A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

06/03/2014 13:28

Após caos na emergência, Sesau cria equipe para gerir falta de leitos

Kleber Clajus

Com déficit de 932 leitos em Campo Grande, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública) decidiu criar uma equipe especializada para otimizar a regulação de casos de psiquiatria, neurologia e cardiologia para leitos de retaguarda em hospitais da Capital. Resolução sobre o tema foi publicada, nesta quinta-feira (6), no Diário Oficial do município.

De acordo com o texto, as equipes médicas irão atuar nos CRS’s (Centros Regionais de Saúde) e UPA’s (Unidades de Prontoatendimento) onde haja leitos de observação. O objetivo consiste em aprimorar o diagnóstico nas unidades antes da transferência do paciente para um hospital.

A resolução, assinada pelo secretário Ivandro Corrêa, também esclarece que a equipe “não irá substituir o atendimento do médico plantonista atuante na unidade solicitante”.

No caso de transferências, as vagas serão reguladas pela Central de Leitos Municipal e Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

A falta de leitos é alvo de investigação do MPE (Minitério Público Estadual) e também do Sinmed (Sindicato dos Médicos de Mato Grosso do Sul) que avaliam como “crônica” a situação na Capital.

Balanço – Em prestação de contas na Câmara Municipal, em 25 de fevereiro, o secretário de saúde apresentou balanço do número de leitos disponíveis em Campo Grande.

Ao todo são 494 leitos cirúrgicos, 284 clínicos, 197 saúde complementar, 68 crônicos, 187 obstétricos, 224 psiquiátricos, 9 leitos de pneumonologia sanitária, 123 leitos pediátricos, além de 23 leitos dia/cirúrgico e 12 leitos dia/AIDS.

Esses estão distribuídos no Hospital Universitário, Santa Casa, Hospital Regional, São Julião, Nosso Lar, Hospital do Câncer e Maternidade Cândido Mariano.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions