A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

25/03/2015 11:54

Associação denuncia troca de casas por carro velho na região do Nova Lima

Ângela Kempfer e Kleber Clajus
Durante a sessão voltou a pauta a cobrança de rede de esgoto, drenagem e asfalto na região (Foto: Kleber Clajus)Durante a sessão voltou a pauta a cobrança de rede de esgoto, drenagem e asfalto na região (Foto: Kleber Clajus)

A cada parada pelos bairros de Campo Grande, uma lista de reclamações surge dos moradores na sessão comunitária da Câmara Municipal. Hoje, no bairro Nova Lima, o que saltou aos olhos foi a denúncia de que famílias atendidas por projetos de habitação do município estariam trocando casas até por carros velhos.

O presidente da associação de moradores do Vida Nova III, Wildes dos Santos, pediu investigação e até uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) sobre o caso. “É muito sério. Casas populares são entregues pela Emha e depois abandonadas, vendidas ou trocadas por carros velhos”. Segundo ele, um comerciante da região já comprou dezenas de casas da Emha, favorecido pelo esquema.

O vereador Otávio Trad (PMDB) confirma que não é uma denúncia isolada e defende urgência na reestruturação da Agência Municipal de Habitação. “Temos de olhar esse tema de forma mais crítica. As regras da Emha são ultrapassadas. Precisam ser revistas, assim como melhorada a fiscalização sobre o comércio ilegal e a forma como ocorre o sorteio das casas.”

Mas a sessão comunitária da Câmara na manhã desta quarta-feira não ficou só nessa reclamação. O morador Vagner Escobar Colmam chegou a chorar, emocionado ao falar da falta de acessibilidade na Unidade Básica de Saúde, que não possui corrimão nas rampas e compromete a acessibilidade nos banheiros.

Dentre as maiores reivindicações, voltou a pauta a cobrança de rede de esgoto, drenagem e asfalto, na rua Marques de Herval. O bairro, um dos mais antigos da cidade, ainda não foi atendido com obras de drenagem e pavimentação PAC2, o que revolta os moradores.

Outra reclamação antiga envolve segurança. Na região de 100 mil habitantes, apenas uma viatura é disponibilizada à Polícia Militar, diz o presidente do Conselho de Segurança da Região do Segredo, João Marcelo. “É uma viatura para toda a região e só 11 policias. E o efetivo tem sido reduzido nos últimos anos”, diz.

Depois das sessões itinerantes, os vereadores apresentam as reivindicações à prefeitura, como indicações para melhorias.

Homem é baleado nas costas enquanto caminhava na 14 de Julho
Jovem de 23 anos foi baleado nas costas enquanto caminhava na Rua 14 de Julho, no Bairro Cabreúva, em Campo Grande. Hugo Vinícius Crisanto de Lima fo...
Durante discussão, adolescente de 17 anos é esfaqueado pelo amigo
Um jovem de 17 anos foi levado em estado grave para a Santa Casa após ser esfaqueado na noite deste sábado, na frente da casa em que mora no Bairro G...


E vai todo mundo fingir que ficou sabendo só agora do comercio que existe com casas da Ehma e com terras tomadas pelo MST? Quem quiser comprar um pedacinho de terra é só parar em um dos acampamentos do MST e comprar, eles vendem de papel passado e continuam invadindo e pegando novas terras para vender novamente. Assim é com as casas da Ehma, a unica diferença é que com as casas da Ehma ainda tem gente honesta que realmente fica com a casa e faz dela um lar, no MST a pilantragem é 100%.
 
Max em 25/03/2015 16:53:03
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions