ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEGUNDA  20    CAMPO GRANDE 38º

Capital

Depois de confusão na Zahran, policial penal que atirou é preso e PM liberado

Envolvidos foram levados até 4ª Delegacia de Polícia Civil, nas Moreninhas

Por Liniker Ribeiro | 30/07/2021 17:20
O policial penal Jonildo Domingos da Silva no local do disparo de arma de fogo que atingiu carro de PM (Foto: Henrique Kawaminami)
O policial penal Jonildo Domingos da Silva no local do disparo de arma de fogo que atingiu carro de PM (Foto: Henrique Kawaminami)

A história ganhou outro rumo ao longo da tarde, depois de confusão no trânsito terminar com carro de policial militar atingindo por tiro em Campo Grande. Policial penal, que no fim da manhã desta sexta-feira (30), aparecia como homem que atirou e parou "arruaceiro" na Avenida Eduardo Elias Zahran, também terminou o dia autuado.

O autor do disparo alegou ter agido em legitima defesa e indicou que o motorista do carro atingido andava “de forma anormal, ultrapassando sinal vermelho e realizando manobra perigosa” antes da abordagem. Pelo disparo, o policial penal foi preso em flagrante.

Conduzido à 4ª Delegacia de Polícia Civil, o autor do tiro, o agente Jonildo Domingos da Silva, de 41 anos, lotado na Penitenciária Masculina de Regime Fechado da Gameleira, relatou que estava a caminho do trabalho, fardado, quando avistou o motorista do veículo Fiat Argo apontado arma de fogo para outros condutores, em trecho da Avenida Fernando Correa da Costa, próximo ao Hemosul.

Diante da situação e da forma perigosa como o motorista conduzia o veículo, Jonildo diz ter acionado a Policia Militar, por meio do 190, passando em tempo real a localização do veículo.

Marca de tiro no vidro traseiro de Fiat Argo (Foto: Henrique Kawaminami)
Marca de tiro no vidro traseiro de Fiat Argo (Foto: Henrique Kawaminami)

Ainda na versão do policial penal, já na Zahran, na altura da Vila Antônio Vendas, os dois motoristas emparelharam os veículos devido ao congestionamento e, com som alto no carro e uma caneca na mão esquerda, Carlos teria olhado para Jonildo sorrindo “de deboche”. O autor do tiro alegou ainda, ter avistado o motorista em atitude suspeita, colocando a mão na perna, retirando arma de fogo.

Foi neste momento que Jonildo teria se apresentado como policial penal, também sacando arma de fogo. Após se proteger na parte de trás do veículo, o autor disparou contra o vidro do passageiro, que acabou furando um dos bancos e parando na porta do motorista.

Jonildo ainda contou à polícia que Carlos apresentava comportamento alterado e, por isso, uma pessoa, que se identificou como João, ajudou a contê-lo, sendo necessário uso de algemas.

O PM Carlos Henriques Quintas Junior chegou a ser algemado, pela manhã (Foto: Henrique Kawaminami)
O PM Carlos Henriques Quintas Junior chegou a ser algemado, pela manhã (Foto: Henrique Kawaminami)

Outro lado – Já Carlos Henriques, lotado no 9º Batalhão da PM, em Campo Grande, contou que estava a caminho do serviço, pela Avenida Eduardo Elias Zahran, quando escutou um estampido e sentiu um vulto na altura do seu peito.

Nesse momento, visualizou uma pessoa empunhado arma de fogo e apontando para sua direção, identificando-se como polícia. Carlos também teria se identificado como policial, quando foi retirado do carro e jogado ao chão. Segundo ele, a arma que possui estava em sua cintura. Equipes da Policia Militar, Civil e Perícia estiveram no local. Após ser ouvido, Carlos foi liberado, enquanto Jonildo foi autuado em flagrante por disparo de arma de fogo.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário