ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEGUNDA  15    CAMPO GRANDE 30º

Capital

Agente penitenciário diz que não estava bêbado e atirou para se defender

Delegado diz que agente está muito abalado e chorou bastante durante depoimento

Por Viviane Oliveira e Anahi Gurgel | 24/09/2017 10:18
Delegado Reginaldo Salomão atendeu a ocorrência (Foto: Marina Pacheco)
Delegado Reginaldo Salomão atendeu a ocorrência (Foto: Marina Pacheco)

Em depoimento, o agente penitenciário de 34 anos, preso em flagrante após matar o pedreiro Adílson Silva Ferreira dos Santos, 23 anos, garantiu que não estava bêbado e diz que atirou por legitima defesa. O crime aconteceu no camarote do show de Henrique e Juliano, na madrugada deste domingo (24), realizado no estacionamento do Shopping Bosque dos Ipês.

O delegado Reginaldo Salomão, que atendeu a ocorrência, considera o caso bastante complexo porque envolve a morte de uma pessoa jovem e "um colega agente penitenciário federal". segundo ele, o assassino “não estava embriagado e disse que houve um desentendimento no banheiro que terminou em luta, no final do show”.

No entanto, o motivo do desentendimento não foi revelado e os detalhes sobre o que teria causado a briga vai ficar a cargo da investigação, diz o delegado. “Houve luta entre os dois. Na sequência, o agente, que havia ido comemorar o aniversário, sacou e atirou”.

O delegado conta que o agente justificou o disparo como "ato de memória muscular", uma reação automática devido aos treinamentos realizados na academia para reprimir agressões. “Ele está muito abalado e chorou bastante durante depoimento”, diz Salomão.

A pistola.40 usada no crime foi apreendida. O agente penitenciário contou à polícia, que a intenção era deixar a arma no carro, mas como não conseguiu vaga de estacionamento dentro do shopping, teve que entrar com a pistola no show.

O agente penitenciário está em uma das celas da delegacia e amanhã vai para audiência de custódia no Fórum de Campo Grande. Na ocasião, o juiz vai decidir se converte a prisão dele em preventiva.

Adílson caiu próximo as escadarias (Foto: reprodução?Facebook)
Adílson caiu próximo as escadarias (Foto: reprodução?Facebook)

Vindo do Ceará, o agente penitenciário trabalha há pouco mais de oito meses no Presídio Federal de Campo Grande. Segundo apurado pelo Campo Grande News, o servidor identificado como Souza foi aprovado no último concurso.

Outra versão - Amigos do agente penitenciário apresentam uma versão totalmente diferente da família. Segundo colegas de Souza, Adílson teria dado um tapa no rosto do agente, que caiu no chão e foi agredido pelos amigos do pedreiro. Para se defender, Souza atirou uma vez só. Mas nem os amigos do autor conseguem explicar o motivo da tal discussão

Já a família da vítima afirma que Adílson encontrou o homem embriagado, passando mal e escorado na porta do banheiro químico. Ao tentar ajudá-lo, foi empurrado e baleado com tiro no peito.

O fato é que o corpo caiu no pé da escada que dá acesso ao camarote. Pessoas que estavam no local dizem que o agente chegou a apontar a arma para outras pessoas que presenciaram a cena.

O Campo Grande News tentou falar com a empresa Santo Show, responsável pelo show, mas a ligação não foi atendida. 

Nos siga no Google Notícias