A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

01/07/2013 20:10

Advogada ganha direito de continuar em regime domiciliar até julgamento

Evelyn Souza
Advogada é acusada de ter ligações com uma facção criminosa. (Reproduçao/Facebook)Advogada é acusada de ter ligações com uma facção criminosa. (Reproduçao/Facebook)

O Tribunal de Justiça do Estado confirmou na tarde dessa segunda-feira (01), a liminar concedida à advogada Daniela Dall Bello, presa por envolvimento em facção criminosa, durante Operação “Bleucaute”.

O pedido de habeas corpus foi julgado hoje e concedido por unanimidade. Com a decisão, a advogada deve continuar presa em regime domiciliar até o julgamento.

Formada em direito, há seis meses pela UCDB (Universidade Católica Dom Bosco), Daniela Dall Bello Rondão, foi presa durante operação “Blecaute”, deflagrada no dia 24 de maio. Ela é acusada de ter ligações com uma facção criminosa que agia dentro e fora dos presídios e seria a peça chave da quadrilha, trocando informações com presos e membros do PCC.

A advogada está presa em regime domiciliar desde o dia 26 de maio, quando conseguir na Justiça, através de um habeascorpus, o direito de responder o processo em regime domiciliar. O pedido foi solicitado pela Defesa e Assistência às Prerrogativas dos Advogados, da OAB/ MS. Isso porque todo advogado tem direito a prisão em sala de Estado Maior, o que não existe no Estado. Nesses casos, jurisprudência diz que o acusado deve responder em prisão domiciliar.

Daniela aguarda o julgamento em casa, no bairro Leblon. Pelo regime, ela deve obedecer a uma série de determinações judiciais, entre elas, recolher-se à sua residência das 21h às 5h e permanecer em casa nos domingos e feriados por período integral.

Operação - A operação “Blecaute”,foi deflagrada pelo GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), Polícia Militar e a AGEPEN (Agência Penitenciária Estadual), em Campo Grande, Dourados, Três Lagoas, Ponta Porã, Nova Andradina e Corumbá.

Os resultados das investigações, que levaram três meses, apontaram que pelo menos 54 pessoas participavam ativamente da facção criminosa no Estado. Ao todo, o PCC possui 328 membros em Mato Grosso do Sul.

Seis pessoas foram presas em Campo Grande, entre elas, a advogada Daniela Dall Bello Tinoco Rondão. A maior parte dos envolvidos agia entre as grades, determinando ataques contra agentes penitenciários e policiais militares.

Dez presos apontados como líderes do esquema, foram transferidos do presídio da Máxima para o Presídio Federal. Outros 28 estão no presídio HarryAmorim Costa, em Dourados.

 

Homem de 30 anos é esfaqueado e fica em estado grave
Bartolomeu Gomes de Araújo Barbosa, 30 anos, ficou gravemente ferido após ser atingido a golpes de faca no abdômen, na noite de ontem (12), na Rua Bo...
Após documento vazar, Sesau diz que hemogramas não foram suspensos
A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) afirmou que os hemogramas continuam sendo feitos na rede pública de saúde de Campo Grande. A informação inici...


Assim caminha o país, cheio de suas leis benéficas a bandidos.
 
Adriano Magalhães em 02/07/2013 15:35:39
Formada há seis meses e já fazia parte de facção criminosa, pelo jeito ela teve sua faculdade bancada pelos bandidos e agora estava pagando pelo financiamento.
 
Kaio Gleizer em 02/07/2013 14:36:09
hummm.... será que se eu roubar um chocolate vou presa??? hhaha não fiz Direito... um chocolate porque não tinha R$ 3,00 hhahha....vou presa ....e não posso responder em casa hehhe... imagina só uma facção criminosa hahah...em casa vai poder usar internet... celular... continuar a agir com os comparsas...hhahah que vida boa...espero que cassem a OAB dela...
Direitos são Direitos... mas se colocar na balança..heheh... existe mesmo a figura de uma balança hehhe... e de uma venda nos olhos.... hhahhah...
 
Dalva Santos em 02/07/2013 11:41:33
Com pode um órgão que deve proteger a justiça como a OAB intervir para proteger um criminoso? Justiça para os justos e no "Brasil" só para o crime! É uma vergonha a cara-de-pau dos poderes deste país governarem a favor do crime e criminoso. O certo seria a OAB invalidar, cassar e anular seu diploma de direito e se tiver o registro na OAB, já se estuda direito para fazer justiça em prol do bom cidadão e o que ela fez foi um crime, que fere a imagem do curso, alunos, professores, advogados, OAB, juízes e do Brasil na forma como trata a justiça perante o mundo!
 
Alexandre de Souza em 01/07/2013 22:23:14
Não deveria, pois mesmo sendo advogada ela também é bandida, e lugar de bandida e na cadeia... Vamos OAB, moralizar e permitir que essa linda bandida vá pro lugar que ela procurou que é a cadeia, ok? Vamos Tribunal de Justiça agir, pois lugar dela e atrás das grades. Pois quem garante que ela está cumprindo o regime domiciliar? Vocês do Tribunal de Justiça estão mantendo alguém cuidando dessa moça? Duvido... Então melhor lugar dela é cadeia... certo?
 
Antonio Alves em 01/07/2013 21:27:36
Essas mordomias para advogados tem que acabar, eles não são melhores que os outros bandidos , cometeu delito é criminoso e bandido como os demais TAMBÉM, devem ir para a cadeia em sela comum pois deveriam dar exemplo, gostaria muito de saber se com seis meses de formada conseguiu se aprovada no exame, porque é muito difícil ser aprovado de imediato, tem pessoas que faz em várias vezes e não consegue passar, será que a loira é mais inteligente que esses candidatos?
 
helena da costa andrade em 01/07/2013 20:54:51
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions