A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 27 de Maio de 2018

06/02/2012 18:10

Associação Comercial critica Prefeitura sobre nota fiscal e ameaça ir à Justiça

Fabiano Arruda
Diretoria da associação concede entrevista nesta segunda-feira sobre notificação de 16,7 mil empresas na última semana. (Foto: Pedro Peralta)Diretoria da associação concede entrevista nesta segunda-feira sobre notificação de 16,7 mil empresas na última semana. (Foto: Pedro Peralta)

A diretoria da Associação Comercial de Campo Grande criticou a Prefeitura por conta da notificação a 16,7 mil empresas que precisam regularizar o cadastramento ao sistema de Nota Fiscal Eletrônica (NF-E), sobretudo, por conta do prazo: até 15 de fevereiro.

Em entrevista coletiva nesta segunda-feira, a entidade, que chamou a medida de terrorismo, anunciou que vai tentar com a secretaria municipal de Receita acordo para revogar a notificação das empresas, publicada na semana passada no Diário Oficial do Município. Em caso da negociação ser frustrada, o próximo passo é ingressar mandado de segurança em “proteção aos associados”.

O tributarista da associação, Roberto Oshiro, afirmou que, no universo das 16,7 mil empresas, 95% são prestadoras de serviço e a preocupação são os empresários de menor porte.

“Não é possível que 95% das empresas estejam erradas. Esperamos que o prefeito seja sensível”, comentou, destacando acreditar que houve erro da Prefeitura na implementação da medida.

A Associação Comercial também reclamou não ter sido convidada ou consultada pela Semre para discutir o assunto antes das notificações.

Em caso de descumprimento dos estabelecimentos citados, a multa é de R$ 585. No total seriam R$ 9 milhões se as empresas não atenderem à determinação. “A multa é ilícita”, disparou Oshiro.

Segundo o presidente da associação, Omar Aukar, o maior problema está na falta de informação aos empresários. “Alguns estão desesperados”. Conforme ele, nem todos foram notificados por falta de cadastramento no sistema eletrônico, mas por outros motivos, como a não devolução dos talões antigos.

Ocorre que, explica Omar, algumas empresas prestadoras de serviço também utilizam o talão de notas para vendas de produtos e, por conta disto, não são obrigados a devolver.

Aukar disse preferir acreditar que a negociação com a prefeitura não caminhe para a Justiça. Lembrou ainda que o assunto deve ser discutido com mais tempo, já que pequenos empresários, em alguns casos, devem ter isenção.

“A costureira, que trabalha em casa, e fabrica em pouca quantidade, tem dificuldade em ter um computador. Estas medidas não podem generalizar. E o prazo para adequação é muito curto.

Entre os procedimentos a serem adotados pelos empresários em relação a NF-E, a diretoria da associação listou que são necessários ajustes com os escritórios de contabilidade, contratação de profissionais especializados, fornecimento de cursos e até instalação de softwares. Por isto, considera que o prazo é “inexequível”.

Presidente da Associação Comercial critica falta de informação aos empresários.Presidente da Associação Comercial critica falta de informação aos empresários.

O caso - Segundo dados da Prefeitura, das mais de 16 mil empresas, 11.148 são prestadores de serviços que não credenciaram e não têm registro de nota fiscal no cadastro; 4.637 não se credenciaram, porém têm registro de emissão de nota fiscal e não devolveram o talão impresso. Outras 986 empresas fizeram o credenciamento, já até emitem nota fiscal eletrônica, mas não devolveram o talão de nota fiscal impresso.

De acordo com o secretário municipal da Receita, César Estoduto, o sistema de Nota Fiscal Eletrônica é o único aceito no município para empresas prestadoras de serviço. Essa obrigatoriedade tem base no artigo 5º, do Decreto nº 11.052 de 27 de novembro de 2009.

O cadastro de nota fiscal eletrônica foi instituído em 2010, com o objetivo de modernizar o atendimento, que passou a ser via internet, substituindo as tradicionais notas fiscais de serviços impressas.

Como funciona - A nota fiscal eletrônica é emitida e armazenada eletronicamente em programa de computador com o objetivo de materializar os fatos geradores do ISSQN (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza) por meio do registro eletrônico das prestações de serviços sujeitas à tributação deste tipo de imposto. A Semre argumenta que as empresas tiveram prazo para se adequar.

Para se credenciar, os estabelecimentos devem acessar o site da Secretaria e seguir as instruções que o próprio sistema indica. Ao final do credenciamento, o prestador de serviço recebe um documento que deve ser impresso e assinado e entregue no órgão. Depois disso, será emitida senha que dará o acesso para o início da atividade on-line. Ainda é necessário que o prestador de serviços devolver o documento de nota fiscal impressa para concluir o procedimento.

A reportagem entrou em contato com a Semre nesta tarde. A informação é que o secretário está numa reunião e só pode falar sobre o assunto a partir de amanhã pela manhã.

Mais de 16 mil empresas têm até dia 15 para regularizar cadastro de nota fiscal
Vai até o dia 15 de fevereiro o prazo para um universo de 16,7 mil empresas prestadoras de serviço de Campo Grande regularizarem sua situação junto a...
Mais uma reunião termina sem acordo para fim de paralisação nas estradas
O governador de São Paulo, Márcio França (PSB), afirmou em entrevista à imprensa que o governo federal concordou em diminuir o preço do litro de óleo...


Eu tembem abri uma empresa individual , e recebi a notificacao, acho um desrespeito, uma propaganda enganosa querer que saiam da informalidade, sr. prefeito, srs vereadores a eleicao esta ai, tratem de trabalhar pelos pequenos. esta semana mesmo vou dar baixa na minha empresa.

 
Maria Nilza em 07/02/2012 09:30:40
As igrejas estão sendo intimadas a tomarem a mesma providência. Igrejas sérias não cobram nada de ninguém, portanto não podem emitir a tal notalde serviço que está sendo exigida.
 
Alcenair Nobre Costa em 06/02/2012 10:15:05
Minha esposa se cadastrou como empreendedora individual, ano passado, e recebeu esta notificação, ligamos para o sebrae e nem o mesmo soube orientar sobre tal medida, acreditamos q o empreendedor individual é uma fria, o imposto q é recolhido todos os meses é um pacote de impostos federal , estadual e municipal, agora veem com esta, iremos a junta comercial e daremos baixa na empresa.
 
Jeferson Antunes em 06/02/2012 09:45:04
E o governo incentiva ao prestador de serviço a deixar a informalidade. Para que? Para ser destratado e pisado como agora. Para ser ignorado e ficar mais de um mês sem poder emitir nota de serviço. Quem paga os funcionários das pequenas e micro? a Prefeitura é que não vai pagar. Cade os vereadores que elegemos? Mas tenho certeza que um dia vai melhorar, Deus é grande.
 
Gilberto Ozuna em 06/02/2012 08:40:52
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions