A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

08/06/2012 15:08

Assassinato de mulher no Coophavila 2 tem "aspectos estranhos", diz delegado

Mariana Lopes
Casa onde ocorreu homicídio(Foto: Minamar Júnior)Casa onde ocorreu homicídio(Foto: Minamar Júnior)

O assassinato acorrido na madrugada desta sexta-feira (8), no bairro Coophavila II, em Campo Grande, tem aspectos “estranhos”, segundo a definição do delegado que esteve no local do crime, Ivahyr Luiz de Campos, da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do bairro Piratininga.

O crime foi registrado como latrocínio, roubo seguido de morte, mas há várias lacunas a serem preenchidas pela investigação. A começar pela porta dos fundos da casa, que estava arrombada, mas com a lingueta intacta e aberta. O delegado explica que em casos de arrombamento, a peça costuma estar danificada.

Outro ponto que a Polícia tenta desvendar é que, aparentemente, a vítima, Juliana Corraleiro da Silva, 42 anos, não tenha levantado nem com o barulho do arrombamento. Segundo o delegado, ela não apresentava qualquer lesão de defesa e foi encontrada provavelmente do jeito que estava dormindo.

O corpo dela foi encontrado na manhã de hoje, por volta das 10h, por vizinhos e familiares, deitada em um colchão no quarto da casa, apenas com as roupas íntimas e coberta até a cintura. Segundo a Polícia Civil, Juliana tinha oito perfurações espalhadas pelo corpo, a maioria sendo na garganta.

A facada que a vítima levou no rosto também chamou a atenção do delegado, que afirmou ser atípica em caso de crimes como este. A perícia indicou que na casa não havia marca de sangue apenas no colchão, no travesseiro e na parede ao lado de onde Juliana foi encontrada morta.

Informações checadas pela Polícia com os vizinhos dão conta de que o barulho de arrombamento foi entre às 3h e 4h.

No gramado da varanda da casa, a Polícia encontrou uma bolsa de Juliana e uma cadeira de fio, que, segundo o delegado, provavelmente o autor utilizou para pular o portão.

Ainda sobre o arrombamento, o delegado levanta a hipótese de que o criminoso tivesse arrombado a porta para sair da casa, mas aponta o detalhe de que as janelas da casa não tem grade de proteção.

Pelo fato de Juliana ter sido encontrada vestida apenas com roupas as íntimas, em uma madrugada fria, a Polícia levantou a hipótese de que ela pode ter sofrido algum tipo de violência sexual.

Da casa, de acordo com o delegado, foram roubados dois aparelhos de DVD, um televisor e um celular. Juliana morava em Bandeirantes e estava de mudança para a Capital. Na cidade há cerca de uma semana e meia, esta tinha sido a primeira noite que a vítima havia dormido sozinha na casa.

O marido dela estava em Bandeirantes e estava vindo para Campo Grande de ônibus. Segundo uma parente, que não quis se identificar, Juliana era pedagoga e estava se mudando para ficar mais perto da família.

Segundo o delegado, ainda não há suspeitos do crime e nem indícios de que tenha mais de um envolvido no latrocínio. O caso foi registrado na Depac Piratininga e será encaminhada à Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos).

(Foto: Minamar Júnior)(Foto: Minamar Júnior)
Identidade de Juliana Corraleiro da Silva (Foto: Minamar Júnior)Identidade de Juliana Corraleiro da Silva (Foto: Minamar Júnior)
Terminal rodoviário de Campo Grande oferece cartões de Natal gratuitos
A rodoviária de Campo Grande, mais um ano, oferece gratuitamente cartões de Natal gratuitamente para os passageiros que passarem pelo local até o pró...
Universidade do MS recebe certificação de excelência em gestão
Será recebida pela UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) em solenidade que acontece na próxima segunda-feira (18) o certificado de excelência em ges...
Águas Guariroba continua com campanha de renegociação de dívidas
Vai até o dia 29 deste mês a campanha "Fique em Dia", realizada pela Águas Guariroba para renegociar as dívidas que os consumidores têm com a empresa...


É lamentável mais um crime bárbaro em nossa cidade. Mais uma vítima indefesa tendo sua vida tirada a preço de alguns eletro etletrônicos. Conheci a vítima de tão brutal crime e lastimo pela família que com pezar terá que carregar essa dor. Juliane era uma pessoa de grande coração que se mudou pra cá a poucos dias pra ficar perto da família e cuidar dos sobrinhos. Meus sinceros pêsames...
 
Cristiane Oliveira em 08/06/2012 04:44:30
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions