A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

30/04/2014 23:17

Após regras impostas pela Justiça, tumulto diminui na Expogrande deste ano

Alan Diógenes e Zana Zaidan
Movimentação ainda é grande antes dos shows fora do parque; jovens fazem o esquenta. (Foto: Cleber Gellio)Movimentação ainda é grande antes dos shows fora do parque; jovens fazem o "esquenta". (Foto: Cleber Gellio)

Após guerra travada entre a Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul) e o MPE (Ministério Público Estadual), que já dura três anos, o tumulto diminuiu no interior e exterior do Parque de Exposições Laucídio Coelho, onde está sendo realizada a Expogrande. Organizadores, moradores e frequentadores provavelmente entraram em um acordo.

A equipe do Campo Grande News esteve na noite desta quarta-feira (30) acompanhando a movimentação no evento, que hoje conta com o show mais esperado da feira, o da dupla Jorge e Mateus, onde são esperadas cerca de 25 mil pessoas. O tumulto mesmo acontece antes dos shows, por volta das 20h, quando o fluxo de veículos é intenso no local, e as barracas de bebidas entorno do parque ficam com volume alto de som.

Morador a 40 anos da rua Lopez Siqueira, próxima ao parque de exposições, Pedro de Araújo, 57 anos, explica que desde quando a lei da restrição de horários paras os shows entrou em vigor, o tumulto durante o evento diminuiu. Mesmo assim ele conta que ainda não consegue dormir até que as apresentações acabem.

De uma forma criativa, Pedro arrumou uma forma de conviver com o “barulho” dos shows. Ele enxergou na Expogrande uma maneira de complementar sua renda. O morador alugou a garagem de casa para os frequentadores guardarem suas motocicletas. Na garagem cabem 40 motos e ele cobra R$ 10 para a pessoa deixar no local. “Como tenho que ficar acordado mesmo, o jeito é ganhar dinheiro”, destacou.

Sobre a possibilidade da interdição do parque, Pedro disse que é contra tal atitude. “Incomodar, incomoda, mas não acho que devam interditar o parque por causa da feira, até por que ela acontece durante uma ou duas semanas. Agora se acontecesse o ano todo seria diferente”, comentou.

Raquel que vende bebidas e lanches fora do parque disse que tumulto diminuiu com novas regras. (Foto: Cleber Gellio)Raquel que vende bebidas e lanches fora do parque disse que tumulto diminuiu com novas regras. (Foto: Cleber Gellio)

Frequentadora assídua da feira há sete anos, a auxiliar administrativa, Fernanda Gregory, 22 anos, conta que depois que os horários dos shows foram reduzidos, as pessoas acabam indo embora para casa ou ficam dentro do parque na tradicional “Barraca da Veterinária”. “Aquela bagunça toda realmente acabou. Quando acabam os shows, quem vem para fora, ou é para ir embora, ou está mal intencionado mesmo”, salientou.

Raquel Rodrigues, 35 anos, que há 18 vende cervejas fora do parque, disse que é tradicional as pessoas chegarem mais cedo no evento para fazer o “esquenta” do lado de fora. Mas para ela, isso não prejudica os vizinhos, a menos que fosse depois das apresentações. “Já é tradição as pessoas chegaram mais cedo para fazer o esquenta. Antigamente as pessoas saíam e bebiam aqui, agora dificilmente fico até duas da manhã”, pontuou.

Segurança - O capitão da Polícia Militar, Maxmilhian, informou que a segurança está sendo feita tanta na parte externa como na parte interna do parque. Ao todo são cinco motociclistas, três agentes de trânsito e duas viaturas da Cigcoe (Companhia Independente de Gerenciamento de Crises e Operações Especiais) participando da operação. Do lado de fora, os policiais trabalham para coibir furtos, roubos e violência. Na parte interna são 7 homens da cavalaria, homens a pé que se dividem em grupo de 8 policiais e 6 viaturas do grupo Tático da PM.

Trânsito – A movimentação no começo dos shows deixa o fluxo de veículos lento nas vias próximas ao parque. Para controlar o tráfego de veículos, a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) se posiciona no quadrilátero do local. O acompanhamento dos policiais é feito desde a avenida Costa e Silva, passando pela Fabio Zahran, até chegar nos portões do parque.

Segundo o supervisor da Agetran, Jeová Paes da Costa, 10 agentes de trânsito e quatro agentes de transporte foram mobilizados para supervisionar os motoristas. Os fiscais permanecem no lugar desde as 19h até 1h, quando o trânsito é mais complicado. Estacionar veículos não é problema nesta edição, por que a empresa Servitel, pela primeira vez, comprou a concessão de um estacionamento oficial da Expogrande, que tem capacidade para 3 mil carros e 100 motos.

Congestionamento de veículos ainda existe antes dos shows. (Foto: Cleber Gellio)Congestionamento de veículos ainda existe antes dos shows. (Foto: Cleber Gellio)
Segurança foi reforçada dentro e fora do parque de exposições. (Foto: Cleber Gellio)Segurança foi reforçada dentro e fora do parque de exposições. (Foto: Cleber Gellio)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions