ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, TERÇA  18    CAMPO GRANDE 21º

Capital

Agente de trânsito vai processar estudante que lhe deu "voadora"

O agente disse que está com dor nas costas, no joelho e tem consulta marcada para saber se houve lesão interna

Por Viviane Oliveira | 19/04/2024 08:38

O fiscal de Transporte e Trânsito, de 56 anos, da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), que foi agredido ontem (18) com uma "voadora" nas costas, na Rua 14 de Julho, no centro de Campo Grande, disse que pretende processar o estudante de Direito Marone Guaresi De Oliveira, de 36 anos. Veja, acima, o vídeo.

Ao ser indagado por telefone se queria falar sobre o assunto, o agente disse que não iria dar publicidade ao caso, mas já tinha feito exame de corpo de delito no Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal), está com dor nas costas, no joelho e tem consulta marcada nesta manhã para saber se houve lesão interna.

Após agredir o agente de trânsito por ser notificado ao estacionar em local proibido, o acadêmico foi levado para a delegacia na manhã de ontem, prestou depoimento e foi liberado após assinar um TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência).

A imagem gravada por câmera de segurança mostra o agente caminhando quando de repente é agredido pelas costas com uma "voadora". Ele tenta se defender com um chute e acaba caindo. Poucos segundos depois, um terceiro homem que passava pelo local intervém e impede que Marone faça novas agressões. Um guarda civil metropolitano chega e contém o agressor.

Conforme o boletim de ocorrência, registrado como lesão corporal, Marone recebeu a notificação depois de estacionar em uma vaga especial. Sem aceitar ser notificado, o estudante correu atrás do agente de trânsito e deu a "voadora" nas costas do servidor.

Ainda de acordo com o registro policial, Marone chegou a fugir da abordagem do guarda, mas foi contido novamente na Rua Dom Aquino. Enquanto estava sendo imobilizado, o homem afirmava que os guardas não poderiam levá-lo para a delegacia e prendê-lo pelo fato dele ser acadêmico de Direito.

Ao chegar à Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Cepol (Centro Especializado de Polícia Integrada), o agressor foi relutante em entrar pelos fundos do local, onde são apresentadas as ocorrências.

Outro lado - Em nota, Higor Utinoi de Oliveira, advogado do autor, disse que os fatos alegados serão devidamente esclarecidos em eventual processo judicial. Disse que apesar da injustificada conduta do cliente, o acadêmico foi vítima de agressão verbal por parte do agente de trânsito.

O advogado lamentou o ocorrido e ressaltou o respeito com os órgãos fiscalizatórios. Segundo a nota, o autor se resguarda ao direito de se manifestar no momento processual adequado sobre o que for necessário à elucidação dos fatos e demonstração da verdade.

Conforme apurado pela reportagem, Marone tem passagens pela polícia por ameaça, lesão corporal, estelionato, falsa identidade, associação criminosa, violência doméstica e lesão corporal culposa no trânsito.

A reportagem entrou em contato com a Agetran para saber a conduta do órgão e aguarda retorno.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias