ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SEGUNDA  22    CAMPO GRANDE 31º

Capital

Após chuva, moradora perde geladeira onde guardava picolés para vender

A Rua Projetada foi a mais atingida do bairro pela falta de estrutura, conforme moradores

Por Viviane Oliveira e Antônio Bispo | 12/04/2024 10:04

A chuva forte registrada na tarde de ontem (11) alagou casas, comércios e deixou prejuízos aos moradores, principalmente no Bairro Portal Caiobá II, em Campo Grande. A dona de casa Rosimeire Rodrigues da Paz, de 42 anos, moradora da Rua Projetada, perdeu a geladeira que armazenava picolés para a venda. "A casa alagou tudinho, a minha cozinha está cheia de água, está estragando tudo as minhas coisas, eu não sei mais o que fazer. Por favor, alguém pode me ajudar". Assista, acima, ao vídeo.

Ela disse que não sabe o que vai fazer daqui para frente. O dinheiro do geladinho era usado para comprar remédios. A imagem gravada por câmera de celular mostra a moradora com balde tentando tirar a água de dentro do imóvel. Uma poça de lama se formou na rua e havia muito barro nas calçadas.

Buraco aberto na sala para escoar a água que invadiu casa (Foto: Antonio Bispo)
Buraco aberto na sala para escoar a água que invadiu casa (Foto: Antonio Bispo)

A Rua Projetada fica localizada aos fundos de um condomínio particular na região. Conforme Wesley Neres, de 48 anos, presidente da associação dos moradores do bairro, a situação da via sempre foi ruim. Há cerca de 2 meses, a prefeitura cascalhou a via com parte mais elevada para a água escoar pela Rua Mangaba. Porém, ontem não teve jeito e as casas foram alagadas. “Os vizinhos perderam muitos móveis”, disse.

Por volta das 22h, os moradores abriram buraco no muro de uma das residências para que a água escorresse para o quintal e os moradores pudessem dormir tranquilos. “Isso foi provisório, a prefeitura precisa encontrar uma maneira de fazer a água escoar para alguma rede de drenagem”, destacou.

Situação da Rua Projetada nesta manhã (Foto: Antonio Bispo)
Situação da Rua Projetada nesta manhã (Foto: Antonio Bispo)

Mãe de dois filhos, Luci Moreira Costa, de 40 anos, também teve prejuízo. Ela faz bicos e atualmente a renda da família se baseia no salário da filha, menor aprendiz. “O meu auxílio foi cortado há 2 meses e ainda não sei o porquê”, contou. Ela perdeu guarda-roupa e cômoda. Buraco foi aberto na parede da sala para tentar amenizar o prejuízo. “A água já tinha invadido a minha casa, mas ontem foi a pior em 7 anos que moro aqui”.

A 350 metros dali, na Rua Cachoeira do Campo, proprietária de pet shop, Daiana Marçal, de 32 anos, teve a loja invadida pela água e perdeu uma balança que pesava animais. O equipamento queimou e o prejuízo foi em torno de R$ 1,8 mil. “Sempre que chove forte, a água fica acumulada na rua, em frente à loja, ou parava na calçada, nunca havia entrado na loja”, lamentou.

Wesley apontando os danos causados pela chuva (Foto: Antonio Bispo)
Wesley apontando os danos causados pela chuva (Foto: Antonio Bispo)

A Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos) informou que houve pontos de alagamentos nas vias não pavimentadas, como no Portal Caiobá, onde equipes já começaram a trabalhar para possibilitar o escoamento da água da chuva.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias