ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, DOMINGO  23    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Acusado de estuprar e matar menina confessa e alega que estava bêbado

Maykon Araujo era cliente da mãe da menina e disse ter ido ao local para um programa sexual com a mulher

Ana Paula Chuva e Ana Beatriz Rodrigues | 12/12/2022 16:40


Maykon Araujo Pereira, 31 anos, confessou em depoimento ter estuprado e matado a menina de 11 anos, na noite de domingo (11), na casa onde a vítima morava com a mãe no Bairro Nossa Senhora das Graças, em Campo Grande. Ele foi preso no início da tarde desta segunda-feira (12), por equipes do GOI (Grupo de Operações e Investigações) e da Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente).

O homem foi pego enquanto se dirigia ao trabalho, no mesmo bairro onde aconteceu o crime. Ele foi identificado através de imagens de câmeras de segurança. Em depoimento ao delegado Roberto Morgado, Maykon disse que foi até a casa porque tinha marcado um programa com a mãe da menina.

Ele afirma que quando chegou, entrou pela porta dos fundos e encontrou a menina já na cozinha e, como ela gritava muito, deu um soco e em seguida bateu a cabeça da menina no chão. O homem afirmou não se lembrar de ter mantido relação sexual com a menina, mas a perícia confirmou a conjunção carnal.

No relato, Maykon diz que apenas usou os dedos. Ele alegou ainda que bebeu de meio-dia até o horário que foi para a casa da vítima. O laudo constatou que a morte da menina foi por traumatismo craniano.

Maykon sendo levado para exames no Imol após prestar depoimento. (Foto: Paulo Francis)
Maykon sendo levado para exames no Imol após prestar depoimento. (Foto: Paulo Francis)

Maykon disse ainda que usava a casa para usar drogas e já teria feito ao menos seis programas com a mãe da menina e que provavelmente já sabia que as crianças estariam sozinhas. De acordo com o delegado, ele saiu do local do crime e foi direto para casa, onde lavou a roupa que estava usando e dormiu.

Ele foi atuado em flagrante por estupro e homicídio. O delegado já representou pela prisão preventiva, já que o acusado tem uma personalidade violenta. Ainda conforme o responsável pela investigação, o autor demonstrou arrependimento após o depoimento, porém, tese trabalhada pela polícia é de que a menina tenha sido primeiro estuprada e, em seguida, foi morta.

Na casa estavam ainda outras três crianças, uma delas de 3 anos que em depoimento especial disse ter visto todo o estupro. Já as outras duas estavam dormindo. Outras testemunhas também foram ouvidas.

Maykon já tem passagens por violência doméstica, uma delas por agredir e esfaquear uma ex-esposa grávida de 15 semanas e também por maus-tratos contra duas enteadas de 15 e 10 anos. O boletim de ocorrência foi registrado em agosto deste ano. Ele também já foi preso por roubo.

Delegados Roberto Morgado e Gustavo Henriques durante coletiva nesta tarde. (Foto: Paulo Francis)
Delegados Roberto Morgado e Gustavo Henriques durante coletiva nesta tarde. (Foto: Paulo Francis)

Entenda - A criança foi encontrada ferida e inconsciente pela mãe, que momentos antes estava bebendo em um bar. Quando chegou em casa na noite de domingo, chamou pela filha, que não respondeu. Então, entrou pela porta do fundo e se deparou com a menina caída na cozinha.

Desesperada, a mulher gritou por socorro e vizinhos prestaram auxílio, um deles arrombando a porta de entrada. O Corpo de Bombeiros foi acionado e tentou manobras para que a menina recobrasse os sentidos, mas ela já estava morta.

A mãe estava aparentemente bêbada e não se recordava de que horas saiu de casa e deixou as crianças sozinhas. Ela tentou sair do local, mas como estava agressiva foi algemada e levada para a Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), onde prestou depoimento.

Na delegacia, ela tentou culpar os vizinhos pela tragédia. De acordo com a delegada Karen Viana de Queiroz, plantonista da Deam, a mulher não parecia estar abalada com a morte da filha e disse desconhecer quem possa ter cometido o crime.

"O tempo todo ela tentou culpar os vizinhos, perguntando porque eles não viram o que estava acontecendo. Ela confessou ainda que essa não foi a primeira vez que deixou os três filhos trancados sozinhos em casa e que realizava programas sexuais na residência", disse a delegada.

Mãe da menina prestou depoimento na Deam e segue presa. (Foto: Henrique Kawaminami)
Mãe da menina prestou depoimento na Deam e segue presa. (Foto: Henrique Kawaminami)


Nos siga no Google Notícias