A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

16/11/2013 18:24

Após dificuldades no translado, corpo de policial morto em RO chega às 19h45

Vinícius Squinelo

Após problemas com temporal entre a cidade de Coxim, norte de Mato Grosso do Sul, e Rondonópolis (MT), a aeronave do bombeiro mato-grossense que carrega o corpo do policial militar sul-mato-grossense Luiz Pedro de Souza dos Santos, 33 anos, chega em campo Grande às 19h45 de hoje (16) no Aeroporto Internacional.

O policial foi morto em um confronto armado entre a Força Nacional e invasores de terras em Rondônia no último dia 14.
Segundo informações da assessoria de imprensa da PM, o corpo chegara ao aeroporto em uma aeronave do bombeiro de Mato Grosso, e vai para o hangar do Estado, de onde segue para o velório.

A cerimônia fúnebre do policial na Pax Real do Brasil, na Avenida Bandeirantes, em Campo Grande. Policiais da tropa de choque e do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) participam da solenidade. Eles escoltarão o corpo até capela.

O sepultamento está previsto para ser realizado na manhã deste domingo (17), no cemitério Memorial Park.

Confronto – Luiz Pedro, que possuía nove anos de atuação na Polícia, foi alvejado com um tiro na altura do ombro. Ele morreu no distrito de Rio Pardo, em Rondônia. De acordo com o coronel Enedi, da Polícia Militar de Rondônia, a morte ocorreu durante um confronto entre os policiais da Força Nacional e 300 moradores da região.

O policial chegou a ser socorrido pelos colegas da Força Nacional, mas não resistiu à gravidade dos ferimentos. Ao todo, 146 homens da Força Nacional participavam da operação que tem objetivo de dar início a desocupação da Floresta Nacional de Bom Sucesso. A estimativa do Ministério do Meio Ambiente é que cerca de 200 pessoas ocupem ilegalmente a área.



Este policial, morto por um bandido invasor, defendendo a lei, não teve e nem terá a solidariedade de D. Maria do Rosario, Secretária Nacional dos Direitos Humanos. Muito menos do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Fosse o contrario, e tivesse ele morto o bandido, as duas autoridades federais já estariam nos jornais, e já teriam enviado a Policia Federal para esclarecer o ocorrido. O policial já estaria afastado e talvez preso. É o Brasil do PT.
 
IRAPUAN COSTA JUNIOR em 16/11/2013 20:25:07
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions