um caso isolado, mas que preocupa”, continua.

Desde agosto do ano passado o cartão da Assetur é utilizado como forma de pagamento. No mês passado somente o cartão passou a ser aceito. A iniciativa foi feita para reduzir os assaltos que aconteciam diariamente nos coletivos.

A Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) e Assetur registraram diminuição nos assaltos. Nessa quinta-feira (15), a cidade completou 18 dias sem registro deste tipo de ocorrência.

Nos siga no Google Notícias